Minha conta
    Opinião: Por que Nicolas Cage faz tantos filmes ruins?
    Por Bruno Carmelo — 18 de out. de 2014 às 08:00

    Ele tem talento, tem boas propostas... Mas tem escolhido sempre os mesmos filmes de ação.

    Primeiro, vamos avisar: o AdoroCinema gosta bastante de Nicolas Cage. Ele é um ator versátil, capaz de se sair muito bem nos filmes de ação (A Outra Face), nas comédias (Adaptação), dramas (Despedida em Las Vegas), romances (Cidade dos Anjos) e muito mais. O ator já trabalhou com grandes diretores (David Lynch, irmãos Coen, o tio Francis Ford Coppola) e ganhou dezenas de prêmios.

    Mas já faz mais de uma década que Cage tem embarcado em uma série de produções ruins. Geralmente, são pequenos filmes de ação, recheados de clichês (policial aposentado obrigado a fazer um último golpe, pai buscando a filha sequestrada etc.), que não deixam nenhuma abertura à versatilidade. Mesmo os títulos americanos e brasileiros acabam se tornando genéricos: O Sacrifício, O Vidente, Presságio, O Pacto, Reféns, O Resgate, Fúria, Fúria Sobre Rodas... E vem aí O Apocalipse (que nós já vimos, e não é nada bom).


    Ele não conquista um único sucesso de bilheteria em frente às câmeras (tirando trabalhos como dublador) desde 2007, com A Lenda do Tesouro Perdido: Livro dos Segredos Seus outros filmes não passaram de US$80 milhões, e a crítica tem destruído a maioria de suas atuações. Apenas exceções, como o drama Joe e Vício Frenético, tiveram seus defensores na imprensa. E o ator não pretende parar por aí: seus próximos filmes são a trama de ação Men With No Fear, com o mesmo diretor de Fúria, e Pay the Ghost. Adivinha? O primeiro trata do acerto de contas de um homem durão com mafiosos e traficantes de drogas, e o segundo traz Cage no papel de um pai em busca do filho sequestrado. (É sério).

    Sem dúvida, nenhum ator precisa ficar transitando entre vários gêneros e estilos. Alguns nomes de sucesso permanecem em produções parecidas (como Jennifer Aniston e as comédias, ou Allison Janney nas comédias dramáticas independentes), mas buscam personagens distintos, ou então se arriscam com diretores promissores ou confirmados. Cage nem chega a esse ponto, saltando de um projeto de ação para outro, sem espaço para pausa. Outros atores de sucesso, como a duplamente oscarizada Hilary Swank, também têm um número considerável de bombas pelo caminho, mas pelo menos experimentam caminhos diferentes. Cadê a ousadia, Nic?

    Nicolas Cage, um ícone pop

    A vida pessoal também poderia explicar algumas escolhas. O falecido Robin Williams admitiu ter trabalhado em vários filmes fracos no fim de carreira para reembolsar dívidas, e jovens nomes como Matthew Goode e Miles Teller já assumiram a escolha de produções fracas apenas pelo dinheiro (Casa Comigo? e Divergente, respectivamente). Mas Cage não está ganhando fortunas com esses fracassos de bilheteria, nem parece escolher os títulos por estar em alguma crise aparente. É difícil de acreditar que não existam ofertas melhores do que as produções escolhidas por ele.

    O fato é que o ator realmente acredita na qualidade dos filmes em que trabalha, e defende as suas produções com unhas e dentes. Ele constantemente ataca os críticos na imprensa, como nesta afirmação ao jornal The Guardian: "Uma percepção errada, tanto na crítica quanto em Hollywood, é de que eu só faço papéis exagerados. Ou o que eles chamariam de atuações exageradas. Isso é totalmente falso. Outro erro é que eu só faço esses filmes para pagar os cheques, ou que eu sou obcecado por histórias em quadrinhos. Outro grande erro, que precisa ser consertado na minha opinião, é sobre o VoD [críticos americanos frequentemente afirmam que Cage só faz filmes para serem lançados diretamente em DVD ou VoD]"

    Nicolas Cage sendo Nicolas Cage

    Ou seja, ele realmente gosta do que faz, e não pretende mudar tão cedo. Enquanto ainda tiver alguma história de homens durões lutando contra mafiosos, pode chamar Nicolas Cage que ele aceita. Se pelo menos encontrasse projetos de maior potencial comercial, como um Busca Implacável... Talvez uma mudança só aconteça quando Cage ousar em um pequeno filme independente, com uma atuação totalmente diferente destas histórias de ação fracassadas. Mickey Rourke e Matthew McConaughey já conseguiram dar a volta por cima com este tipo de redenção que o Oscar adora premiar. Talvez assim Cage ressurja das cinzas.

    Até isso acontecer, espere mais algumas dezenas de tramas sobre mafiosos, pais vingadores e justiceiros contra traficantes. O público não está gostando, os festivais não estão gostando, os críticos também não... Cage já virou chacota na Internet (Você já procurou pelas paródias dos trabalhos dele? São divertidíssimas). Mas o ator está feliz com o trabalho. E se ele não se importa, por que o resto do mundo deveria se importar, certo? 

