Meu AdoroCinema
    12 Anos de Escravidão
    12 Anos de Escravidão
    Data de lançamento 21 de fevereiro de 2014 (2h 13min)
    Direção: Steve McQueen (II)
    Elenco: Chiwetel Ejiofor, Michael Fassbender, Benedict Cumberbatch mais
    Gêneros Drama, Histórico
    Nacionalidade EUA
    Ver o trailer
    Assista agora
    Imprensa
    3,9 28 críticas
    Usuários
    4,6 2913 notas e 158 críticas
    Adorocinema
    4,5
    notar :
    0.5
    1
    1.5
    2
    2.5
    3
    3.5
    4
    4.5
    5
    Vou ver

    Sinopse e detalhes

    Não recomendado para menores de 14 anos

    1841. Solomon Northup (Chiwetel Ejiofor) é um escravo liberto, que vive em paz ao lado da esposa e filhos. Um dia, após aceitar um trabalho que o leva a outra cidade, ele é sequestrado e acorrentado. Vendido como se fosse um escravo, Solomon precisa superar humilhações físicas e emocionais para sobreviver. Ao longo de doze anos ele passa por dois senhores, Ford (Benedict Cumberbatch) e Edwin Epps (Michael Fassbender), que, cada um à sua maneira, exploram seus serviços.

    Título original

    12 Years a Slave

    Distribuidor DISNEY / BUENA VISTA
    Ver detalhes técnicos
    Ano de produção 2013
    Tipo de filme longa-metragem
    Curiosidades 16 curiosidades
    Bilheteria no Brasil 496 119 entradas
    Orçamento 20 000 000 $
    Idiomas Inglês
    Formato de produção -
    Cor Colorido
    Formato de áudio -
    Formato de projeção -
    Número Visa -

    Assista ao filme

    Online
    Assista agora
    Veja todos os filmes online

    Críticas AdoroCinema

    4,5
    Ótimo
    12 Anos de Escravidão

    Luta constante

    por Lucas Salgado
    12 Anos de Escravidão chega aos cinemas aproximadamente 126 após a abolição da escravatura no Brasil, que ocorreu com a Lei Áurea de 1888. Os Estados Unidos acabaram com a escravidão algumas décadas antes, em 1863, mas em um processo bem mais conflituoso, que gerou uma guerra que dividiu o país. 1863 e 1888... faz tanto tempo que era de se esperar que o racismo não fosse um problema ainda tão presente em nossa sociedade. É claro que melhorou, como mostra a eleição de um afrodescendente para o posto de presidente dos EUA, mas situações como a do jogador de futebol Tinga, que ouviu a torcida peruana imitando macacos toda vez que tocava na bola em um jogo pela Libertadores 2014, ou do negro agredido, despido e acorrentado em um poste no Rio de Janeiro, mostram porque trata-se de um filme muito atual. E que merece ser assistido.Solomon Northup (Chiwetel Ejiofor) é um negro liberto que vive c...
    Ler a crítica
    12 Anos de Escravidão Trailer Legendado 2:31
    12 Anos de Escravidão Trailer Legendado
    61 684 visualizações
    12 Anos de Escravidão Trailer Original 2:28
    12 Anos de Escravidão Teaser Original 0:48

    Entrevistas, making-ofs e cenas

    12 Anos de Escravidão Featurette Original 7:31
    12 Anos de Escravidão Featurette Original
    1 764 visualizações
    AdoroHollywood: Cobertura do Oscar 2014 3:40
    AdoroHollywood: Cobertura do Oscar 2014
    677 visualizações
    6 vídeos
    Pela web

    Elenco

    Chiwetel Ejiofor
    Personagem : Solomon Northup
    Michael Fassbender
    Personagem : Edwin Epps
    Benedict Cumberbatch
    Personagem : Ford
    Sarah Paulson
    Personagem : Sra. Epps
    Ficha completa

