Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Coringa
    Críticas AdoroCinema
    5,0
    Obra-prima
    Coringa

    A risada do palhaço

    por Francisco Russo
    Quando Christopher Nolan assinou contrato para Batman Begins, trouxe consigo a proposta de uma aventura bem mais sombria, condizente com o clima pesado das ruas de Gotham City. Por mais que tenha sido extremamente bem sucedido, havia ainda limitações dentro de tal proposta no sentido de manter os filmes do Homem-Morcego dentro de uma classificação indicativa acessível a todo público. Em CoringaTodd Phillips vai além e entrega um filme sujo, corajoso e transgressor, tão condizente com a essência de seu personagem-título quanto com a ideia de uma Gotham City caótica, decadente e sem qualquer regra. Ainda bem.


    Neste sentido, é muito interessante como este Coringa dialoga com o histórico do personagem, tanto no cinema quanto nos quadrinhos. Sem qualquer referência prévia, trata-se de uma história original que reinventa características básicas do personagem, sem jamais modificá-lo de fato ou citar quaisquer de seus antecessores. Ao mesmo tempo, se apropria da memória coletiva em relação às versões anteriores, não propriamente no sentido de compará-los mas de saber previamente do que o personagem é capaz: o Coringa é doentio e não vê problema algum em ser extremamente violento, o espectador sabe bem disto. Tal consciência traz ao filme um clima de tensão onipresente, especialmente quando os primeiros indícios da eclosão do Palhaço do Crime começam a vir à tona.

    Por outro lado, Todd Phillips também manipula a narrativa de forma que a loucura do Coringa, ou melhor, de Arthur Fleck seja não apenas justificável como, em um primeiro momento, quase perdoável. A partir de um minucioso estudo de personagem acompanhamos a saga de Arthur a cada novo fracasso, assistindo à mudança da meiguice inicial de Joaquin Phoenix rumo a um personagem cada vez mais duro e decidido, em todas as etapas de uma transformação decorrente muito mais dos vícios da sociedade do que por falhas suas. Não há pressa em buscar sequências emblemáticas, apenas o tempo necessário para justificar cada passo dado. Quando elas surgem o mérito é todo do roteiro, por respeitar este tempo próprio de desenvolvimento, e, é claro, de Joaquin Phoenix, absolutamente soberbo.


    Se Phoenix tivesse apenas se sujeitado à transformação física e criado esta risada que provoca calafrios, seja pelo som emitido ou pela conjuntura de sua existência, já seria suficiente para um belo trabalho. Entretanto, ele vai além ao entregar uma variedade imensa de perfis multifacetados que compõem o personagem, provocando espanto e admiração em doses fartas. É como se este Coringa fosse uma evolução psicológica das versões anteriores, de Jack Nicholson e Heath Ledger, agora sem amarras para que possa soltar sua loucura e violência sem pudores. Simples assim.

    Paralelamente, o roteiro escrito por Scott Silver e o próprio diretor traz um verdadeiro achado, ao estabelecer um subtexto político em torno da transformação de Arthur Fleck no Coringa. Pouco a pouco, a luta de classes chega a Gotham City de forma absolutamente orgânica, com direito a uma referência deliciosa a Tempos Modernos, provocando um levante dos oprimidos junto à elite local, cujo representante maior é... Thomas Wayne. Sim, Coringa também passa pela origem do Batman, mais uma vez dialogando com a memória coletiva, entregando uma versão inédita de uma história pra lá de batida.


    Claramente inspirado nos filmes urbanos de Martin Scorsese, em especial Taxi Driver com sua estética das ruas e fotografia suja, Coringa ainda apresenta uma apurada direção de arte na construção deste filme de época e um figurino preciso, surrado e ao mesmo tempo recorrente às roupas e cores usuais do personagem-título. Em relação ao restante do elenco, claramente ofuscado por Phoenix, merece destaque a desenvoltura de Robert De Niro como o apresentador de TV Murray Franklin, óbvia referência (invertida) ao seu papel em O Rei da Comédia, dirigido pelo mesmo Scorsese lá em 1982.

    Violento e de uma efervescência política vibrante, Coringa é um novo capítulo na história do Palhaço do Crime que será lembrado por muitos e muitos anos. Entretanto, independente de sua ligação prévia, trata-se também de um filme brilhante pela forma como foi construído: a partir de um fundo psicológico calcado apenas na vida real, de forma que sua transformação seja verossímil não só em Gotham CIty, mas em qualquer cidade nas mesmas condições de desigualdade social. Fascinante.

