Minha conta
    12 filmes baseados em histórias reais de mulheres que superaram o sexismo
    Por Vitória Pratini — 22 de out. de 2017 às 09:22

    Em cartaz nos cinemas, A Guerra dos Sexos mostra uma tenista que lutou pela igualdade dos sexos no esporte – conheça outras ativistas retratadas no cinema.

    Direito a voto, reconhecimento nos esportes, liberdade de expressão... As mulheres já conquistaram muito na sociedade – apesar de ainda terem um longo caminho para percorrer – e cada uma das conquistas femininas aconteceu por causa de mulheres que lutaram contra o sexismo, o chauvinismo e o preconceito.

    Uma delas foi a tenista Billie Jean King, que levantou a bandeira da igualdade, exigindo salários iguais para homens e mulheres no esporte nos anos 1970. Sua história, recentemente, foi adaptada para as telonas em A Guerra dos Sexos, filme estrelado pelos talentosos Emma Stone e Steve Carell, que está em cartaz nos cinemas.

    Para celebrar a estreia do filme, o AdoroCinema montou uma lista de 12 longas-metragens baseados em histórias reais sobre mulheres que superaram o sexismo com muito respeito, feminismo e girl power. Confira na galeria acima.

     

    A Guerra dos Sexos: Considerada uma das melhores tenistas e atletas femininas de todos os tempos, Billie Jean King (Emma Stone) lutou pela igualdade entre homens e mulheres no tênis. Ativista, ela participou da mais famosa Batalha dos Sexos – partida amistosa entre tenistas de sexos opostos – contra o ex-campeão Bobby Riggs (Steve Carell), que levantava a bandeira do chauvinismo de forma exagerada na mídia.

    Estrelas Além do Tempo: Em plena Guerra Fria, as dedicadas e inteligentes Katherine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughn (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monáe) foram pioneiras. Parte da equipe da NASA de "computadores" humanos, elas foram responsáveis por calcular as complexas equações que permitiram que heróis espaciais viajassem com segurança ao espaço. Entretanto, sofriam preconceito por serem mulheres e negras, e eram obrigadas a trabalhar à parte, sem levar o crédito por seu trabalho.

    Terra Fria: Mãe solteira, Josey Aimes (Charlize Theron) precisava sustentar seus filhos sozinha. Ela foi trabalhar em minas de carvão pois pagava melhor do que os ditos "empregos de mulher". Eram os anos 70, mulheres não eram bem vindas nesse tipo de trabalho, e constantemente sofriam humilhação e assédio sexual. Ignorada pelo sindicato e inconformada com a situação, ela levou o caso à justiça. A personagem foi inspirada em Lois Jenson, responsável pelo primeiro processo judicial de assédio sexual envolvendo uma classe nos Estados Unidos.

    Uma Equipe Muito Especial: Durante a Segunda Guerra Mundial, os jogadores profissionais de baseball são praticamente todos convocados para o combate. Assim, um grupo de jogadoras é chamado para montar a primeira Liga Profissional Feminina de Jogadoras de Baseball nos Estados Unidos. Apesar de primeiramente serem vistas como carinhas bonitas, elas conseguem mostrar seu talento e atingem o estrelato. A personagem de Geena Davis no filme foi inspirada luvremente em Dorothy "Dottie" Kamenshek, uma das melhores jogadoras da época.

    Amelia: Amelia Earhart (Hilary Swank) foi a primeira aviadora mulher a voar sobre o Oceano Atlântico, em 19278, recebendo como condecoração a "The Distinguished Flying Cross". Pioneira, ela escreveu livros sobre seus voos e lutou pelos direitos iguais, ajudando a criar a organização The Ninety-Nines, para mulheres pilotos. Amelia desapareceu em 1937 no Oceano Pacífico após tentar dar uma volta no globo. Sua vida, carreira e desaparecimento até hoje são motivo de fascínio para muitos.

    Rainha Bandida: Nascida em uma família de casta baixa na Índia, Phoolan Devi (Seema Biswas) teve uma infância pobre, um casamento malsucedido, foi abusada sexual e psicologicamente em algumas aldeias pelas quais passou sua vida, até que se dedicou a vida do crime. Ela se tornou uma lenda, sendo exaltada na imprensa como um Robin Hood moderno. Presa por oito anos por seus crimes, as acusações contra ela foram retiradas e ela foi solta, eventualmente concorrendo ao parlamento e sendo eleita duas vezes.

    Secretariat - Uma História Impossível: Apesar de amar cavalos desde pequena, Penny Chenery (Diane Lane) não tinha experiência em corridas. Quando seu pai adoece, ela assume o controle do estábulo dele e entra no ramo das competições, uma área até então masculina. Ela promove Secretariat, o primeiro vencedor da Triple Crown em 25 anos e um dos melhores cavalos de corrida de todos os tempos, e se torna uma das primeiras mulheres a ser admitida como membro do Jockey Club.

    Rainha de Katwe: Órfã de pai e moradora de uma região pobre, Phiona Mutesi (Madina Nalwanga) teve uma infância difícil, largando a escola por falta de dinheiro. Ela supera todas as expectativas ao seu redor, se tornando uma das primeiras jogadoras mulheres de xadrez da história da Uganda. Em apenas quatro anos, ela chegou a sua primeira Olimpíada de Xadrez e foi a primeira mulher de Uganda a ser Mestra do Xadrez, certificação dada a jogadoras por bons resultados em competições internacionais.

    Dragster: Primeira mulher a competir em corrida de Dragster, veículo leve com motores extremamente potentes, Shirley Muldowney (Bonnie Bedelia) superou as expectativas nos anos 50. Donas de casa bonitas não eram levadas a sério, não havia corredoras profissionais e muitas pessoas achavam que o esporte não era lugar para mulheres. Ela foi a primeira vencedora da competição de Top Fuel

    As Sufragistas: No início do século XX, as mulheres ainda não possuem o direito de voto no Reino Unido. As sufragistas foram as primeiras ativistas do feminismo, iniciando um movimento a favor da concessão do direito ao voto feminino. A personagem de Carey Mulligan no filme não existiu na vida real mas foi livremente inspirada na ativista Hannah Mitchell; enquanto a de Helena Bonham Carter foi baseada em Edith Garrud, uma das primeiras mulheres instrutoras de artes marciais. Já o papel que foi de Meryl Streep, Emmeline Pankhurst, foi de fato uma das fundadoras do movimento, inspirando inúmeras sufragistas na vida real.

    Frida: Frida Kahlo (Salma Hayek) até hoje é um ícone de feminismo e liberdade. Conhecida como a aclamada pintora mexicana, esposa de Diego Rivera (Alfred Molina), amante do político Leon Trostky (Geoffrey Rush) e vítima de uma dolorosa doença, Frida também foi rebelde, feminista e revolucionária. Vivendo como queria, aceitando quem era e sendo original do seu próprio jeito, ela pintava sobre infertilidade, igualdade de gênero, abortos espontâneos, distúrbios e doenças, sem regras e imposições.

    Erin Brockovich - Uma Mulher de Talento: Desempregada e mãe de três filhos, Erin Brockovich (Julia Roberts) consegue um bico num pequeno escritório de advocacia, apesar da pouca experiência com a lei. Ela descobre que a água de uma cidade está sendo contaminada por uma grande corporação. Usando todo seu poder de convencimento – tanto no discurso quanto nos atributos físicos –, Erin convence os moradores a cooperarem e monta um caso contra a companhia. Desafiando todas as probabilidades, ela vence a ação.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top