Minha conta
    A Mulher na Janela: Quais são as principais diferenças do livro para o filme da Netflix?
    Por Bruno Botelho dos Santos — 19 de mai. de 2021 às 20:00

    O suspense A Mulher na Janela, no catálogo da Netflix, é adaptado de um livro de sucesso escrito por A. J. Finn.

    A Mulher na Janela, protagonizado por Amy Adams, é uma das produções com plot twists surpreendentes na Netflix. Adaptado do livro homônimo de A. J. Finn, o filme de suspense gerou reações negativas da crítica especializada – confira a crítica do AdoroCinema. Mas será que muita coisa foi alterada da obra original?

    A história segue Anna Fox (Amy Adams), uma alcoólatra reclusa que sofre de agorafobia – um tipo de transtorno de ansiedade que faz a pessoa ter medo e evitar lugares ou situações que podem causar pânico – e passa os dias em seu apartamento em Nova York, assistindo a filmes antigos e observando seus vizinhos. Quando a família Russell se muda para o prédio da frente, ela passa a espionar o que seria a família perfeita, até testemunhar uma cena chocante que muda sua vida. 

    O AdoroCinema separou quais foram as principais alterações do filme dirigido por Joe Wright em comparação com o livro de A. J. Finn – com muitos spoilers, obviamente!

    A Mulher na Janela: Confira todas as polêmicas que rolaram nos bastidores até o lançamento na Netflix

     

    Alistair não era o pai biológico de Ethan no livro



    No filme A Mulher na Janela, Alistair Russell (Gary Oldman) é o pai de Ethan (Fred Hechinger) e casado com Jane Russell (Jennifer Jason Leigh). Ele teve que rastrear Katie (Julianne Moore) depois que ela fugiu grávida de 8 meses de Ethan.

    Porém, no livro de A. J. Finn, Alistair não é pai biológico do menino. Ele e Jane Russell adotaram Ethan de Katie, uma viciada em heroína, aos 5 anos. Com isso, o fato de Ethan nunca saber nada sobre seu pai biológico foi o catalisador para sua raiva no livro, ao contrário do filme, onde ele culpa Katie – e desconta em Anna Fox depois – por não ser capaz de proteger seus filhos.

    Na obra original, Ethan nem sabia que a família de Anna estava morta quando ele a visitou pela primeira vez. O que achou dessa mudança?

    Ethan era mais sádico com Anna no livro e pode ter matado mais no filme



    Ethan foi retratado no filme com muita raiva de Anna, mas o livro explorou melhor esse personagem sádico e até onde ele foi com sua obsessão, que acabou gerando um final cheio de reviravoltas no suspense da Netflix. Ele não apenas quebrou a perna de seu gato – algo que nunca foi deixado claro no filme –, mas também a manipulou de pequenas maneiras, como alterar a senha de seu celular. Bizarro, não é mesmo?

    Mas ele não parou por aí, Ethan criou um perfil falso em seu grupo de terapia online, onde se passou por GrannyLizzie, que disse que também era agorafóbica e fez Anna revelar seu trauma por causa da morte de seu ex-marido Ed (Anthony Mackie) e sua filha Olivia (Mariah Bozeman). Em segredo, Anna disse que ela e seu marido sempre se cumprimentavam dizendo "Adivinha quem?" levando Ethan a criar o endereço do gmail "guesswhoanna" (adivinha quem anna, traduzindo).

    Além disso, o filme deixa claro que Ethan matou o inquilino de Anna, David (Wyatt Russell) e a ex-colega de trabalho de Alistair, Pamela Nazin, que caiu de um terraço no sexto andar. O livro não era tão claro sobre o destino desses personagens.

    A Mulher na Janela: Quais os filmes aparecem no suspense da Netflix com Amy Adams?
    Anna Fox bebe muito mais no livro



    O alcoolismo de Anna no filme A Mulher na Janela é menos evidente em comparação com o que é descrito no livro, mesmo que ela tenha sido advertida algumas vezes sobre misturar seu remédio com álcool e que uma garrafa de vinho sempre apareça em cena.

    No livro ela admite que reabastece seu apartamento com vinho pelo menos uma vez por mês, fazendo pedido e seu alcoolismo teve um papel maior no livro para desacreditar o que ela disse que viu do outro lado da rua.

    A tragédia na família de Anna é mais dolorosa no livro

    O trágico evento que levou à agorafobia de Anna é sugerido desde o início do filme e revelado com ela vendo seu carro capotado na sala com neve caindo ao redor. Porém, o papel de sua família no livro foi maior e mais trágico. Assim como no livro, ela fala com eles todos os dias no filme, mas não é dedicado muito tempo para isso.

    A obra original mostra mais conversas entre eles e, principalmente, intercala capítulos dos acontecimentos no Natal com os da atualidade. Assim, o livro se aprofunda mais na separação do casal por causa de um caso de Anna, e todo o esforço dela para manter sua família viva em uma tempestade de neve por dias depois do acidente. No momento em que aconteceu no livro, o leitor consegue ter uma noção maior de que Ed e Olivia não sobreviveram.

    O que achou dessas alterações? Elas modificaram muito a qualidade da adaptação? A Mulher na Janela está disponível no catálogo da Netflix.

    Os 11 filmes de suspense mais tensos da Netflix
    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top