    Críticas de usuários

    Harisson G.
    Crítica positiva mais útil

    por Harisson G., em 10/01/2014

    5,0Obra-prima
    12 Anos de Escravidão não é apenas um filme e sim uma obra literária, poética e histórica. O filme é puramente ...
    Leia mais
    Rídel Rodrigo
    Crítica negativa mais útil

    por Rídel Rodrigo, em 21/05/2014

    0,5Horrível
    Sinceramente, esse filme não foi merecedor do Oscar de Melhor Filme. Só ganhou por causa da mensagem que passa. O ...
    Leia mais
    Todas as críticas de usuários
    49% (77 críticas)
    33% (52 críticas)
    12% (19 críticas)
    4% (7 críticas)
    1% (1 crítica)
    1% (2 críticas)
    Você assistiu 12 Anos de Escravidão ?
    158 Críticas de usuários

    Fotos

    29 Fotos

    Curiosidades das filmagens

    Origens

    Esta não-ficção, baseada em um livro de memórias escrito em 1853, também foi a fonte do telefilme de 1984, American Playhouse: Solomon Northup's Odyssey, estrelado por Avery Brooks.

    Terceira parceria

    Este é o terceiro filme do diretor Steve McQueen com o ator Michael Fassbender, depois de Hunger e Shame.

    A elaboração da história

    O diretor Steve McQueen estava moldando a ideia de escrever um roteiro sobre a escravidão, caracterizando um homem nascido livre e posteriormente forçado à escravidão, mas ele estava com dificuldades para escrever quando sua esposa encontrou a biografia de Solomon Northup e deu a ele. Chocado sobre o fato de que nunca havia ouvido falar de Northup, o diretor resolveu adaptar o livro como roteiro.
    16 curiosidades

    Últimas notícias

    Confronto ou conciliação: como os filmes de Hollywood lidam com o racismo (Opinião)
    NOTÍCIAS - Lançamentos
    segunda-feira, 4 de março de 2019
    Dicas do Dia: The Handmaid's Tale e O Rei do Show são os destaques
    NOTÍCIAS - Lançamentos
    terça-feira, 12 de fevereiro de 2019
    12 Anos de Escravidão também está na programação.
    Dicas do Dia: Capitão América: Guerra Civil e The Ballad of Buster Scruggs são os destaques de hoje
    NOTÍCIAS - Lançamentos
    sábado, 17 de novembro de 2018
    Especial A Magia Nunca Acaba também está na programação.
    114 Notícias e Matérias Especiais

    Se você gosta desse filme, talvez você também goste de...

