Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    10 séries brasileiras que viraram filmes
    Por Ygor Palopoli — 15 de set. de 2019 às 08:00
    facebook Tweet

    De Vai Que Cola a Os Normais!

    Existem diversos patamares de aclamação pelos quais uma série nacional pode passar durante seu período na TV. Utilizando de uma métrica subjetiva, talvez o maior deles seja justamente o engajamento necessário do público para que os estúdios por trás do programa decidam mover todos os recursos necessários para a produção de um longa-metragem.

    Transformar uma obra episódica em um filme não é uma tarefa fácil. Afinal de contas, tanto questões burocráticas como criativas, por exemplo, precisam ser reformuladas para que a trama seja transposta da melhor maneira possível. Sabendo disso, é comum que alguns seriados tenham virado longas de péssima recepção, enquanto outros, por sua vez, são um estrondo. 

    Pensando nisso, e inspirando-se no recente lançamento de Vai Que Cola 2 - O Começo, o AdoroCinema separou 10 séries brasileiras que transformaram-se em filmes — e olha que não estamos falando apenas de comédia, hein? Vamos conferir!

    SAI DE BAIXO
    Imagem Filmes

    Geralmente, o modo de operação para transformar algum programa em filme é o seguinte: os episódios começam a fazer sucesso e, para embarcar na popularidade, um longa é lançado. No caso de Sai de Baixo, uma das obras mais icônicas da televisão aberta, sua versão cinematográfica só foi ganhar vida mais de 20 anos após a estreia na TV.

    Estrelada novamente por nomes como Miguel FalabellaMarisa OrthTom CavalcanteSai de Baixo - O Filme também traz personagens novos na pele de Lúcio Mauro Filho e Cacau Protásio, por exemplo. No enredo, a família mais famosa do Largo do Arouche retorna para uma trama grandiosa e atual: executar um roubo milionário.

    A GRANDE FAMÍLIA

    Europa Filmes

    Essa família é muito unida... quem nunca se pegou cantando a versão de Dudu Nobre da canção que dá título a uma das séries mais duradouras da Rede Globo? A Grande Família foi exibida durante 13 anos na emissora e, durante este tempo, ganhou um filme com uma temática um pouco mais profunda. 

    Na trama, Lineu (Marco Nanini) vai ao médico para um exame de rotina e acaba saindo de lá com a certeza de que irá morrer. Deprimido e relutante, ele passa a rever todos os aspectos de sua vida, e a situação com sua mulher, Nenê (Marieta Severo) passa por uma verdadeira provação. No meio de tudo isso, é claro, há espaço de sobre para a família "catucar".

    CILADA
    Downtown Filmes

    Exibida originalmente pela MTV, a série estrelada por Bruno Mazzeo durou apenas alguns anos, mas foi o suficiente para que, em 2011, a jornada do protagonista fosse adaptada para os cinemas com Cilada.com em uma trama um pouco diferente do compilado de situações embaraçosas que o programa propõe.

    Desta vez, Bruno é flagrado traindo sua namorada Fernanda (Fernanda Paes Leme) em uma festa de casamento e tem um vídeo íntimo seu divulgado como forma de vingança. Humilhado por todos os seus amigos, ele tenta achar uma maneira de sair por cima da situação e, no meio disso, passa por todos os tipos de loucuras. 

    O AUTO DA COMPADECIDA 
    Columbia Pictures

    Além de ser um dos filmes mais aclamados deste século, O Auto da Compadecida começou originalmente como uma série de TV — por mais que muita gente nem saiba! Lançados em 1999, os quatro episódios estrelados por Selton MelloMatheus Nachtergaele foram posteriormente reeditados e lançados nos cinemas. E não é que deu (muito) certo?

    No enredo da adaptação da obra de Ariano Suassuna, João Grilo (Matheus), um sertanejo pobre e mentiroso, e Chicó (Selton), um rapaz enrolado e mentiroso encontram-se diretamente com Nossa Senhora (Fernanda Montenegro) e tentam livrar-se de seus pecados.

