Meu AdoroCinema
    Marvel: Qual a importância de Sam Wilson para a Fase 4 do MCU?
    Por Raphael Fernandes — 3 de jun. de 2021 às 22:00

    O herói estrelou uma minissérie no Disney+ e será o protagonista do quarto filme solo do Capitão América nos cinemas.

    Após o encerramento da minissérie Falcão e o Soldado Invernal, a Marvel confirmou o desenvolvimento do quarto filme solo do Capitão América, dessa vez com Sam Wilson (Anthony Mackie) como o protagonista. De acordo com o Hollywood Reporter, Malcolm SpellmanDalan Musson serão os responsáveis pelo roteiro do longa-metragem. Ainda não há informações sobre o elenco, mas é provável que Bucky Barnes (Sebastian Stan), Joaquin Torres (Danny Ramirez), Agente Americano (Wyatt Russell), Condessa Valentina Allegra de Fontaine (Julia Louis-Dreyfus) e Sharon Carter (Emily VanCamp) participem da continuação.

    A confirmação do filme veio em um momento muito importante para a Marvel. Após a partida precoce de Chadwick Boseman, o MCU ficou órfão de um personagem negro que fosse o protagonista. Apesar do Máquina de Combate (Don Cheadle), Shuri (Letitia Wright) e Nick Fury (Samuel L. Jackson) serem importantes para inúmeros títulos do universo cinematográfico, eles nunca foram os destaques de suas próprias histórias. Isso também ocorria com o Sam Wilson, que era o fiel escudeiro de Steve Rogers (Chris Evans). Entretanto, após os eventos de Vingadores: Ultimato e Falcão e o Soldado Invernal, a história acaba mudando de cenário e Sam assume o manto de Capitão América, tornando-se um personagem importante para ser aproveitado nas próximas fases da Marvel que virão aí.

    A Era dos Capitães na Marvel

    Em Vingadores: Ultimato, os heróis mais poderosos da Terra sofreram grandes perdas na liderança do grupo. Enquanto Tony Stark (Robert Downey Jr) se sacrificou para salvar o universo, Steve Rogers voltou no tempo para se casar com Peggy Carter (Hayley Atwell) e viver o restante de sua vida com ela. Especulavam-se que Capitã Marvel (Brie Larson) e Pantera Negra pudessem substitui-los no comando dos Vingadores, na próxima fase do MCU.

    Entretanto, Sam Wilson deve ocupar o lugar de T’Challa nos cinemas. Será interessante acompanhar a relação dos dois personagens no poder do grupo. Ao contrário do Homem de Ferro e Capitão América, que já protagonizaram uma guerra civil, os dois capitães prometem ter uma relação mais saudável e de cooperação. Como a Marvel gosta de formar casais em seu universo, talvez possa até surgir uma relação entre os dois.

    Por muito tempo, o Falcão foi visto como um personagem secundário dos Vingadores. Inclusive, muitas fãs criticaram a Marvel por entregar o escudo do Capitão América ao herói renegado. Para corrigir isso, a casa das ideias não perdeu tempo e produziu uma minissérie para o Disney+, desenvolvendo todos as características pendentes do personagem. Em seis episódios acompanhamos as motivações, a história e família de Sam Wilson, que ajudou o público a conhece-lo mais e depositar um voto de confiança em sua jornada com o manto mais histórico do MCU.

    Foi uma estratégia acertada da Disney em usar sua plataforma de streaming como um canal para acompanhar a transição dos heróis para um nível de excelência que ainda não tinha sido mostrado nos cinemas. Enquanto Wanda Maximoff se transformou na poderosa Feiticeira Escarlate, o Falcão subiu de nível e assumiu o escudo do Capitão América.

    Será que os Estados Unidos aceitará um Capitão América Negro?

    “Eles nunca permitirão que um homem negro seja o Capitão América. E mesmo se o fizessem, nenhum homem negro que se preze iria querer ser”, afirma Isaiah Bradley, o primeiro super-soldado negro da história. Ao invés de se frustrar, Sam Wilson encara essas palavras como uma motivação para aceitar a responsabilidade e tentar proporcionar uma mudança efetiva no mundo da sua maneira. Ele não será o Capitão América Negro, mas sim o Capitão América que tentará mostrar ao mundo que não importa a raça, religião ou gênero da pessoa, afinal, todos são iguais. Apesar do julgamento que ele enfrentará, basta apenas ter um bom coração e determinação para ficar de pé, seguir em frente e salvar o mundo. Um exemplo disso é o próprio Steve Rogers, seu amigo de longa data, que já era um herói antes do super soro. Apesar de ser franzino, ele pulou em cima de uma granada para salvar seus companheiros, em Capitão América: O Primeiro Vingador.

    “Sou um homem negro usando as estrelas e listras. Sempre que levanto essa coisa, eu sei que tem milhões de pessoas que vão me odiar por isso. Até agora aqui eu sinto os olhares, julgamento e não tem nada do que eu possa fazer para mudar, mas ainda estou aqui. Sem super soro, nem cabelos loiros, nem olhos azuis. O único poder que eu tenho é que eu acredito que podemos fazer melhor”, conclui Sam Wilson, o Capitão América.

    facebook Tweet
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top