Minha conta
    "O maior erro da minha carreira": 7 filmes rejeitados por Jean-Claude Van Damme, de Predador a Zumbilândia
    Giovanni Rodrigues
    Giovanni Rodrigues
    -Redação
    Já fui aspirante a x-men, caça-vampiros e paleontólogo. Contudo, me contentei em seguir como jornalista. É o misto perfeito entre saber de tudo um pouquinho e falar sobre sua obsessão por nichos que aparentemente ninguém liga (ligam sim).

    Jean-Claude Van Damme pode ter alguns filmes cult com seu nome, mas também perdeu uma série de papéis memoráveis e por vezes surpreendentes.

    Jean-Claude Van Damme acaba de comemorar seu 63º aniversário. O homem que anunciou o streaming antes de todo mundo em 2001, que era "rígido como um poste, míope como uma toupeira, feio como um piolho" antes de se tornar um astro do cinema quando poderia ter sido um dançarino de balé, estabeleceu-se desde o final dos anos 80 como um dos rostos essenciais do cinema de ação.

    O Grande Dragão Branco, Kickboxer, Leão Branco, Duplo Impacto, Soldado Universal, Timecop... Tantos filmes que forjaram a aura de "Músculos de Bruxelas" no imaginário coletivo. Mas JCVD poderia ter associado seu nome a alguns outros filmes de destaque. Confira-os abaixo!

    O Grande Dragão Branco
    O Grande Dragão Branco
    Data de lançamento 9 de dezembro de 1988 | 1h 32min
    Criador(es): Newt Arnold
    Com Jean-Claude Van Damme, Donald Gibb, Forest Whitaker
    Usuários
    4,3
    Assista agora

    ELE RECUSOU ZUMBILÂNDIA

    Prime Video / Sony Pictures Releasing France

    Nas palavras do próprio Jean-Claude Van Damme, esse foi "o maior erro de sua carreira". Embora a rejeição de um contrato de 36 milhões de dólares tenha sido provavelmente mais prejudicial, seu arrependimento por não ter aparecido em Zumbilândia em 2009 ilustra o impacto da enorme participação do filme na cultura pop. Aviso de spoilers... Nesse caso, uma participação especial de Bill Murray, que faz uma aparição memorável como um sobrevivente do apocalipse zumbi (em seu próprio papel e vestido como morto-vivo para não ser incomodado) ao lado de Woody Harrelson, Jesse Eisenberg, Emma Stone e Abigail Breslin, com quem ele revisita uma sequência memorável de Os Caça-Fantasmas.

    Antes de ser confiado ao ator favorito de Wes Anderson, esse papel foi considerado para o falecido Patrick Swayze (que ficou doente nesse meio tempo), depois para várias estrelas de Hollywood que recusaram (Dustin Hoffman, Sylvester Stallone, Mark Hamill, Dwayne Johnson, Kevin Bacon ou Matthew McConaughey... e Jean-Claude Van Damme, portanto). Obviamente, lamentamos que JCVD não tenha aceitado essa autoparódia: vê-lo revisitar suas cenas mais memoráveis com o quarteto de Zombieland certamente teria sido hilário. Ele compensou isso alguns anos depois com a série Jean-Claude Van Johnson, na qual descobrimos que sua identidade como Jean-Claude Van Damme era apenas um disfarce para o mais formidável dos espiões, que se aproveitava de suas muitas filmagens para realizar suas missões.

    ELE RECUSOU MORTAL KOMBAT

    Capcom / New Line Cinema

    Jean-Claude Van Damme e Mortal Kombat têm uma longa história! Na verdade, na primeira obra da saga de videogame (1992), a aparência, o design e os movimentos do personagem Johnny Cage, o astro de filmes de ação envolvido nos confrontos sangrentos de Mortal Kombat, foram diretamente inspirados em Frank Dux, o campeão de Kumite interpretado por JCVD em O Grande Dragão Branco (1988).

    Quando o videogame foi adaptado para o cinema em 1995, era lógico que os produtores procurassem o astro belga para o papel. Jean-Claude Van Damme preferiu recusar a adaptação para participar de outro filme inspirado em videogame, Street Fighter, onde interpretou o Coronel Guile ao lado de Kylie Minogue. Assim, foi Linden Ashby quem herdou o papel de Johnny Cage do futuro diretor de Resident Evil, Paul W.S. Anderson.

    Quase trinta anos depois, em 2023, JCVD finalmente entrou no universo MK ao emprestar sua voz e seu rosto para o modelo de Johnny Cage no Kombat Pack adicional para Mortal Kombat 1.

    ELE QUASE ATUOU EM O DEMOLIDOR

    Universal Pictures / Warner Bros.

    Jean-Claude Van Damme em O Demolidor? Isso quase aconteceu no início dos anos 90, quando o projeto estava em desenvolvimento. Na época, JCVD, no papel do vilão Simon Phoenix, deveria ter enfrentado não Sylvester Stallone - que ainda não havia sido cortejado pela equipe de produção - mas Steven Seagal, a primeira escolha dos estúdios em um roteiro que Van Damme revelou ser bem diferente do filme final.

    No final, o público foi brindado com um confronto explosivo entre Wesley Snipes (depois que Jackie Chan o recusou) como Simon Phoenix, que era ultraviolento, e Sylvester Stallone como John Spartan, adepto de socos cruzados. E para finalmente ver um confronto entre Sly e JCVD, tivemos que esperar por Os Mercenários 2 em 2012, no qual o ator interpreta o apropriadamente chamado "Villain" (Vilão) ao lado de Barney Ross e seu esquadrão de mercenários.

