Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    The Boys: Conheça as principais diferenças entre a série e a HQ
    Por Ygor Palopoli — 2 de set. de 2020 às 16:25
    facebook Tweet

    Pois toda adaptação pode ser ainda melhor!

    Realizar a adaptação de uma HQ tão brutal, violenta e crítica como The Boys para as telinhas não é uma tarefa nada fácil. Primeiro, o nível de detalhismo gráfico precisaria ser elevado e a série não poderia perder certas partes essenciais no meio disso tudo. No entanto, o Amazon Prime Video realizou um excelente trabalho adaptando a HQ e neste dia 4 de setembro a série ganhará sua segunda temporada.

    O que acaba deixando algumas pessoas pensativas, na realidade, é o quanto o seriado precisou mudar de sua fonte de inspiração original para que pudesse lançar a série do jeito que ela deveria ser. Por mais que não pareça, algumas mudanças importantes foram feitas, e é justamente sobre elas que nós iremos falar aqui nesta matéria!

    SUPERS DIFERENTES

    The Boys: HQ para quem está de saco cheio de super-heróis - Boletim Nerd

    Mesmo sendo baseada nas HQs, a série criou alguns heróis novos especialmente para participarem da trama episódica, o que até adicionou acontecimentos bem interessantes. Ezequiel, Translúcido e Mesmer, por exemplo, foram personagens totalmente criados para a série.

    Ezequiel trouxe um caráter interessante de manipulação religiosa à trama, enquanto Translúcido foi o ponto de partida para que os The Boys começassem sua aventura, e Mesmer trouxe Haley Joel Osment em um papel que até lembra sua vida pessoal após se tornar famoso com Sexto Sentido.

    SITUAÇÕES SUAVIZADAS

    The Boys - Adaptação de quadrinhos da Amazon escala atriz de Jessica Jones!

    Mas tudo tem limites! Nas HQs, algumas situações são tão pesadas e gráficas que simplesmente não puderam ir para o resultado final na série. Um exemplo disso é em relação à Luz-Estrela, que no episódio é assediada por Profundo, que a mostra seu órgão genital.

    Nas HQs, no entanto, ela é feita de escrava sexual por Capitão Pátria, Trem-Bala, Black Noir e mais dois Supers, sendo Pátria o líder por agredi-la e a abusar por horas. Ironicamente, na HQ o Profundo é o Super mais responsável de todos. Será que nas próximas temporadas ele tem algum arco de redenção?

    O COMPOSTO V

    The Boys: confira as diferenças entre as HQs e a série do Amazon Prime  Video - Mix de Séries

    Vemos na série que o Composto V é o grande responsável por dar poderes aos Supers, revelando assim que eles não foram dotados de absolutamente nada, e tudo que conseguiram foi através do misterioso químico. E resta aos The Boys combaterem a situação.

    Mas nos quadrinhos, os próprios The Boys usam de uma "ajudinha" extra para isso, já que os próprios acabam utilizando o Composto V, afinal de contas, seria um tanto injusto ter humanos normais lutando contra heróis. O próprio Hughie é o primeiro a ser injetado, e acaba matando um Super sem querer com a força que adquire.

    HOMENS E MULHERES

    10 diferenças entre os quadrinhos e a série The Boys | Universo Estendido

    Muitos gêneros foram trocados das HQs para a série, apenas para encaixar melhor a história nos nossos tempos atuais. Madelyn Stillwell, por exemplo, é um homem carrancudo e cruel chamado James nas HQs. A sua mudança foi muito bem-vinda, especialmente pela adição da trama de Capitão Pátria que tem uma relação esquisita com ela. 

    Provando que uma boa adaptação não é aquela que necessariamente imita tudo, outros gêneros e raças foram mudados também. Tempesta era um homem nas HQs, Trem-Bala era um homem branco, e por aí vai. E todas as mudanças foram muito bem justificadas e encaixadas.

    NOVAS HISTÓRIAS DE FUNDO

    The Boys | Saiba as diferenças entre a série e os quadrinhos

    Muitas histórias envolvendo o passado dos heróis foram adicionadas à série, tornando a experiência um tanto diferente. O relacionamento amoroso de Trem-Bala com Popclaw, por exemplo, nunca existiu nas HQs, mas foi importante para que possamos entender até que ponto ele está disposto a ir para esconder seu vício.

    O próprio caso estranho entre Capitão Pátria e Madelyn também é um exemplo bom para pintar o herói como uma figura que apesar de estar no controle do mundo possui também suas fraquezas (até que resolve rompê-las).

    REALIDADE DISTÓPICA

    Como esquecer aquela cena do avião onde Capitão Pátria e Rainha Maeve abandonam todos os passageiros para morrer? Nas HQs, isso foi um acontecimento ainda mais chocante, revelando a realidade distópica de The Boys.

    Lá, eles são recrutados para impedir o ataque às Torres Gêmeas em 2001, mas acabam fazendo tudo errado e apesar de impedirem que as Torres sejam derrubadas acabam jogando o avião em cheio na Ponte Brooklyn, causando um outro tipo de tragédia que ficaria conhecida para sempre.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top