Minha conta
    Festival Varilux de Cinema Francês: Ator de Sex Education e filme sobre negacionismo marcam abertura do evento (Entrevista)
    26 de nov. de 2021 às 22:25
    Lucas Leone
    Lucas Leone
    -Redator
    Lucas só continua nesta dimensão porque Hogwarts ainda não aceita alunos brasileiros. Ele até tentou ir para Westeros ou o Condado, mas perdeu a hora do Expresso do Oriente. Hoje, pode ser visto escrevendo no Central Perk mais próximo.

    Edição de 2021 começou ontem (25) e vai até o dia 8 de dezembro, reunindo 17 longas inéditos e uma homenagem ao ator francês Jean-Paul Belmondo.

    Consolidado como o maior evento de filmes franceses fora da França e somando mais de um milhão de espectadores em todo país desde sua criação, o Festival Varilux de Cinema Francês chega a sua 12ª edição, que acontece entre 25 de novembro e 8 de dezembro. Drama, romance, comédia, animação e documentário integram a programação composta por dois clássicos e 17 longas inéditos, entre premiados e participantes de festivais internacionais. Rio de Janeiro e São Paulo recebem ainda uma mostra com quatro filmes em homenagem a Jean-Paul Belmondo, ícone do cinema francês que morreu em setembro.

    Como de costume, o AdoroCinema foi bater um papo com a delegação artística que está hospedada em Copacabana, no Rio de Janeiro. Entre os convidados deste ano estão o diretor Philippe Le Guay e os atores Benjamin Voisin e Sami Outalbali – cujos filmes abriram o festival na noite de ontem. Confira as entrevistas a seguir e não deixe de assistir às produções selecionadas nos cinemas!

    5 filmes franceses que devem ser vistos pelo menos uma vez na vida
    UM INTRUSO NO PORÃO: SUSPENSE ABORDA NEGACIONISMO E ANTISSEMITISMO

    Em Um Intruso no Porão, Simon Sandberg (Jérémie Renier) e sua esposa Hélène (Bérénice Bejo) decidem vender um porão no imóvel onde vivem, em Paris. Simon encontra, então, Jacques Fonzic (François Cluzet), um sujeito que está à procura de um espaço para colocar os objetos da falecida mãe. O acordo entre ambos se fecha com rapidez, mas, ao invés de usar o local como depósito, o homem passa a morar lá sem aviso prévio. Pouco a pouco, sua presença incômoda e misteriosa vai mudar a vida do casal e de sua filha Justine (Victoria Eber).

    Philippe Le Guay conta que o filme é inspirado em um caso real que ocorreu com dois amigos seus. "Um homem veio, comprou um porão e se instalou lá. Ninguém conseguiu desalojá-lo. Essa história me impressionou porque é realista. Ela de fato aconteceu, mas também contém uma fábula. O porão se torna um local de ambigüidade, tédio, angústia", explica o diretor.

    L'Homme de la cave
    L'Homme de la cave
    Data de lançamento 25 de novembro de 2021 | 1h 54min
    Criador(es): Philippe Le Guay
    Com François Cluzet, Jérémie Renier, Bérénice Bejo, Jonathan Zaccaï, Patrick Descamps

    Ao longo do filme, Simon descobre que Fonzic é um negacionista conhecido por suas postagens inflamadas, em especial quando se trata de desacreditar o Holocausto. "Eu não sou judeu e, por isso, me questionei durante toda a preparação sobre como abordar o tema do antissemitismo", confessa Le Guay. "Mas o antissemitismo é um problema de todos os cidadãos, não só dos judeus. É importante problema fazer todo mundo pensar nisso, e o cinema pode nos ajudar a enxergar melhor essa realidade."

    Segundo Le Guay, a principal mensagem do longa é mostrar como funciona o negacionismo e sua retórica perversa que busca inverter a verdade. "O personagem que criei [Fonzic] costuma dizer: 'Eu levanto questões. Não falo que aquilo nunca aconteceu; apenas me pergunto se há provas.' Sabemos muito bem que há provas, mas Fonzic insiste que ainda podemos refletir sobre isso, que podemos colocar em xeque a verdade oficial", analisa Le Guay.

    "Mas por que colocar em xeque a verdade oficial se ela é a verdadeira verdade? Não devemos fazer isso, e o filme serve para mostrar como esse tipo de pessoa age. Tal qual a informação, o cinema permite aos espectadores que tomem decisões melhores", conclui Le Guay.