    ELE SE RECUSOU PARTICIPAR DE CHIEN

    Universal Pictures / Paradis Films

    Lançado em 2018 e adaptado por Samuel Benchetrit de seu próprio romance, Chien é um filme franco-belga que acompanha o encontro entre um homem perdido e o dono de um pet shop e treinador de cães que o acolhe... e o transforma em seu animal de estimação. O tom cruel e absurdo do filme dividiu a crítica e o público. Mas também levantou questões sobre Jean-Claude Van Damme, que foi inicialmente abordado para o papel do treinador de cães. JCVD não estava de acordo com o diretor em relação ao seu personagem e ao filme em geral.

    "Quando escrevi o livro, tinha a imagem de Chuck Norris na cabeça: essa figura assustadora de um homem que tem certeza de seus fatos e que nunca desistirá. Nesse caso, esse treinador que foi decepcionado pelos homens - e provavelmente ainda mais pelas mulheres - jura pelos animais e pela autoridade violenta que exerce sobre eles. Ele fala sobre os animais da mesma forma que pensa sobre os homens", explica Samuel Benchetrit. "Fisicamente, Jean-Claude parecia perfeitamente adequado ao que eu tinha em mente. Mas logo percebi que não tínhamos a mesma visão das coisas. Não sei se ele realmente entendia o filme que eu queria fazer, ou os recursos financeiros disponíveis para mim! Então, nos separamos amigavelmente". O diretor finalmente deu o papel a Bouli Lanners, que ele já havia dirigido, contracenando com o "cachorro" Vincent Macaigne.

    ELE QUASE INTERPRETOU WOLVERINE

    Metropolitan FilmExport / 20th Century Fox

    No final dos anos 90, quando a Fox estava trabalhando no projeto de adaptar os X-Men para a tela grande, a questão de quem interpretaria Wolverine era um dos principais problemas de elenco. Embora Russell Crowe tenha sido a escolha inicial do estúdio (ele recusou a oferta), outros grandes nomes de Hollywood foram considerados para assumir as garras do mutante favorito dos fãs. Mel Gibson, Bob Hoskins, Keanu Reeves, Viggo Mortensen e Edward Norton estavam todos na lista, assim como Jean-Claude Van Damme, que acabou sendo recusado por causa de seu sotaque.

    O australiano Dougray Scott, que poderia ter estourado no cenário internacional, acabou perdendo o papel devido a um conflito de agenda com Missão Impossível 2, onde interpretou com Tom Cruise. Assim, foi um ator desconhecido, seu compatriota Hugh Jackman, que herdou o personagem, com o sucesso que todos nós conhecemos (nove aparições e um retorno muito aguardado em Deadpool 3, contracenando com Ryan Reynolds). Mas, convenhamos, quase tivemos um Wolverine belga muito (muito) flexível!

    ELE QUASE CONTRACENOU COM FRANCK DUBOSC

    Paramount Pictures France / Daniel Angeli

    Em 2007, após o primeiro Camping e seu enorme sucesso popular (quase 5,5 milhões de ingressos vendidos), Franck Dubosc, o diretor Fabien Onteniente e os roteiristas Philippe Guillard e Emmanuel Booz desenvolveram um projeto ambicioso chamado Le Mexicain. Em outras palavras, uma trilogia de aventuras liderada por uma dupla tão incompatível quanto complementar, inspirada nos filmes de Philippe de Broca, como O Homem do Rio.

    Diante de Franck Dubosc, a ideia de contratar Jean-Claude Van Damme para formar a outra parte da dupla explosiva foi fortemente considerada. No final, o projeto Le Mexicain não se concretizou, e Onteniente e Dubosc se reuniram em Nos Embalos da Disco, Camping 2, Camping 3 e Tá Tudo Incluido. JCVD passou a estrelar várias comédias francesas: Problemas de um Dorminhoco, Beur sur la ville e O Último Mercenário.

    ELE DEIXOU O SET DE PREDADOR

    Twentieth Century Fox

    Era 1987, e Jean-Claude Van Damme ainda não havia "explodido" graças a O Grande Dragão Branco e Kickboxer. Destacado por seu papel de vilão em Retroceder Nunca, Render-se Jamais, foi-lhe oferecida a chance de interpretar outro antagonista ao lado de Arnold Schwarzenegger: o O Predador. Infelizmente para o lutador de caratê belga, cujo sonho era brilhar em batalhas no estilo Dante contra Schwarzenegger, ele ficou desiludido. "O traje desconfortável e sufocante da criatura alienígena é ridículo, para dizer o mínimo. Pareço um super-herói", explodiu o ator.

    E as explicações do diretor John McTiernan e do chefe de efeitos especiais o decepcionaram ainda mais: ele descobriu que ficaria invisível durante quase todo o filme (lembre-se de que o Predador tem um dispositivo furtivo em seu arsenal de alta tecnologia)! Essa frustração gerou grande tensão, e Jean-Claude Van Damme acabou deixando o projeto. Quanto ao design da criatura, ele foi reformulado e outro grande ator (Kevin Peter Hall, 2m19) vestiu o traje, oferecendo aos fãs de ficção científica um dos monstros mais impressionantes do gênero. Mas sem JCVD, que conquistaria Hollywood no ano seguinte com O Grande Dragão Branco.

    Fique por dentro das novidades dos filmes e séries e receba oportunidades exclusivas. Participe do nosso Canal no WhatsApp e seja um Adorer de Carteirinha!

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Back to Top