Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Disney+ coloca aviso de racismo em filmes clássicos
    Por Nathalia Jesus — 19 de out. de 2020 às 16:55
    facebook Tweet

    Animações infantis como Dumbo, Aristogatas e A Dama e o Vagabundo estão inclusos no alerta de discriminação racial na plataforma.

    A Disney+ - que já tem data para estrear no Brasil - agora vai exibir um aviso em filmes clássicos que tiverem quaisquer cenas ou estereótipos racistas. Entre os longas infantis que se enquadram na categoria, destacam-se DumboPeter Pan e Mogli: O Menino Lobo.

    A mensagem exibida na tela indica: “Este programa inclui representações negativas e/ou maus-tratos de pessoas ou culturas. Esses estereótipos estavam errados na época e estão errados agora." O anúncio ainda acrescenta que, ao invés de remover e fingir que não aconteceu, o serviço deseja "reconhecer seu impacto prejudicial, aprender com ele e iniciar conversas para criarmos juntos um futuro mais inclusivo".

    Disney+: Conheça todos os filmes e séries originais do streaming da Disney

    Não é a primeira vez que a empresa utiliza tais avisos. Em novembro do ano passado, a plataforma adicionou um alerta em seus conteúdos, sinalizando o racismo presente neles - no entanto, foi muito mais curto e menos contextualizado. O comunicado dizia: "Este programa é apresentado como originalmente criado. Ele pode conter representações culturais desatualizadas."

    Diferente da medida tomada atualmente, alguns filmes, como A Canção do Sul, jamais serão disponibilizados para transmissão no catálogo da Disney+ por causa do racismo contido nas histórias. Embora tenha como protagonista um personagem negro, o longa possui teor discriminatório e conceitos racistas sobre a escravidão, cultura afroamericana e a comunidade negra em geral. A representação no clássico perpetua um antigo mito racista de que os escravos eram felizes nas plantações de algodão. Em entrevista ao site ComicBook, Bob Ilge, presidente executivo da Walt Disney Company, explicou o motivo dessa decisão:

    "Senti, desde quando eu era ceo, que A Canção do Sul não era apropriado para o mundo atual, ainda que ele viesse com aquele alerta de contextualização histórica. Essa premissa também é verdadeira com outras produções que fizemos no passado. É difícil, considerando as representações em alguns desses filmes, trazê-los de volta hoje sem que isso se torne alguma forma de ofensa para as pessoas. Em virtude disso, decidimos não acrescentá-los à nossa grade."

    Clássicos da Disney com narrativas racistas

    Entre outros filmes que trazem o aviso, está A Dama e o Vagabundo, em que dois gatos siameses, Si e Am, são retratados de forma anti-asiática. Há também uma cena em um canil onde cães com sotaque forte retratam os estereótipos dos países de onde suas raças são - como Pedro, o Chihuahua mexicano, e Boris, o Borzoi Russo.

    O anúncio também está presente na transmissão de Peter Pan, em que o filme se refere aos nativos como "peles vermelhas", uma calúnia racista. Peter e os meninos perdidos também dançam com cocares, que a Disney atualmente diz que é "uma forma de zombaria e apropriação da cultura e imagens dos povos indígenas". Uma música chamada originalmente "O que torna o homem vermelho vermelho" também foi considerada ofensiva - mais tarde foi renomeada como "O que torna o homem corajoso corajoso".

    As animações da Disney, da pior à melhor

    Além disso, Dumbo também está incluso na categoria. O filme mostra um grupo de corvos que tem vozes negras estereotipadas e exageradas. O corvo principal se chama Jim Crow - uma referência a um conjunto de leis segregacionistas racistas no sul dos Estados Unidos na época - e é dublado pelo ator branco, Cliff Edwards.

    Assim como a Disney+ tem adotado essas regras de exibição, a Warner Bros trilha o mesmo caminho há muito tempo, em que alerta sobre discriminações étnicas e raciais em alguns de seus desenhos animados. "Embora esses desenhos não representem a sociedade atual, eles estão sendo apresentados como foram originalmente criados, porque fazer o contrário seria o mesmo que afirmar que esses preconceitos nunca existiram", diz o alerta do estúdio.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • Rodrigo o que?
      Remake não, não faz sentido fazer remake de filmes 2D já que envelheceram bem (mais talvez Live-action)
    • Rodrigo o que?
      Gente é óbvio que filmes de 50 anos atrás são problemáticos.Não se deve proibir e censurar mais sim colocar aviso de que: pode conter cenas ofensivas
    • Marco el Campeador
      Porra de remake, vai se foder seu viado.
    • Marco el Campeador
      Ou seja, os que tem a marcação são os melhores. Saudades de quando não havia mimimi.
    • Bruno
      Deviam logo proibir esses desenhos e fazer remakes! Ja pensou voce assistindo? Ah, isso é apropriacao cultural, ah, isso e racismo, ah, isso e machismo, ah, isso é..... Mas e o desenho papai? Perai, deixa eu lacrar.😂😂😂😂
    Mostrar comentários
    Back to Top