Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Oscar 2020: Relembre momentos marcantes da história da Academia
    Por Caqui Bandeira — 12 de fev. de 2020 às 18:15
    facebook Tweet

    Parasita não foi o único que deixou sua marca nos últimos anos.

    Desde as vitórias de Parasita no Oscar do último domingo, a festa de Hollywood ficará lembrada como uma das mais revolucionárias dos últimos anos. Para não mencionar só estas, vamos relembrar os 92 anos dos prêmios da Academia e alguns dos momentos que ficaram marcadas na história.

    Parasita foi o grande ganhador da noite, mas também de toda a história da Academia. Ao levar o prêmio de Melhor Filme, ele se tornou o primeiro longa estrangeiro a levar a estatueta nesta categoria, além de ser o primeiro produzido por uma equipe não-branca a vencer. Bong Joon Ho também entra neste meio, já que depois de domingo, empatou com Walt Disney como os cineastas a ganharem o maior número de estatuetas em uma só cerimônia.

    Ao ganhar na categoria de Melhor Roteiro Adaptado, Taika Waititi se tornou o primeiro homem de descendência Maori a levar um prêmio para casa. Já durante a cerimônia, Zach Gottsagen foi a primeira pessoa com Síndrome de Down a subir no palco para apresentar uma categoria, e a maestra Eímear Noone foi a primeira condutora a se apresentar no Oscar.

    Falando em mulher, vamos para alguns momentos em que elas brilharam no palco do Oscar (mesmo ainda tendo muito caminho pela frente até alcançarem o reconhecimento já merecido que não recebem). Foi em 1973 que uma produtora foi indicada pela primeira vez ao prêmio de Melhor Filme. Julia Phillips não só foi nomeada como também ganhou por seu trabalho em Golpe de Mestre. Mas foram muitas décadas depois até uma mulher ganhar por direção. Esta foi Kathryn Bigelow por Guerra ao Terror, em 2010, a única no total de cinco mulheres indicadas nesta categoria ao longo dos anos.

    Já em questão de atuação, Halle Berry até hoje é a única mulher negra a ter ganhado a estatueta de Melhor Atriz, lá em 2001, enquanto Fernanda Montenegro foi a primeira mulher sul americana a ser indicada em categorias de atuação, após 70 anos de premiação. Falando em latinos, Alfonso Cuarón foi o primeiro diretor a ser nomeado Melhor Diretor, por Gravidade, na cerimônia de 2003. Apesar de a Academia ainda não ter homenageado um diretor negro, Steve McQueen (que dirigiu 12 Anos de Escravidão), levou o prêmio de Melhor Filme como produtor do longa. 

    Os últimos 20 anos de fatos foram os que a Academia mais mostrou mudança e aumentou a representatividade. Não só a maioria destes momentos listados acima aconteceram durante este período, mas também foi durante este tempo que Quem Quer Ser Um Milionário se tornou o primeiro filme com o elenco não-branco a ganhar o maior prêmio da noite, e foram mais 8 anos até que Moonlight: Sob a Luz do Luar ganhasse como melhor filme, tornando-se o primeiro longa com elenco negro a vencer nesta categoria - isso há 4 anos atrás.

    Apesar de estar caminhando para mudanças, a Academia ainda tem muito o que melhorar. A falta de representatividade segue sendo uma grande questão não só entre os filme que chegam a ser indicados, mas também os que são produzidos. 

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top