Minha conta
    RioContentMarket 2016: Guel Arraes revela seu orgulho pelo momento do cinema pernambucano e da filha, Luisa Arraes (Exclusivo)
    Por Rodrigo Torres — 13 de mar. de 2016 às 09:09

    Diretor de O Auto da Compadecida também comenta o momento da televisão no país.

    Jornal do Tocantins

    O painel da Globo Filmes no RioContenMarket 2016 contou com a presença ilustre dos cineastas veteranos que compõem seu núcleo curador: Fernando Meirelles, que participou do evento via Skype; José Alvarenga Jr., que revelou grande empolgação com o futuro do cinema nacional e seu novo projeto, a minissérie de horror SupermaxCacá Diegues, que antecipou quando estreia (o aguardado e polêmico) O Grande Circo MísticoGuel Arraes, um dos fundadores da empresa e que, com muita simpatia, também conversou com exclusividade com o AdoroCinema.

    "Sem projeto no cinema, só TV", disse o diretor de O Auto da Compadecida e Lisbela e o Prisioneiro. Também, pudera: a especialidade do autor pernambucano sempre foi a televisão, onde surgiu como um nome revolucionário, há cerca de três décadas, e na qual acredita muito nas mãos de seus sucessores e contemporâneos: "Tanto diretores consagrados, como Luiz Fernando Carvalho, como jovens talentosos, como Flávia Lacerda, estão aí inovando", opinou.

    Sophie Charlotte e Luiza Arraes em cena de Reza a Lenda.

    Guel Arraes disse ainda que as séries de televisão nacionais "já estão se desenvolvendo", observando: "A Globo já está variando bastante o seu cardápio de seriado, mas a gente tem uma coisa que é totalmente diferente de todo mundo, que é a novela." Segundo Arraes, isto explica o fato de um dos aspectos mais inovadores por lá, a continuidade de uma só história ao longo de cada temporada ou de uma série inteira, é algo que "a gente faz há 60 anos". "A gente tem que pensar em fazer televisão no Brasil, se a gente pensar muito em ficar copiando, a gente pode quebrar a cara. A televisão brasileira é muito diferente, muito própria."

    Por fim, Guel Arraes comentou duas coisas que lhe dão muito orgulho no momento: o cinema pernambucano, com o qual diz não ter ligação artística, mas admirar muito e se sentir tocado pessoalmente, por gente como Kléber Mendonça Filho, Marcelo Gomes, Gabriel Mascaro, Hilton Lacerda, Renata PinheiroLírio Ferreira e tantos outros; e a carreira de sua filha, Luisa Arraes.

    "Muito lindo, muito lindo... E fazendo um caminho próprio, né?", comentou o pai-coruja, que viu a filha crescer sozinha após estrear, pequenininha, numa participação em Lisbela e o Prisioneiro. Hoje, ela ganha espaço tanto na TV, na novela "Babilônia", e no cinema, onde estrelou o recente Reza a Lenda. Se Guel aconselha? Muito pouco. "A gente conversa normalmente sobre teatro, cinema, muito pouco sobre o nosso trabalho. Mais para trocar experiências".

     

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top