Minha conta
    Din e o Dragão Genial: Animação chinesa da Netflix tem conexão com Aladdin?
    Por Nathalia Jesus — 12 de jun. de 2021 às 15:15

    Estrelado por Constance Wu, John Cho e Jimmy Wong, o filme acompanha um jovem trabalhador que encontra um ser mágico preso em um bule.

    Din e o Dragão Genial é o novo filme da Netflix produzido por Jackie Chan e faz parte da crescente onda de animações chinesas lançadas nos últimos anos. Dublado por Jimmy Wong, John Cho e Constance Wu, o longa-metragem acompanha Din, um estudante de 19 anos que está apenas começando a vida, e o dragão Long, que tem milhares de anos e dedica sua vida a realizar os sonhos dos seres humanos. No filme, o rapaz encontra um bule e descobre que o dragão pode concedê-lo três desejos. Assim, ele decide usar uma dessas chances para reencontrar Li Na, sua melhor amiga de infância, a qual ele não vê há anos. No entanto, a jovem vive em uma realidade totalmente diferente da sua, fazendo com que a dupla enfrente muitos desafios para alcançá-la.

    Desde o lançamento do primeiro trailer, Din e o Dragão Genial tem sido comparado com Aladdin, devido às similaridades do enredo como, por exemplo, um protagonista pobre apaixonado por alguém acima de sua classe social, além de um ser mágico preso em um artefato e com capacidade de conceder três desejos. Mas será que tem alguma ligação com a famosa animação da Disney?

    Din e o Dragão Genial tem relação com Aladdin?

    Sim, o novo filme da Netflix é inspirado em Aladdin. Isso porque o diretor e roteirista Chris Appelhans visitou Shanghai, na China, há 20 anos atrás e, durante a viagem, descobriu que o conto clássico da Disney era originalmente baseado em contos folclóricos chineses. A história que inspirou ambas as produções acompanha um jovem camponês que mora com a mãe em um bairro humilde, encontra um gênio capaz de realizar desejos e, junto com a figura mitológica, vive muitas aventuras e lutas de classe quando se apaixona por uma princesa. Foi então que o cineasta, junto com um amigo, começou a fazer pesquisas para desenvolver o filme, focando nas rápidas transformações sociais e locais que aconteciam em Shanghai, incluindo construções semi-demolidas nos bairros que estavam sendo gentrificados. “Voltamos três meses depois para fazer mais pesquisas e eles sumiram, completamente substituídos por um shopping. E essa foi a inspiração para a história: quando o mundo está mudando tão rápido, como você se orienta? Como você descobre o que é importante para você quando tudo é possível?” Do mesmo estúdio de Homem-Aranha no Aranhaverso e da recente animação A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas, que conta com o primeiro protagonista LGBTQ+ da Sony, Din e o Dragão Genial está disponível no catálogo da Netflix desde a última sexta-feira, dia 11 de junho. Já Aladdin pode ser encontrado na Disney+, assim como outros aclamados filmes clássicos do estúdio.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top