    Mais filmes similares

    Comentários

    • Pedro Araujo
      Vai dormir...
    • Senhor Ivan
      Realmente!
    • Andries Viljoen
      Desesperador!!!! Por meio desses filmes é que recapitulamos e vemos como o ser humano é desumano. Dá um nó na garganta, aperto no coração e raiva.sem palavras para descrever o que sentimos vendo essa obra prima.. triste realidade
    • Andries Viljoen
      Esta não-ficção, baseada em um livro de memórias escrito em 1853, também foi a fonte do telefilme de 1984, American Playhouse: Solomon Northup's Odyssey, estrelado por Avery Brooks. Esse filme, eu queria que fosse só um filme - e não a vida de alguém. Nas cenas em que negros cantam em filmes sobre escravidão ou racismo, parece que eles invocam toda a dor de dentro. Chega arrepiar (Vide a cena de enterro de um escravo)!Para entender e sentir 12 Anos de Escravidão, é preciso antes perceber que ser escravo no filme não é só ser traficado do seu país, retirado de sua vida e obrigado a realizar trabalho forçado em condições desumanas com pessoas que te tratam feito uma verdadeira mercadoria. É também ser escravo de uma situação da qual não se pode controlar, ser escravo de pessoas horríveis que deliram ao ver o sofrimento humano, ser escravo de dogmas, ser escravo da mentira (que se torna necessária), ser escravo da vontade, cobiça e ambição alheia... Steve McQueen não nos apresenta apenas a situação da escravidão, mas nos apresenta, da maneira mais realista possível, como os escravos se sentiam dentro da situação e mais, ele nos faz sentir como eles. É impossível não se envolver no sofrimento de Solomon Northup, que, da noite pro dia, perde tudo o que tinha e tem sua vida mudada completamente; no sofrimento de Patsey, que sofre nas mãos da mulher de seu dono, por ser abusada pelo mesmo; de Elisa, que se vê separada (talvez para sempre) de seus filhos... Além disso, o filme acerta ao mostrar que os escravos não eram somente súditos, submissos à situação que viviam (como a maioria dos filmes nos mostra), ele mostra que eles também eram capazes de reagir e lutar com toda a força e vivacidade por aquilo que eles mais queriam e, como o filme tanto reitera, o que todos desejam e valorizam: a liberdade e a sobrevivência.Uma coisa é inegável: Steve McQueen não só toca numa das maiores feridas norte-americanas e de tantos outros países, como ele também afunda o dedo com força, até fazer com que todos nos sintamos culpados por essa que é uma das maiores manchas na história da humanidade.Benedict Cumberbatch, Brad Pitt e Michael Fassbender num mesmo filme? É muito pra mim! Lupita tá monstruosa - a dor que ela transmite na cena do sabonete é de tirar o folego e partir o coração. Oscar pra essa menina!A cena final te faz chorar como criança perdida no shopping. É preciso ter estômago para assistir certas cenas, a gente sempre imaginou como seria mas ver é totalmente diferente, é como se tivesse lá e não pudesse fazer nada. Não é fácil engolir a vergonha da humanidade ao assistir esse filme. Que sentimento sufocante.O público parece ter se acostumado a filmes maniqueístas, como dito, incomodando-se com produções mais frias. Há muitos dramas que falam por si só, não precisam de uma cobertura para serem mais apelativamente tristes, funcionando melhor se narrados com esta frieza. Mas grande parte do público prefere optar pelo mais fácil, prefere receber o grande incentivo às lágrimas, sem qualquer grande esforço para envolver-se com a trama narrada e atingirem-nas.O que percebo é que as pessoas se acostumaram com filmes bregas. Daqueles em que a trilha sonora faz de tudo pra te induzir a chorar, que os diálogos são cheios de frases de efeito, que o roteiro espreme todo o sofrimento nas cenas amorosas. Aí quando vem um filme no estilo de 12 anos de escravidão, o povo reclama porque quer ver coisa brega.E creio que foi bonito do jeito que fizeram: pouca trilha sonora nas cenas, os diálogos são mais próximos do real do que de um livro de romance adolescente, tudo é mais centrado nas atuações e na brutalidade do que acontecia na época. Excelente. E creio que a trilha tem um papel importantíssimo, parece discreta e ainda sim está sempre presente.E o filme traz, sim, uma perspectiva nova da escravidão: o sequestro de quem já era livre pra trabalhar como escravo outra vez. Quantos filmes já