    ILUSÕES PERDIDAS: PROTAGONISTA SE ENCANTOU PELO LIVRO DE BALZAC

    Ilusões Perdidas acompanha Lucien de Rubempré (Benjamin Voisin), um jovem poeta desconhecido da França do século 19. Ele tem grandes esperanças e quer escolher seu destino. Ele larga, então, a gráfica de sua província para tentar a sorte em Paris, nos braços de sua protetora, a baronesa Louise (Cécile de France). Logo deixado por conta própria na capital, o rapaz vai descobrir os bastidores de um mundo condenado à lei do lucro e das falsidades. Uma comédia humana na qual tudo se compra e se vende, da literatura à imprensa, da política aos sentimentos, das reputações às almas.

    O filme é baseado no romance homônimo escrito por Honoré de Balzac e publicado entre 1837 e 1843. "Eu li o livro pouco antes de filmar e, a cada página que passava, eu pensava: 'caramba, eu tenho não só um roteiro, mas um livro de mil páginas para me ajudar.' É um grande presente para qualquer ator", afirma Benjamin. Ele ainda conta que, quando foi escalado, não sabia que estava prestes a contracenar com gigantes do cinema francês – entre eles Cécile, Gérard Depardieu e Vincent Lacoste.

    Dix Pour Cent: Tudo o que você precisa saber sobre a série de comédia francesa que está na Netflix

    Questionado se tem alguma cena favorita de Ilusões Perdidas, Benjamin diz que não: "Foi a evolução do personagem que me interessou mais. Ele faz parte desses mocinhos românticos que não falam muito, mas que expressam muito por meio do olhar." O papel de Lucien é o seu primeiro de destaque nas telonas, de modo que o retorno do público também importa para Benjamin. "É preciso pegar o espectador pela mão e levá-lo para dentro das histórias", diz.

    Segundo o ator, a mensagem do filme é de que vale a pena, quando passamos da infância para a vida adulta, se escutar e tentar não atender às expectativas dos outros. "O pior de tudo são os arrependimentos. Se temos uma paixão, um desejo, temos que ir atrás mesmo que digam o contrário. O único juiz que temos somos nós mesmos", defende Benjamin.

    Ilusões Perdidas
    Ilusões Perdidas
    Data de lançamento 25 de novembro de 2021 | 2h 30min
    Criador(es): Xavier Giannoli
    Com Benjamin Voisin, Cécile de France, Vincent Lacoste, Xavier Dolan, Jeanne Balibar
    Usuários
    3,2
    UM CONTO DE AMOR E DESEJO: ATOR DE SEX EDUCATION ESTRELA ROMANCE ERÓTICO

    Um Conto de Amor e Desejo gira em torno de Ahmed (Sami Outalbali), um jovem francês de origem argelina que cresceu nos subúrbios parisienses. Nas bancadas da universidade, ele conhece Farah (Zbeida Belhajamor), uma garota tunisiana cheia de energia que acaba de chegar à cidade. Ao descobrir uma coletânea de literatura árabe sensual e erótica da qual ele nunca soube, Ahmed se apaixona perdidamente por Farah e, apesar de literalmente inundado de desejo, ele vai tentar resistir.

    Mais conhecido pelo papel de Rahim na série Sex Education, da Netflix, Sami diz que os dois personagens são diferentes, mas que têm alguns pontos em comum – como a proximidade com seus sentimentos. "Eles se escutam de maneiras distintas: Rahim escuta a si mesmo mergulhando de cara assim que sente algo. Já Ahmed escuta a si mesmo em sua relação com Farah, no sentido de estar completamente disponível e se descobrir para estar perto dela", explica Sami.

    Sex Education: Quem volta e quem sai na 4ª temporada? O que já sabemos até agora

    Ao contrário de Benjamin, o ator tem uma cena preferida de Um Conto de Amor e Desejo: a do concerto. "A produção organizou um evento de verdade. Havia muita gente lá, e as câmeras estavam no meio do público. As pessoas haviam ganhado entrada, então queriam se divertir mesmo", lembra Sami. E brinca: "Eu não pude dançar como queria ter dançado, pois estava interpretando Ahmed. Ele se mexe um pouco, mas não chega a dançar."

    Para Sami, o longa trata sobretudo da importância do diálogo. "A falta dele pode causar danos que não vemos de início, mas que se acumulam com o tempo e que se tornam perigosos", pondera. "Há ainda uma mensagem sobre uma masculinidade que não costumamos mostrar muito e que é importante. O filme diz às pessoas que está tudo bem ir no seu próprio tempo e tentar se escutar."

    Por fim, Sami destaca o debate promovido pelo filme em torno do preconceito. "Quando Ahmed encontra Farah, ele está cheio de ideias preconceituosas, mas ela consegue quebrá-los com seu discurso. Porque nenhum tipo de preconceito tem fundamento", completa o ator.

    Um Conto de Amor e Desejo
    Um Conto de Amor e Desejo
    1h 42min
    Criador(es): Leyla Bouzid
    Com Sami Outalbali, Aurélia Petit, Bellamine Abdelmalek, Sofia Lesaffre
    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top