Minha conta
    Ben-Hur: “Cada vez mais me sinto preenchido artisticamente, o que não acontecia no começo”, diz Rodrigo Santoro sobre Hollywood (Exclusivo)
    Por Renato Hermsdorff — 18 de ago. de 2016 às 08:23

    Ator interpreta Jesus na releitura do clássico de 1959, que estreia nesta quinta-feira.

    Depois de um início tímido em Hollywood, com uma pequena participação em As Panteras – Detonando (2003) – além da comédia romântica inglesa Simplesmente Amor (no mesmo ano) e no seriado Lost (2006) –, Rodrigo Santoro viu sua carreira inflar na indústria do cinema norte-americano.

    De lá pra cá, o ator brasileiro ganhou mais tempo de tela, com papéis de destaque na saga 300 (2006), em O Golpista do Ano (2009), Golpe Duplo (2015) – além (de novo) de estar associado a outros inúmeros projetos internacionais como Che (2008), Leonera (2008) e Os 33 (2015).

    Agora, ele sobe aos céus nos cinemas na pele de ninguém mais, ninguém menos, do que Jesus, em Ben-Hur, releitura do clássico de 1959 que papou 11 estatuetas do Oscar, que estreia nesta quinta-feira em mais de 1.100 salas de todo o país.    

    Getty Images
    Santoro e o protagonista, Jack Huston, na première brasileira do filme.
    Nada, no entanto, que tivesse sido planejado. “Eu não acordei um dia, botei a mochila nas costas e falei: ‘Vou trabalhar no exterior’”, ele atesta. Mas também não ficou jogando Pokémon Go (que nem sequer existia nesse período, a gente sabe). Santoro credita a ascensão ao trabalho duro, de quem não falava inglês – arranhava um “portunhol” – e se dedicou. “[Houve] Muitos sábados que eu gostaria de ter jogado bola e eu fiquei estudando”.

    Tive oportunidades para me expor mais (...), só que não me interessei. Então não quis fazer [determinados papéis], mesmo com a promessa de que pudessem me lançar”. O resultado? “Eu estou muito feliz com a carreira [em Hollywood], e cada vez mais me sinto preenchido artisticamente, o que não acontecia no começo”.

    Em entrevista ao AdoroCinema, concedida no início do mês em São Paulo, o ator – que tem Jane Got a Gun, Dominion e a série Westworld, pelo menos, para estrear por aqui –, ainda explica por que Ben-Hur 2016 não é uma refilmagem, defende seu Salvador, conta um pouco da experiência na aguardada série da HBO e, claro, comenta sobre sua aventura em Hollywood. Confira no vídeo acima.

     

     

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top