Minha conta
    Space Jam: Um Novo Legado
    Críticas AdoroCinema
    3,5
    Bom
    Space Jam: Um Novo Legado

    Nostalgia pura (e simples) pelo universo Warner

    por Bruno Botelho
    Space Jam - O Jogo do Século, lançado em 1996, foi um fruto marcante de sua época, colocando o astro do esporte Michael Jordan para contracenar com os personagens amados do Looney Tunes, em uma mistura de live-action com animação. Na época, Jordan era uma estrela com fama mundial, depois de elevar o patamar do basquete e da NBA, a principal liga de basquetebol profissional da América do Norte, desde que começou a jogar pelo Chicago Bulls nos anos 80 e, principalmente nos anos 90, quando ele se tornou seis vezes campeão – esse legado pudemos conferir na série documental Arremesso Final (2020).

    25 anos depois de O Jogo do Século, surge a sequência Space Jam: Um Novo Legado com uma nova história e a missão de atualizar as ideias originais para a realidade atual, com o protagonismo do astro experiente LeBron James, atual jogador de basquete do Los Angeles Lakers.



    Em Space Jam: Um Novo Legado, a inteligência artificial, Al G (Don Cheadle) sequestra o filho de Lebron James, Dom James (Cedric Joe), e envia o lendário jogador dos Los Angeles Lakers para uma realidade paralela, onde vivem apenas os personagens de desenho animado da Warner Bros. Para resgatar o seu filho, ele precisará vencer uma partida épica de basquete contra superversões digitais das maiores estrelas da história da NBA e da WNBA. Para essa dura missão, King James terá a ajuda de Pernalonga, Patolino, Lola Bunny, dentre outros personagens.

    O carisma de LeBron James para substituir Michael Jordan, com aposta na relação paternal

    Se Michael Jordan ganhou fama nos anos 80 e reinou nos anos 90 na NBA, LeBron James era o nome ideal para estrelar Space Jam: Um Novo Legado. Ele entrou na liga de basquete em 2003 pelo Cleveland Cavaliers e passou por outras equipes de elite como Miami Heat e Los Angeles Lakers, seu time atual, conquistando quatro campeonatos da NBA. Ou seja, são quase duas décadas como um dos maiores nomes do esporte mundial e também se tornando uma voz importante em causas políticas e sociais. 

    James prova que tem o carisma necessário para carregar a sequência, substituindo à altura Jordan. Ele ganha um desenvolvimento maior em seu personagem do que o ex-astro do Chicago Bulls recebeu em Space Jam - O Jogo do Século, onde o grande destaque era a união dele com os Looney Tunes. Aqui, a narrativa se aprofunda na relação fraternal de LeBron e Dom James com temáticas importantes e relevantes, como o peso do legado e a cobrança que isso rende para as demais gerações, o que acontece com Dom ao precisar seguir os passos de seu pai – mesmo que isso não seja, necessariamente, o que ele quer para sua vida. 

    A história cai algumas vezes em clichês motivacionais. Isso acontece, principalmente, durante sua parte inicial, que acaba sendo mais simples e arrastada. Ainda assim, essa relação entre pai e filho é bem executada e serve de fio condutor para o enredo até o final da produção. Mas Um Novo Legado engrena de vez quando abraça sem medo a nostalgia e os conceitos tecnológicos...

    Space Jam: Um Novo Legado se atualiza de maneira inteligente para a Era Digital



    O Jogo do Século é um clássico dos anos 90 e marcou toda uma geração, porém, muitas coisas presentes no filme acabaram ficando datadas. Por isso, Space Jam: Um Novo Legado tinha a ingrata missão de ser uma sequência de uma obra querida, assim como apresentar novidades e tramas que se conectem com os tempos atuais de forma natural.

    A solução principal encontrada pelo time de roteiristas – Juel Taylor, Tony Rettenmaier, Keenan Coogler, Terence Nance, Jesse Gordon e Celeste Ballard – foi a de voltar sua narrativa completamente para a Era Digital e utilizar a linguagem tecnológica para explorar os conceitos da história estrelada por LeBron James. Por isso, um dos grandes acertos dessa sequência foi a escalação de Don Cheadle como a inteligência artificial, Al G, que acaba se rebelando e, assim, vamos acompanhar essa realidade paralela do universo Warner Bros. composto pela tecnologia digital. Cheadle mostra todo o seu carisma e poder de persuasão do personagem, o que o deixa como um vilão interessante e imponente.

    O diretor Malcolm D. Lee, conhecido pelas comédias Todo Mundo em Pânico 5 (2013) e Viagem das Garotas (2017), acerta em cheio quando mergulha no universo nostalágico das produções e personagens mais famosos da Warner, além de conseguir aproveitar bem os conceitos digitais, visualmente – com a composição do servidor digitalizado da Warner 3000 – e narrativamente – ao discutir sobre os limites da inteligência artificial e até mesmo sobre privacidade online.

    Uma aventura nostálgica e empolgante pelos universos e personagens da Warner Bros.



    O valor nostálgico de Space Jam - O Jogo do Século se encontrava, especialmente, pela presença dos personagens animados de Looney Tunes. Vemos todos esses personagens de volta, como Pernalonga, Patolino, Lola Bunny, Gaguinho, Frajola, Piu-Piu e Papa-Léguas, mas Space Jam: Um Novo Legado expande essa nostalgia de forma impressionante, se assemelhando com o feito no multiverso dos filmes Jogador Nº1 (2018) e Homem-Aranha no Aranhaverso (2018). Temos uma explosão de referências à cultura pop com aparições de diversas produções da Warner, como Harry Potter, Game of Thrones, os super-heróis da DC, Matrix, King Kong e até mesmo Laranja Mecânica

    Tudo isso atinge o nível máximo na parte final com o confronto entre o time formado por LeBron James e os Looney Tunes contra o time virtual montado pelo Al G, representado por outros astros atuais da NBA e da WNBA: Anthony Davis, Damian Lillard, Klay Thompson, Nneka Ogwumike e Diana Taurasi, cada um com características únicas e bem desenvolvidas. O filme acaba sendo bem sucedido por conseguir brincar consigo mesmo – e até mesmo com a carreira de LeBron James – e se assumir como uma sequência parecida, em alguns pontos, com o original. Por causa de todas essas características, ganha um enorme caráter de metalinguagem, que diverte e cativa o público durante toda a sua exibição.

    Space Jam: Um Novo Legado é uma aventura nostálgica e despretensiosa pelo universo de personagens e produções da Warner Bros. com diversas referências empolgantes para a cultura pop. No centro de tudo isso, temos o astro LeBron James, que consegue continuar o legado deixado por Michael Jordan no filme original e, principalmente, fazer o filme andar com suas próprias pernas ao saber brincar com sua própria existência, além de atualizar inteligentemente sua temática para nossa realidade atual. É um entretenimento imperdível para toda a família!

     



    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema

    Comentários

    Mostrar comentários
    Back to Top