Meu AdoroCinema
    Sweet Tooth: Qual é a origem do vírus? Entenda o grande mistério na série da Netflix
    Por Bruno Botelho dos Santos — 7 de jun. de 2021 às 11:51

    Em Sweet Tooth, um menino que é híbrido de humano e cervo sobrevive em um mundo pós-apocalíptico com outros híbridos.

    Sweet Tooth é um dos maiores destaques em séries de junho na Netflix e está fazendo sucesso no catálogo do serviço de streaming, ocupando a primeira posição de produções mais assistidas. Ela é uma série de aventura, fantasia e ficção científica que é inspirada em uma HQ homônima da DC, pelo selo Vertigo, de Jeff Lemire e terminou sua primeira temporada com grandes revelações.

    Há dez anos, "O Grande Esfacelamento" causou estragos no mundo e levou ao misterioso surgimento de híbridos: bebês nascidos parte humanos, parte animais. Sem saber se os híbridos são a causa ou o resultado do vírus, muitos humanos os temem e caçam. Após uma década vivendo com segurança em sua casa isolada na floresta, Gus (Christian Convery), um menino-cervo acolhido, inesperadamente faz amizade com um viajante solitário chamado Jepperd (Nonso Anozie).

    Juntos, eles partem em uma aventura extraordinária pelas ruínas da América em busca de respostas: sobre as origens de Gus, o passado de Jepperd e o verdadeiro significado de um lar. Mas sua história é cheia de aliados e inimigos inesperados, e Gus logo aprende que o mundo exuberante e perigoso além da floresta é mais complexo do que ele imaginava. Uma das grandes questões da primeira temporada é sobre o surgimento do vírus, pensando nisso, o AdoroCinema vai explicar detalhadamente o assunto.

    Sweet Tooth: Primeiras impressões da série da Netflix
    Qual é a origem do vírus e a relação com os híbridos?

    O sétimo episódio de Sweet Tooth explica as origens de Gus. Birdie (Amy Seimetz) e Pubba (Will Forte), que se chamava, na verdade, Richard Fox, não são os pais biológicos de Gus, pois não nasceu de maneira tradicional. Ele foi um bebê de proveta cultivado a partir de micróbios únicos encontrados no gelo do Alasca pela geneticista Birdie no laboratório de ciências de Fort Smith. Eles foram injetados em ovos de galinha com a intenção de criar uma vacina contra hantavírus, objetivo de Birdie desde que seu marido morreu por causa de uma infecção com o vírus, mas acidentalmente acabou-se gerando um bebê híbrido.

    Birdie e Richard Fox trabalhavam em Fort Smith, mas nunca haviam realmente se falado antes da noite em que Gus foi resgatado do laboratório. Richard era um membro da equipe de manutenção que virou pai adotivo dele depois de se relacionar com Birdie em um bar uma noite por causa da paixão compartilhada por Grateful Dead. Quando Birdie soube que toda a sua pesquisa estava sendo removida do laboratório, Richard se ofereceu para ajudá-la a salvar seu projeto e acabou fugindo com Gus para salvá-lo.

    A conexão entre os híbridos e o vírus H5G9 não está totalmente clara no final da primeira temporada de Sweet Tooth. Judy (Jodie Rimmer) lembra que sua amiga, Birdie, disse uma vez que eram as duas faces da mesma moeda, e parece que ambos se originaram das descobertas no Alasca. Enquanto Gus foi criado no laboratório de Fort Smith, as outras crianças híbridas nasceram apenas um ano depois, ao mesmo tempo em que o vírus começou a dizimar a população mundial.

    Isso é apelidado de "pandemia híbrida", onde os bebês híbridos são culpados por serem a causa da doença. Mas isso não é verdade, pois Pubba vive com Gus por nove anos sem nunca ficar doente. Pode ser que dois tipos diferentes de micróbios tenham sido trazidos do Alasca: um que altera o DNA humano para criar híbridos humano-animal e outro que criou o vírus H5G9. Ou seja, ambos podem ser o resultado do mesmo vírus. Quando a pesquisa de Birdie foi retirada dela, pode ter havido uma tentativa de transformar o vírus em arma para uma guerra biológica que acabou vazando para o público, resultando na doença e nos bebês híbridos.

    5 filmes e séries para se preparar pro fim do mundo

    Nos quadrinhos de Jeff Lemire, o Dr. Singh (interpretado por Adeel Akhtar na série) diz que os pesquisadores no Alasca encontraram os restos mortais de uma antiga raça híbrida, chamados de Deuses, e usaram um de seus DNA para clonar Gus. A cepa H5G9 causadora da pandemia deve ter vindo veio junto com esses restos e se espalhou pelo mundo todo, como um acerto de contas para a humanidade.

    No final da primeira temporada, vemos Birdie no centro de pesquisas do Alasca, provavelmente buscando uma maneira de criar uma vacina para o vírus HG59. Ela pode acabar ajudando o Dr. Singh, que está em busca de uma cura.

    Os oito episódios da primeira temporada de Sweet Tooth estão disponíveis na Netflix.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top