retrataram essa visão por aí? Olha, o filme não é sentimental, e te deixa com o coração na mão, diante de tanta crueldade exposta de forma tão crua.Considerei até original, porque as cenas são secas. Confesso, não chorei, mas o filme cria aquele sentimento de vergonha, de raiva pelos senhores de terra, por isso cumpre sua mensagem. A intenção ao meu ver não é chorar e sim transmitir essa sensação.O filme é excelente, tem interpretações monstruosas e sem dúvida vem com uma mensagem social mais que necessária. Mas, sofre de um problema: edição! A forma como foi montado é ruim demais. A história se passa dentro de um período de 12 anos, mas nós que assistimos não conseguimos pegar esse conceito. Se tivessem me dito que tudo ali aconteceu em 12 meses, eu teria aceito. Nada marca a passagem do tempo, para que possamos perceber o quão prolongado é o sofrimento do Solomon. Também senti isso, não entendi a passagem do tempo, pois em nenhum momento é dada alguma informação, só entendi que tinha passado o tempo pois Solomon em determinado momento aparece com os cabelos brancos. E não gostei da maquiagem do filme pois no final não há marcas do tempo ou das torturas sofridas pelo personagem.Faltou cronologia na história e muita coisa solta, sem explicação. Como quem leu o livro antes, ficará pensando em tudo o que faltava mas, se não tivesse feito isso, ficaria com muitas dúvidas. A questão da edição também pesa de maneira grave no final... E esperava muuuito mais do reencontro com a família, foi tão... seco. Na Verdade, o reencontro não foi digno... nem teria tido o encontro com a família, poderia ter terminado ele sendo levado pelo Oficial na Charrete enquanto olhava pra trás pra Pats.No livro, na cena em que o Solomon consegue sua liberdade de volta, a Patsey fala a ele, numa fala que para mim foi a mais emocionante do livro e que cortaram no filme, que seu sonho é ter a liberdade de sair quando quiser, de ter uma família e de poder ser feliz. E depois disso o Solomon explica que ela nunca teve essa liberdade, ou seja, que morreu escrava.Posto de lado esses problemas da edição e não tira os méritos e a emoção como um todo da filmagem, um dos melhores filmes do ano, sem dúvida.
    • Senhor Ivan
      Pra começar,o elenco desse filme é muito bem montado e apesar de ter muitos rostos conhecidos,todos tem espaço suficiente para se apresentar com dignidade e todos com personagens fundamentais na trama.Filme cruel,sensível e todo momento é emocionante.-05 de Março de 2018-Dou nota 9/10
    • rafahribeiro
      12 anos de escravidao um ótimo filme principalmente quando integra no elenco Lupita de pantera negra show como seu primeiro papel e alem de tudo ganhador de oscar, só vai dar TNT hoje em casa. 😃
    • Rayana S.
      Quando vi o trailer pensei "que filmaço, preciso ver" mas quando fui assistir me decepcionei bastante não vou mentir... Já vi filmes sobre exploração dos negros melhores que esse... Ator muito caras e bocas, chega nem perto do Solomon de "Diamante de sangue", personagem que me marcou muito
    • Jaqueline L.
      Excelente filme mereceu o oscar.
    • Humberto A.
      alguém me explica o final??? quando ele volta a mulher ja casou com outro?
    • Henrique Klein
      Este foi o primeiro filme indicado ao Oscar de 2014 que vi, e logo digo que não é o melhor da lista dos indicados, mas sim, é o mais emocionante. Emoção que por sinal é do começo ao fim, pois vimos quantos Brancos eram rudes. Chegando a conclusão, 12 Anos de Escravidão é um filme com uma bela atuação de Chiwetel Ejiofor, e também uma atuação legal de Michael Fassbender. O filme teve um grande roteiro, grande elenco, é um grande Drama e teve uma esplendida reflexão no final. 12 Anos de Escravidão é um brilhante filme, valeu mesmo às indicações e alguns Oscars ganhos.
    • Igor vieira
      Filme muito bom, grandes atuações, porém apela muito no sofrimento dos escravos. Não recomendo pra quem tem coração fraco
    • Leandro S.
      Alguem pode me informar se é verdade que esse filme não tem possui versão dublada,,, sei que muitos gostam de ver original mas e pra quem não sabe ler ou não acompanha as legendas com facilidades como idosos e pessoas com problemas de visão ..
    • Renan C.