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • Luciano Cardoso
      O filme é uma droga... desde o enredo... mas o que faz a diferença é ele! Kkkk
    • Luciano Cardoso
      Gente... Pior que Apocalipse, na minha opinião foi Willy's wonderland- Parque maldito. Ele não fala uma palavra o filme todo! Mas assisti até o final pois a atuação dele estava muito boa. Aqui no Sul tem um ditado... Se tu não tem o que fazer Vai carpir um pátio! Se ele não conseguiu uma superprodução pra atuar... que mal tem ele carpir um pátio! Adoro ele... Kkkk
    • delicada culta
      Lembrando de "Um homem de família" um ótimo filme que ele fez. Agora quando me perguntam qual pior filme que vi, só consigo lembrar de "o sacrifício"
    • RenataML
      Adorei ler a crítica. Um amigo meu e eu sempre falamos do Nicolas Cage. Até gosto de alguns dos filmes mais antigos dele, mas esses recentes, de fato, ruins. Concordo.
    • liza G.
      O Meu texto também se inicia com "Na minha humilde opinião"
    • Rodrigo T.
      Isso porque a matéria começa com a palavra "OPINIÃO".
    • liza G.
      Não querido, se vc observar o meu texto se refere não somente a matéria mas também a todos que criticam sua atuação como ator, no que se refere a sua performance, sei que vc não acompanha a vida dele como eu acompanho, talvez esse seja o motivo de algumas pessoas não entenderem as escolhas que ele faz, porém até ele mesmo ja assumiu que fez algumas escolhas erradas, até mesmo eu que sou fan admito que tem alguns filmes dele que eu não gosto, porém, isso não da o direito de ser tão sensacionalista, ofensivo e exagerado,como esta sendo o titulo da matéria, além disso eles afirmam que: "Nenhum ator precisa ficar transitando entre vários gêneros e estilos" Eu discordo disso, acho que o ator, o bom ator deve saber interpretar de tudo, assim como ele faz, e sempre vai fazer, mas, o que eles não sabem é que Nicolas é dono de uma personalidade que é difícil de entender, e desde que eu me entende por gente, que ele diz que nunca irá se apegar a apenas uma linha de filmes, essa frase dele ja é antiga, ele sempre será versátil, ele sempre vai experimentar coisas novas, nem que pra isso ele tenha que quebrar a cara algumas vezes. Falam que o novo filme dele, se refere a uma filha sequestrada, mas quem ja assistiu como eu, sabe que essa Sinopse esta errada, a filha dele não foi sequestrada, na verdade a imprensa é formadora de opinião, principalmente de pessoas que se deixam levar, e percebo que eles gosta de denegrir a imagem dele, mas eu não me importo com isso não, sabe Pedro, eu simplesmente faço igual a ele ignoro, inclusive foi estudando a vida e a personalidade dele que eu aprendi a ser assim, desejo te boa sorte, abraço :)
    • liza G.
      Na minha humilde opinião a matéria foi de péssimo gosto, Nicolas Cage é um ícone do cinema mundial, e enquanto vocês da imprensa ficam perdendo tempo criticando, ele ta ganhando dinheiro e fazendo o que ele sabe de melhor que é atuar, sou fan número 1 do Nick, eu e toda minha família, o que falta da parte de vocês e de todos que criticam, é sensibilidade pra perceber o que ele demonstra em suas interpretações, ele é incrível em tudo que faz, faz de coração, faz com amor, mesmo sabendo que vão falar mal dele depois, ele é igual a mim autêntico, não tem medo de dar a cara a bater e não liga pra criticas de pessoas que não vão influenciar em nada em sua vida, e ja que não gostam de seu trabalho, e ja criaram um esteriótipo de filme ruim quando ele esta no elenco, então não vão assistir, ele ja tem o seu público fiel, que o adora e que percebe a dedicação dele em cada filme, até mesmo o cinema em si tenta prejudica ló, fui assistir Fúria no cinema do Shopping Guararapes no último dia 16.10.2014 e percebi que cortaram uma parte super importante do filme, uma cena que tínhamos que ver pra entender melhor o que aconteceu com ele, falo com propriedade, porque eu ja tinha visto o filme antes do lançamento, ou seja um absurdo, saí revoltada e as outras pessoas sem entender direito. Respeito as opiniões contrárias a minha, esse é apenas o meu ponto de vista, obrigada pelo espaço, abraço!
    • Lucas W.
      Discordo!
    • a_excer
      Perfeito!
    • Lucas L.
      Há muito tempo já ele interpreta o mesmo personagem em todos os filmes. Ele tem talento, se resolvesse fazer um drama de qualidade, sem dúvidas ficaria bom. Mas parece que realmente ele não se importa.
    • Barbara Martins
      Gostei bastante da matéria. Só para reafirmar: "E se ele não se importa, por que o resto do mundo deveria se importar, certo?". Todo profissional escolhe os próprios caminhos e por mais que possam parecer estranhos para nós, são válidos para quem acredita no que faz.
    • Jennyfer F.
      É, sempre tenho a sensação de que to vendo o mesmo filme quando se trata de um filme do Cage. São filmes pra ver tipo na Sessão da Tarde, nada muito sério ou que chame atenção.
    • Gustavo M.
      Acho que falta para ele é oportunidade de um trabalho realmente a sua altura, ou vive com preguiça de atoar bem. Foi horrível Furia sobre Rodas e foi horrível Motoqueiro Fantasma 2. Sou fã e admitir isso é extremamente melancólico. Nic deveria se aventurar em dramas e romances. P.S: E na continuação de A Lenda do Tesouro Perdido.
    Mostrar comentários
    Back to Top