    Filme visto no Festival de Toronto, em setembro de 2019.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema

    Comentários

    • Anderson d.
      Não gostei desse filme. Não me refiro a atuação do Joaquin que foi belíssima. Depois de Cavaleiro das Trevas é heresia fazer outro Coringa. Parecia que estava em uma mistura de alguns trechos de V de Vingança com A Origem em uma versão piorada. Transformou o pai do Bruce em um escroto. O Coringa é pra ter medo dele porque ele é maluco e não pena dele por ser maluco. Não indico esse filme pra ninguém.
    • Joker Lies
      Filme lindo e inesquecível.
    • Jerusa Moscardini
      Concordo quanto a questão da idade do Batman, sem lógica! Vi também outras situações inverossímeis, no trem com os palhaços sendo perseguido pelos detetives, ora... bastasse a roupa para indentificá-lo, não precisava de máscara como a dos outros palhaços, e quando ele, num programa de grande abrangência, confessa o assassinato de três pessoas, crime de grande repercussão, o apresentador continua a entrevista como se fosse uma coisa banal, até ser assassinado ali mesmo (nesse caso, até merecido). Entre outras situações, não vi nada que um louco não pudesse fazer. Tirando a atuação demolidora do ator, a novidade veio por conta do personagem, notável por sua maldade, como um pobre coitado, injustiçado, abusado, pobre, feio, sujo. Confesso, torci por ele.
    • Pedro Bá
      Roteiro até tem mas daria pra ser um filme de 40 minutos. Já seria suficiente! #paz rs!
    • Franklim c
      Excelente, eu tinha uma certa preocupação por causa do trailer, me pareceu que veria um Coringa muito mais triste do que psicopata, mas o filme faz o desenvolvimento psicológico que culmina no psicopata, de forma impecável.O Oscar pro Phoenix é natural, ao meu ver, a imersão dele no personagem é impressionante.Acho difícil levar melhor filme, considerando que tem um filme de guerra concorrendo e daí já viu (ainda não assisti).
    • Marcelo
      Não quero ser chato...mas vcs jogaram os games do Batman da série Arkhan? Também contam muita coisa do universo Batman...! Os jogos de video game nos dão, também, muitas respostas sobre a origem de diversos personagens. Filme, hj em dia, não é só filme. Tudo está interligado, de filmes à jogos...passando por seriados e revistas em quadrinhos...! Coringa é um excelente filme e um primor de roteiro, mas já conhecia esta história. Nada de novo aqui...!
    • Alan S.
      Que experiência vc tem em termos de ser cinéfila para poder opinar com alguma propriedade? Qual idade vc tem e qtos filmes de gêneros diversos e épocas distintas já viu? O qto vc conhece dos quadrinhos? Triste ver gente que opina sem profundidade alguma...mas na internet tudo se pode escrever.
    • Jackson A L
      Perturbador, porém muito realista. É difícil não torcer para alguma coisa dar certo para o personagem Arthur Fleck. Retrato vivo de nossa sociedade. Atuação impecável de Joaquin Phoenix (tragam o Oscar para o homem). !!
    • Fausto N.
      RODNEY VC DISSE TUDO JOAQUIN PHOENIX É O MELHOR E MAIS COMPLETO ATOR DA NOVA GERAÇÃO,ELE NÃO RECEBERÁ A ESTATUETA SE HOUVER ROUBALHEIRA GROSSA,SABEMOS MUITO BEM QUE ROLA MUITA POLÍTICA E BAJULAÇÃO NOS BASTIDORES DA CERIMÔNIA DO OSCAR.SABEMOS TB QUE ELE É AVÊSSO A BADALAÇÕES E POLÍTICA DE BASTIDORES.O VALOR DELE ESTÁ REGISTRADO COMO UM ASTRO NA CINEMATOGRAFIA.
    • Fausto N.
      MARIANA ACREDITO QUE VC NÃO SEJA PARTE DOS CINÉFILOS.CANSATIVO ESSA OBRA DE ARTE!!!!!!!!!O FILME SEGURA VC ATÉ O FINAL E VC TEM VONTADE DE NÃO SAIR DA POLTRONO E ASSISTI-LO NOVAMENTE.CANSATIVO PARA VC É O ENRÊDO,ENTÃO SEGUINDO A SUA LINHA DE RACIOCÍNIO TODO FILME DEVERÁ SER CANSATIVO.NA FILMAGEM HÁ UMA LINHA LÓGICA DO DESENVOLVIMENTO DO PERSONAGEM ARTHUR FLECK MAGISTRALMENTE INTERPRETADO PELO ÍCONE JOAQUIN PHOENIX SENDO CONSIDERADO O MELHOR E MAIS COMPLETO ATOR DA NOVA GERAÇÃO E SEGURAMENTE O É.EU DESDE A MINHA ADOLESCÊNCIA SEMPRE PESQUISEI CINEMA E A SUA HISTÓRIA,MARIANA EU SOU DA ERA HOLLYWOODIANA,SE VOLTÁSSEMOS NO TEMPO,O ASTRO JOAQUIN PHOENIX E ROBERT DE NIRO SERIAM AS CELEBRIDADES DESSE PERÍODO,ONDE TÍNHAMOS KIRK DOUGLAS,JOHN WAYNE,YUL BRYNNER,CARY GRANT,ALLAN