Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Game of Thrones S06E06: Blood of my Blood
    Por Laysa Zanetti — 30/05/2016 às 04:19
    facebook Tweet

    A volta dos que não foram.

    ATENÇÃO: Contém SPOILERS do episódio 06 da sexta temporada de Game of Thrones, Blood of my Blood.

    Deve ser bem difícil ser o episódio que vem na sequência de "Book of the Stranger" e "The Door", os episódios quatro e cinco (e por enquanto os melhores) da sexta temporada de Game of Thrones. Os dois episódios foram recheados de momentos marcantes e que tomaram conta da internet, de Dany queimando os khals ao reencontro de Sansa e Jon e à devastadora revelação de Hodor. O episódio seis, Blood of my Blood, tira um pouco o pé do acelerador para plantar algumas sementes que devem render frutos nesta metade final da temporada. Necessário, mas... visto isolado, pouco animador.

    O episódio se baseia em uma coluna vertebral que, de uma certa forma, transpassa por todos os arcos que são nele abordados. Há alguns inesperados retornos, e começando exatamente de onde encerrou o episódio anterior, voltamos ao norte da Muralha com Bran (Isaac Hempstead-Wright) e Meera (Ellie Kendrick) tentando fugir dos Caminhantes Brancos e sendo salvos por uma misteriosa figura... não tão misteriosa assim. Duas coisas importantes acontecem na história de Bran, sem sombra de dúvidas a mais significativa do episódio: O retorno de Benjen, personagem desaparecido desde o início da história, e os curtos flashes vistos por Bran em seu sonho.

    Tio Benjen assume aqui a posição de Mãos Frias, personagem que nos livros conduz Bran e Meera quando eles estão indo ao encontro do Corvo de Três Olhos (uma espécie de Caminhante Branco do bem, digamos assim). Já houve teorias sobre ele ser Benjen, mas o próprio George R.R. Martin já alegou que não é verdade.

    É claro, é um toque singelo trazer de volta algum Stark, principalmente este cujo paradeiro é especulado há anos, mas a escolha de trazê-lo confirmando uma teoria que o próprio Martin já negou parece ser apenas mais uma decisão feita para agradar ao público (o famoso fanservice), e não para servir à história. Existe uma diferença sutil entre provocar reviravoltas que fazem diferença na história e substituir um personagem simplesmente para dizer que há um Stark a mais no jogo. À primeira vista, parece que a segunda opção é a que mais se encaixa com o que aconteceu com o retorno de Benjen.

    O segundo detalhe importante na história de Bran é consideravelmente mais empolgante e significativo. O garoto vê os momentos das mortes da mãe e do pai, mas vê também o Rei Aerys II ordenando atear fogo (em alguém?), uma mão ensanguentada (possivelmente de Lyanna em seu leito de morte), o momento em que Jaime Lannister (Nikolaj Coster-Waldau) comete o regicídio, além de ver Dany (Emilia Clarke) com os dragões, tomadas da Batalha de Durolar (do episódio "Hardhome", da quinta temporada), e até um dragão sobrevoando uma cidade. O fato de a série ter se esforçado para mostrar tantos pequenos detalhes, inclusive o assassinato do Rei Louco e sua obsessão por fogo (que não são exatamente pequenos detalhes) é algo que provavelmente ainda vai se amarrar e ser justificado até o fim da temporada, assim como a visão pouco reveladora que tivemos (por enquanto) da Torre da Alegria. Por isso, é bom prestar atenção a estes detalhes, e também ao fato de que Bran, agora, sabe de tudo, inclusive dos dragões e Daenerys. Essas informações nunca estão ali sem propósito.

    Home Box Office
    Algumas das cenas das visões de Bran.