      O filme toca em um tema bastante delicado, mas é bastante eficiente nisso. Steve Mcqueen ousou em escolher um tópico que é polêmico até os dias atuais, A consequência disso é um filme bem produzido, com atuações impecáveis ... visto que no filme os atores perceptivelmente estão no auge de suas atuações. Filme Memorável. Épico e atemporal.
    • Almir S.
      MUITO BOM. O filme é triste, forte, chocante e real. Infelizmente esses fatos mostrados no filme aconteceram muitas vezes no mundo inteiro contra os negros e o pior é que séculos podem ter se passado após a abolição da escravatura mas ainda hoje existem pessoas sendo escravizadas, independente da cor, mas ainda os negros sofrem preconceitos, isso acontece no nosso meio e muitos fingem não ver, hoje em dia não recebem chibatadas, mas o desprezo e palavras ditas pelos patrões, ferem até mais.
    • Wilken
      Steven McQueen me surpreendeu de novo.
    • El Miguel M.
      Esqueci de mencionar o ótimo ator do qual sou fá Paul Dano, um dos melhores atores da atual geração, a melhor cena dele é cantando Run Negro Run...
    • El Miguel M.
      O que falar de 12 anos. Um dos melhores dramas já feitos, acho que um dos melhores filmes já feitos na história americana. Ele é pesado, forte, impactante, ousado, com atuações fortes e marcantes. Chweitel Eijofor é uma revelação, uma atuação forte, boa, séria, o cerne do filme. Michael fassbender tem pinta de galã, igual Pitt, Cruise e Di Caprio, mas não tem a veia de mocinho, ele é bom mesmo como vilão, que atuação a dele, perfeito, se dedicou e se entregou muito a personagem, assistindo o filme você não duvida de suas convicções, mesmo elas sendo totalmente erradas e desumanas, eram assim que as coisas aconteciam naquela época, e quando você entende isso, ele, com sua atuação, não deixa você sentir ódio do que ele faz, você entende suas convicções, ele faz o mesmo com Magneto. Que ator é Michael. Lupita Nyongo é outra surpresa, aparece do meio do filme pra frente, mas te prende e faz você sentir toda dor e angústia dela, tem que ser uma atriz completa pra aceitar um papel desses, que mexe com o psicológico da pessoa, a cena em que ela é acoitada pelo Michael é de cortar o coração, é forte, é o ponto alto do filme. E o diretor, Steve Mcqueen fez o melhor trabalho da vida dele, uma obra que irá persistir por tempos e tempos, mesmo depois que morrermos. Uma obra de arte, uma prestação de serviço ás pessoas que estão vivas e ás que ainda irão nascer. Mereceu o Oscar de melhor filme com todos os méritos. E parabéns ao Brad Pitt, por ter acreditado no filme e produzido-o nos dando este presente em forma de sétima arte.
    • Drih S.
      12 Anos de Escravidão...que filme maravilhoso, sensacional, emocionante, magnifico, o melhor filme que eu ja assisti na minha vida. que história sensacional, que filme lindo, produção fantastica, Steve McQueen gênio, Brad Pitt e toda equipe de produção fizeram um trabalho sensacional, Lupita Nyong'o vencedora do Oscar de melhor atriz coadjuvante esta maravilhosa, ela interpreta seu papel com uma magia incrivel, ela é uma ótima atriz e Oscar merecido. Que pena que o Michael Fassbender não ganhou o Oscar de melhor ator coadjuvante, mais ele faz uma interpretação digna mesmo de um Oscar ele esta fantástico, agora o Chiwetel Ejiofor teve sua primeira indicação ao Oscar de melhor ator e na minha opinião ele deveria ter ganhado pq sua apresentação no filme é sem palavras, eu não sei quais palavras usar aqui para descrever sua maravilhosa atuação, o cara é um monstro, que interpretação foi essa. Todos os atores e atrizes do filme estão ótimos e atuam muito bem, tbm acho que o diretor Steve McQueen deveria ter levado o Oscar de melhor diretor mais tudo bem ficou em boas mãos. Tudo isso que eu escrevi sobre o filme ainda é pouco pela qualidade e justiça seja feita...12 Anos De Escravidão levou 2 Oscar em 2014 como melhor roteiro adaptado e melhor filme e ainda Lupita Nyong'o levou como melhor atriz coadjuvante.
    • Beatriz M.
      Como muitos disseram o filme é EMOCIONANTE, choreei praticamente durante todo o filme, é uma aula de história e que retratou a realidade vivida pelos escravos naquela época, aassistam!!!
    • Alisson V.
      um filme pesado... estou tão acostumado com filmes pesados mas esse foi muito pra mim... realidade nua e crua... a escravidão ainda não acabou e a mais nova é a religiosa!
    Mostrar comentários
    Back to Top