LADD,HUMPHREY BOGART,GARY COOPER,TYRONE POWER ETC.ALIÁS,MARIANA TEM UM PASSAGEM QUASE NO FINAL DO CORINGA QDO O JOAQUIN LIGA O VIDEO CASSETE E SIMULA ESTAR NO PROGRAMA DO MURRAY NA TV,SE OBSERVARMOS BEM O PERFIL DELE IDENTIFICAMOS O HUMPHREY BOGART NUM FLASH DE TEMPO.SE ANALISARMOS BEM O PERFIL DO JOAQUIN COM O DO HUMPHREY NOTAREMOS UMA VEROSIMELHANÇA DOS DOIS,TANTO UM QUANTO O OUTRO DOIS MONSTROS DA ARTE CÊNICA.,OUTROSSIM.SE NÃO HOUVER BANDALHEIRA DOS BASTIDORES,SERÁ DEFINITIVAMENTE O JOAQUIN GANHAR A ESTATUETA.OSCAR É MUITA POLÍTICA,MUITA GENTE SEM O VALOR DEVIDO GANHARAM ESSA ESTATUETA.SABEMOS O QTO JOAQUIN PHOENIX É MAGISTRAL NA INTERPRETAÇÃO DOS PERSONAGENS.
    • Ademar Amâncio
      Culpar a sociedade pelos nossos defeitos é ótimo,mas não cola.Nossa caminhada evolutiva é individual,os outros são apenas obstáculos necessários.
    • Ademar Amâncio
      Resenha crítica excelente.
    • Oliver Kroos
      ...primeiro porquê o Coringa dos quadrinhos é calculista e inteligente; ou seja um pscopata a moda Hitler...Tem certeza que assistiu ao Coringa 2019? O da versão deste ano é sobre um personagem na transição pessoa com problemas psicológicos para um sociopata assassino''. NUNCA teria como este coringa ser igual o da versão Heath Ledge, por ex., NUNCA! E a beleza está nisso, em retratar o inicio de tudo e o estopim de tal transformação, e o Joaquim Phoenix fez com a maestria que lhe é peculiar. Pra mim, o próximo Oscar de melhor ator é dele, a não ser que surja até lá um filme com uma atuação de um personagem principal mais soberba que a do Phoenix...
    • anonimo
      claro que você iria comentar isso, anônimo bruce wayne
    • Vinicius
      Um resumo do seu comentário:É diferente dos quadrinhos, não gostei. E quem gostou é fracassado/frustradoÉ sério? O seu argumento pra negativar o filme é patético. Falasse de algum problema da direção, ambientação, roteiro ou qualquer coisa relacionada ao filme poderia até concordar.Você está negativando o filme apenas por ser purista. O Diretor fez o certo, dando sua releitura do personagem a um que pode ser o melhor filme do ano, senão da década.
    • Vinicius
      Se for resumir esse filme em poucas palavras: Uma obra de arte, perfeita e intocável.Preenche todas as faces de um personagem tão complexo com personalidade e exatidão.E fiquem atentos: Coringa NÃO é um filme de herói. Em momento nenhum o filme tenta justificar e nem romantizar os horrores causados pelo personagem à cidade. O filme apenas retrata uma história do ponto de vista do próprio protagonista. Cabe a você interpretar o que está sendo mostrado como bom ou ruim.Já vi esse filme nos cinemas duas vezes e pretendo ir ver a terceira vez. Com certeza será um filme que entrará na minha coleção, pois faltava um filme marcante como esse a tempos, principalmente em uma época em que o cinema se resume a história de heróis com socos, pontapés e piadinhas fora de hora, com motivações cada vez mais fúteis e batidas. Nesse filme não há a famosa Jornada do Herói. Coringa promete a Jornada do vilão, e cumpre majestosamente.
    • Mariana B
      Respeito o trabalho dos atores, que atuaram bem. Mas sinceramente, não dá pra assistir duas vezes. Para mim, filme bom mesmo é aquele que dá vontade de assistir mil vezes. Pra esse Coringa, uma vez basta. Cansativo demais.
    • Rodney Bandeira de Mello
      Um Coringa se torna Ás!Denso, complexo, sombrio, perturbador! Ator e filme se completam em uma atmosfera dark que vai desde a iluminação, a trilha musical e incidental que valorizam o brilhante roteiro. Um Oscar é pouco para a atuação visceral de Joaquim Phoenix, um dos mais brilhantes atores contemporâneos.O antagonismo da personagem dos filmes de Batman, ganha um protagonismo intrigante, como quase justificasse uma personalidade tão complexa. Sem dúvidas uma das maiores atuações já vista na sétima arte!
    • Fausto N.
      CARLOS F QUEM ESTÁ SEM DIREÇÃO É VC.DISCERNIMENTO É BOM.RIDÍCULO É VC COM ESSE CHULO COMENTÁRIO.CAMARADA JOAQUIN PHOENIX É UM FENÔMENTO,TODD IDEM.INVEJA MATA,SERÁ VC QUE IRÁ GANHAR O OSCAR.KKKKKKKK
    • Fausto N.
      VC FALOU TUDO E MUITO BEM
    Mostrar comentários
    Back to Top