    Felizmente, Benjen não é o único Stark que volta à cena, e do outro lado do Mar Estreito, Arya Stark (Maisie Williams) ascende novamente. Sem surpresas, a garota acaba se identificando mais do que esperava com Lady Crane (Essie Davis), atriz que interpreta Cersei na peça teatral e seu potencial alvo, e por isso não consegue cumprir a ordem que recebeu. Vê-la resgatar Agulha e guardar a espada entre suas coisas antes de dormir é a última confirmação do fato de “Ninguém” jamais ter deixado de ser Stark. Sutileza nunca foi exatamente o ponto forte de Game of Thrones, e talvez esta seja a cena em que isso fica mais evidente no episódio. A história de Arya com os Homens sem Face tem sido particularmente desequilibrada. Nada acontecia nos primeiros episódios e pouco sabemos sobre a origem deles. De repente, acontece uma mudança brusca nas vontades da garota que é bastante difícil de identificar ao olhar para os episódios anteriores. Ela estava disposta a passar pelo treinamento, já havia superado algumas fases ‘difíceis’ e até ajudado a matar algumas pessoas na Casa do Preto e Branco, e então ‘muda de ideia’. É claro que é possível entender que ela foi motivada pela emoção de reviver os momentos que a lembraram de seu pai e sua irmã, mas em se tratando de uma personagem tão complexa e interessante quanto Arya, é de se esperar um tratamento um pouco mais dedicado às dúvidas que ela teria e às suas motivações. 

    Um pouco distante dos grandes acontecimentos, Sam (John Bradley-West) chega a Monte Chifre com Gilly (Hannah Murray). Neste que é mais um dos reencontros do episódio, o filho mais velho de Randyll Tarly (James Faulkner) acaba enfrentando novamente as críticas do pai, que sempre faz questão de menosprezá-lo e rebaixá-lo. O momento faz com que Samwell sinta a necessidade de tomar uma decisão, e rouba a espada de aço valiriano da família, Heartsbane (Veneno do Coração). A cena parece sem importância à primeira vista, mas é carregada de significado. Aço valiriano é o único material além de vidro de dragão capaz de matar os Caminhantes Brancos, e o desvio no caminho de Sam provavelmente aconteceu somente para que ele tomasse posse da espada. Ainda assim, foi um belo toque fazer com que fizesse isso provando a si mesmo, de certa forma, que não teme mais o pai.

    Tivemos, então, Bran reencontrando tio Benjen; Arya reencontrando ela mesma; e Sam reencontrando os pais, e a coragem. Em Porto Real, quem toma conta da cena é Margaery (Natalie Dormer), e seu reencontro é com o marido, Tommen (Dean-Charles Chapman). Em uma jogada à la Isabel de Castela e Fernando de Aragão, ela parece tê-lo convencido a se alinhar ao Alto Pardal (Jonathan Pryce), e ter concedido à Fé poder político sobre os Sete Reinos. Sabendo da genialidade de Margaery, é bem evidente que ela esteja armando algum plano por trás de tudo isso para conseguir libertar o irmão. Mesmo neste momento mais “empolgante”, a história de Porto Real nessa temporada chega à metade com um desenvolvimento extremante fraco, e a abordagem maniqueísta do embate entre a Fé Militante e o Trono de Ferro apenas reforça o quanto a história ficou cansativa, rasa e sem propósito. E nem vamos falar no quanto Jaime foi apagado e só serviu para ficar atrás da Cersei até agora...

    Tudo indica que Jaime vai ganhar alguma atenção a partir dos próximos episódios, pois ele deve enfim seguir o destino que o personagem toma nos livros, e vai para a região fluvial resolver os conflitos entre os Frey e os Tully. No retorno da infinita prole de (Argus Filch) Walder Frey (David Bradley), reencontramos também Edmure Tully (Tobias Menzies), irmão de Catelyn, sobrevivente do Casamento Vermelho. Lembra dele? O outro Tully que é mencionado é Brynden “Peixe Negro”, ou Black Fish (Clive Russell), tio de Catelyn que está de posse do Castelo de Correrrio enquanto o sobrinho é feito cativo pelo Senhor da Travessia. A última vez que as Terras Fluviais apareceram foi na terceira temporada.

    O último reencontro é o de Dany com seu filho rebelde, Drogon. Enquanto a cena final do episódio 4, em que ela incendeia os khals, mostrou Daenerys como algum tipo de “entidade intocável” pelo fogo e a ser temida, é aqui que é possível vê-la realmente como uma rainha que merece o título, está disposta a lutar por ele e tem os meios necessários para alcançá-lo. Ou quase todos, só faltam uns mil navios. Algo diz que eles podem estar chegando... não é mesmo, Yara Greyjoy (Gemma Whelan)?

