Minha conta
    Rua do Medo na Netflix: Descubra qual cena do filme deixou a diretora aterrorizada (Entrevista exclusiva)
    Por Kalel Adolfo — 1 de jul de 2021 às 16:03

    Uma sequência em Rua do Medo 1666 foi tão complexa, que a cineasta ficou aterrorizada pensando que não conseguiria realizar o que queria.

    A trilogia Rua do Medo é um dos principais lançamentos de julho na Netflix. Extremamente aguardada, a produção passou por um longo percurso até encontrar um estúdio. Mas agora, tudo isso já passou: em um plano de divulgação inédito, o serviço de streaming irá disponibilizar os três volumes da franquia em apenas um mês. Ambicioso, né?

    Rua do Medo: 1994 - Parte 1
    Rua do Medo: 1994 - Parte 1
    Data de lançamento 5 de julho de 2021 | 1h 45min
    Criador(es): Leigh Janiak
    Com Maya Hawke (II), Charlene Amoia, David W. Thompson, Ashley Zukerman, Kiana Madeira
    Adorocinema
    2,0
    Streaming

    Na trama, um grupo de jovens decide investigar uma série de assassinatos brutais que estão acontecendo na cidade de Shadyside. Contudo, o envolvimento faz com que eles se tornem os próximos alvos do assassino.

    E para animar ainda mais o público, o AdoroCinema entrevistou Leigh Janiak — diretora da trilogia. A cineasta revelou quais filmes influenciaram Rua do Medo, por que decidiu embarcar no projeto arriscado e a cena que a deixou aterrorizada durante as gravações. Confira:

    Leigh Janiak ficou aterrorizada por conta de cena difícil

    Há uma cena específica em Rua do Medo 1666 — que ainda não podemos revelar qual é — que deixou Leigh Janiak apavorada: “Havia tantas trocas de cenário, litros de sangue, dublês por toda a parte, efeitos práticos. E para piorar, nós estávamos filmando com crianças à noite. Por isso, tivemos um tempo ainda mais limitado para fazer tudo dar certo. Foi realmente insano”, revelou.

    “Gravar com crianças é difícil, porque você não pode trabalhar mais do que uma certa quantidade de horas com elas. Portanto, assim que o tempo se esgota, já era”, desabafou.

    Spoiler alert: a cena acontece dentro de um shopping, no final do terceiro capítulo. Mas não fomos nós que avisamos.

    Rua do Medo 1994 (Crítica)
    Trilha sonora do filme tem um significado especial

    A trilha sonora de Rua do Medo é indiscutivelmente boa: de Pixies à Nirvana, as canções te levam diretamente aos anos noventa. E segundo Janiak, ela já tinha as músicas separadas antes mesmo de receber o roteiro.

    “Eu criei playlists pensando na história há muito tempo. A seleção para 1994 foi muito fácil, pois eu vivi aquela época e sou muito conectada com aquelas canções. Para 1978, precisei aprender mais sobre a cultura daquele período. The Man Who Sold The World — tanto a versão de David Bowie quanto do Nirvana — já estavam no roteiro desde o início”, disse.

    40 trilhas sonoras instrumentais inesquecíveis da história do cinema
    Filmes icônicos são referenciados em Rua do Medo

    Ao ser questionado por Clerio Lopes, do veículo Trilha do Medo, Leigh afirmou que muitos filmes são referenciados em Rua do Medo, especialmente porque a história ocorre nos anos noventa. “Pânico é o meu filme favorito de todos os tempos. E isso está muito claro no projeto. A sequência do shopping é uma carta de amor à abertura de Scream”, revelou.

    Nos capítulos seguintes — especialmente 1978 — a diretora afirmou que Sexta-Feira 13, Halloween e O Massacre da Serra Elétrica tiveram uma influência enorme. Aliás, se você adora produções slashers, não deixe de conferir o segundo volume da trilogia.

    Netflix promete lançar o filme de terror mais perturbador de seu catálogo; entenda
    Por que a diretora decidiu se arriscar em uma trilogia?

    Durante a entrevista, Leigh afirmou que o seu produtor apareceu com a ideia de lançar uma trilogia no mesmo ano: “Eu senti que seria algo divertido, mas bem louco. Normalmente, nós temos um tempo entre uma estreia e outra, para revisitar aquele mundo e desenvolver a continuação. Mas dessa vez, trabalhamos de uma maneira bem diferente”, explicou.

    “Eu sinto que a trilogia é um híbrido entre o cinema e a televisão. Por um lado, as histórias são bem distintas em estilo. Mas por outro, é necessário assistir os três filmes para entender a obra”, afirma. Ao final, a diretora agradeceu a Netflix por abraçar o projeto.

    Netflix CHOCA assinantes e remove 102 filmes e séries do catálogo em julho; confira o que vai sair
    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top