    CASSETA & PLANETA 
    Acervo Globo

    Responsável por algumas das esquetes mais replicadas ao redor do Brasil, o grupo do Casseta & Planeta já está há mais de 30 anos em atividade e sua série exibida religiosamente toda terça-feira já ganhou dois filmes: A Taça do Mundo É Nossa e Casseta & Planeta: Seus Problemas Acabaram. Além, é claro, de spin-offs como As Aventuras de Agamenon, o Repórter.

    Contando com os clássicos Cláudio Manoel, Marcelo Madureira, Hubert, Beto Silva, Hélio de la PeñaBussunda e Maria Paula Fidalgo, os filmes tiveram também participações que foram desde Murilo Benício até Luana Piovani

    CASTELO RÁ-TIM-BUM
    Columbia Pictures

    Exibida na década de 90 na TV Cultura, a série infantil Castelo Rá-Tim-Bum levantou um sucesso estrondoso para o canal, o que lhe deu gás para priorizar completamente a produção na época, lançando até mesmo um filme alguns poucos anos depois. 

    Enquanto algumas crianças já estavam crescidas quando a trama foi readaptada, criando a necessidade de substituições no elenco, como o próprio Nino (Diego Kozievitch), alguns dos atores clássicos continuaram na mágica história como uma espécie de homenagem. Até hoje a obra é referenciada na cultura popular e sempre se fala sobre a possibilidade de remakes ou reboots.

    OS NORMAIS
    Europa Filmes

    Concebida pela multifacetada Fernanda Young, a aclamada série de comédia estrelada por Luiz Fernando GuimarãesFernanda Torres conseguiu conquistar completamente o público, tornando-se uma referência incontestável sobre como falar do cotidiano sem perder a originalidade.  

    Logo após o seu fim, em 2003, Os Normais ganhou um filme estrelando também Marisa Orth e Evandro Mesquita, contando a hilária história de como Rui (Luiz) e Vani (Fernanda) se conheceram. Algum tempo depois, o casal voltou aos cinemas para uma sequência, ambientada algum tempo no futuro e mostrando os dois lutando para apimentar novamente a relação. 

    CIDADE DOS HOMENS
    Fox Film

    Responsável por popularizar os personagens Laranjinha (Darlan Cunha) e Acerola (Douglas Silva) dentro da cultura popular brasileira, Cidade dos Homens trouxe a história de dois jovens negros lutando para se virar na periferia. Passando por questões socioeconômicas e tecendo críticas à desigualdade pungente no Brasil, o programa ganhou um longa dois anos após seu fim. 

    Mostrando Laranjinha e Acerola já adultos, o filme de 2007 falou, especialmente, sobre os caminhos mais seguidos por aqueles que crescem em comunidades. Enquanto um deles lamenta a paternidade precoce, o outro se vê tentado a integrar o mundo do tráfico para sobreviver. 

    VAI QUE COLA
    H2O Films

    Finalizando a lista, temos o lançamento mais recente. Já adaptada para os cinemas anteriormente, Vai Que Cola retorna em 2019 sem o antigo protagonista, Paulo Gustavo, para recontar como o pessoal mais assíduo da Pensão da Jô, no Méier, se conheceu. 

    Além de mostrar o início da jornada de Jô (Catarina Abdalla), Jéssica (Samantha Schmütz), Ferdinando (Marcus Majella), Máicol (Emiliano D'Ávila) e Terezinha (Cacau Protásio), o novo longa também traz personagens queridos pelos fãs, como é o caso do "falecido" Tiziu (Fábio Lago), sempre citado por Tereza.

    OS TRAPALHÕES

    Este é um caso diferenciado, mas seria uma injustiça não colocá-lo aqui. Uma das trupes mais icônicas da televisão brasileira, composta por Didi (Renato Aragão), Dedé (Dedé Santana), Mussum e Zacarias, ganhou não apenas um, mas 21 filmes dedicados exclusivamente ao grupo. 

    O sucesso foi tanto que Aragão seguiu reprisando seu personagem ao longo dos anos, ganhando um programa só dele e também mais uma dezena de filmes dedicados a suas histórias. Com tantas obras assim, daria para fazer uma lista só para eles. Aliás... boa ideia.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top