    Novamente, a cena final de Dany até traz empolgação, mas não é nada que já não tenha acontecido antes. O episódio soou como uma grande preparação para os próximos grandes momentos, e é compreensível que ele precisasse ser mais calmo, até mesmo para contrabalancear. Não dá para todo episódio ter um grande momento chocante, caso contrário eles deixam de ser grandes momentos chocantes. O que incomoda não é o ritmo, é a previsibilidade de cenas. Os momentos de tensão, como a iminente Caminhada da Penitência de Margaery, ou Arya cumprir ou não a ordem de matar Lady Crane, foram totalmente previsíveis, causando pouca emoção, frente ao que poderiam. Até essa necessidade cansativa de reafirmar quem é Daenerys semana sim, semana não, aponta com uma obviedade maior que a necessária qual será o caminho da série no fim.

    Quando o episódio acaba, parece ter sido uma grande piada sem a parte engraçada.

    Nota: 2,5

     


    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Siga o AdoroCinema
    Séries mais esperadas
    Vis a Vis: El Oasis
    1
    Vis a Vis: El Oasis
    Elenco: Maggie Civantos, Najwa Nimri, Alba Flores
    Drama, Suspense
    Estreia
    20 de abril de 2020 em
    Todos os vídeos
    Defending Jacob
    2
    Defending Jacob
    Elenco: Chris Evans, Michelle Dockery, Jaeden Martell
    Drama, Suspense
    Estreia
    24 de abril de 2020 em Apple TV+
    Todos os vídeos
    Penny Dreadful: City Of Angels
    3
    Penny Dreadful: City Of Angels
    Elenco: Daniel Zovatto, Natalie Dormer, Nathan Lane
    Drama, Terror
    Estreia
    26 de abril de 2020 em Showtime
    Todos os vídeos
    Stargirl
    4
    Stargirl
    Elenco: Brec Bassinger, Joel McHale, Henry Thomas
    Ficção científica, Ação
    Estreia
    18 de maio de 2020 em DC Universe
    Todos os vídeos
    Novas séries mais esperadas
    Últimas notícias de séries
    La Casa de Papel: Crítica da Parte 4
    NOTÍCIAS - Produção
    sexta-feira, 3 de abril de 2020
    La Casa de Papel: Crítica da Parte 4
    Gossip Girl: Protagonista do reboot é definida
    NOTÍCIAS - Visto na web
    sexta-feira, 3 de abril de 2020
    Gossip Girl: Protagonista do reboot é definida
    La Casa de Papel, Elite e mais: Sexta Série investiga por que séries espanholas são sucesso no Brasil
    NOTÍCIAS - Produção
    sexta-feira, 3 de abril de 2020
    La Casa de Papel, Elite e mais: Sexta Série investiga por que séries espanholas são sucesso no Brasil
    A Máfia dos Tigres: Crítica da Minissérie
    NOTÍCIAS - Visto na web
    sexta-feira, 3 de abril de 2020
    A Máfia dos Tigres: Crítica da Minissérie
    La Casa de Papel 4ª temporada: O que você pode saber antes de começar a assistir
    NOTÍCIAS - Visto na web
    sexta-feira, 3 de abril de 2020
    La Casa de Papel 4ª temporada: O que você pode saber antes de começar a assistir
    Will Smith lança série de quarentena no Snapchat
    NOTÍCIAS - Visto na web
    sexta-feira, 3 de abril de 2020
    Will Smith lança série de quarentena no Snapchat
    Notícias de séries
    Top séries
    La Casa de Papel
    1
    Direção: Álex Pina
    Elenco: Álvaro Morte, Álvaro Morte, Úrsula Corberó
    Drama, Suspense
    Elite
    2
    Direção: Carlos Montero, Darío Madrona
    Elenco: Itzan Escamilla, Georgina Amorós, Miguel Bernardeau
    Drama
    Vis a Vis
    3
    Direção: Daniel Écija, Álex Pina, Iván Escobar
    Elenco: Maggie Civantos, Najwa Nimri, Alba Flores
    Drama, Suspense
    Manifest
    4
    Direção: Jeff Rake
    Elenco: Melissa Roxburgh, Josh Dallas, Athena Karkanis
    Drama
    Séries mais consultadas
    Back to Top