Minha conta
    O dilema que a Apple enfrenta com o Will Smith após o polêmico tapa do Oscar
    22 de set. de 2022 às 00:00
    Giovanna Ribeiro
    Giovanna Ribeiro
    -Redação
    Aprendeu com Amélie Poulain a ir ao cinema sozinha às sextas e observar a reação do público. Mas, no fundo, queria mesmo era ser o Rocky Balboa.

    Smith é a estrela de Emancipation, que a Apple TV+ imaginou ser um candidato infalível ao Oscar. Mas isso foi antes do tapa, e agora os executivos da empresa não sabem o que fazer com o filme.

    O mundo parou quando, na última edição do Oscar 2022, Will Smith subiu ao palco, não para receber a estatueta a qual concorria – que eventualmente levou, de Melhor Ator por King Richard, a primeira de sua carreira – mas, para dar um tapa em Chris Rock, comediante norte-americano que apresentava a categoria da vez. Chris fez uma piada sobre a esposa de Will, Jada Pinkett Smith, que sofre de uma doença autoimune, condição que levou à perda de seu cabelo. Will não gostou nada da piada, e teve uma reação que, em meio a uma premiação recheada de acontecimentos marcantes, roubou a cena.

    O ato não ficou impune. E mesmo levando o Oscar de Melhor Ator, a Academia anunciou nos dias seguintes, que Smith estaria banido da premiação pelos próximos 10 anos e o próprio ator, antes mesmo desse anúncio, já tinha renunciado como membro da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood. O ato e os desdobramentos rendem até hoje, atingindo não só o ator e sua família, mas agora também ganhando contornos comerciais complicados.

    Will Smith e Jada Pinkett Smith na cerimônia do Oscar de 2022.

    Dirigido por Antoine FuquaEmancipation era grande aposta da Apple TV+ para o Oscar do próximo ano. Mas o tapa de Will Smith fez a empresa adiar o lançamento para 2023, segundo o que apurou a revista Variety, para se afastar das controvérsias que envolvem o ator e a premiação. Ainda segundo a revista, este seria mais um grande trabalho de Will, e poderia o levar novamente a ganhar a estatueta de melhor ator. 

    O drama se passa durante a Guerra Civil americana, e acompanha a jornada de um escravo fugitivo, que atravessa os pântanos da Louisiana em um caminho tortuoso, para escapar dos proprietários de plantações que quase o mataram. A produção, na qual a Apple supostamente gastou US$ 120 milhões, ainda pode estar elegível para a próxima temporada de premiações se for lançada este ano. No entanto, os executivos da empresa discutem a viabilidade de lançar no final de 2022, ou esperar para 2023, considerando ainda que, mesmo que o filme seja lançado e ganhe um Oscar, Smith não estaria presente na cerimônia.

    Chris Rock e Will Smith ainda não se entenderam.

    Outros fatores como atraso na pós-produção podem contar para essa decisão. Mas, em fontes ouvidas pelo Times, a Apple montou uma exibição de teste para avaliar a reação do público, e o filme recebeu reações positivas, inclusive pelo desempenho de Smith, e que os espectadores não ficaram desanimados com o comportamento recente do ator. Acerca do tapa, Smith pediu desculpas a Rock e enviou um vídeo para o YouTube, além de falar extensivamente sobre o assunto. Chris Rock, segundo o próprio Will, ainda não o perdoou pelo acontecido.

    Emancipation
    Emancipation
    Criador(es): Antoine Fuqua
    Com Will Smith, Ben Foster, Steven Ogg, Mustafa Shakir, Charmaine Bingwa
    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top