Minha conta
    Devassa apresenta Criatividade Tropical - Abre as Portas para o Gueto: IZA comanda série sobre criação de música inédita
    Por Aline Pereira — 26 de out. de 2021 às 12:44

    Série Criatividade Tropical: Abre as Portas para o Gueto celebra artistas brasileiros e une jovens talentos em criação de música inédita com colaboração de IZA.

    Uma das principais artistas brasileiras da atualidade, IZA está no comando de Criatividade Tropical: Abre as Portas para o Gueto, nova série que tem tudo para encantar fãs de música e que já está disponível no Globoplay. Trata-se de um projeto idealizado pela marca Devassa que, através do posicionamento Tropical Transforma, celebra o poder criativo do brasileiro na música, com destaque para a cultura preta. 

    Nesse clima, Criatividade Tropical: Abre as Portas para o Gueto mescla arte, identidade e protagonismo negro ao reunir novos talentos de vários cantos do Brasil para criar uma canção original em parceria com a dona dos hits Ginga e Pesadão.

    Como nasce uma música?

    Para quem tem curiosidade de entender melhor como funcionam os bastidores dos estúdios musicais, a série chama a atenção com o registro do nascimento de uma obra inédita, feita pelo grupo para a marca de cerveja Devassa. Nove jovens artistas de diversas áreas -como percussão, violino, composição e melodia- ficam responsáveis pelo desenvolvimento da batida, arranjos e da letra, tudo isso com a colaboração criativa de IZA e da compositora baiana Larissa Luz

    Enquanto os músicos debatem a mensagem que querem transmitir, refrões e palavras-chave, é interessante observar como cada um deles explica qual é seu fluxo de ideias e como um trabalho criativo pode ser tão subjetivo e metódico ao mesmo tempo. “Vejo a melodia na minha cabeça como se fosse uma história em quadrinhos”, conta uma das participantes - uma fala que pode até parecer difícil de compreender, mas que vai ficando clara à medida que vemos uma música nascer do zero e entendemos melhor quantas peças precisam se encaixar para isso. 

    O título da série, “Criatividade Tropical”, aparece justamente neste encaixe de vozes e instrumentos muito diferentes, mas que tornam a identidade brasileira tão distinta. É difícil imaginar outro lugar, que não aqui, capaz de criar um casamento surpreendente, mas que parece tão natural, entre rap, funk, pagode e música clássica. “Tem poesia e violino na favela”, ressaltam. 

    Para se inspirarem ainda mais, os participantes ganharam uma aula sobre história da música com Carlinhos Brown. Multiinstrumentista e um dos grandes nomes da cultura brasileira no exterior, o artista conversou com o grupo justamente sobre a importância da história negra na música pop - como a influência do Candomblé, por exemplo -, além de levantar como os preconceitos linguísticos também geram uma barreira para a arte criada na periferia.

    “Eu mereço estar neste lugar”

    Embora a cultura afro-brasileira e as criações periféricas estejam na base de muitas expressões artísticas, há ainda um caminho a ser percorrido no que diz respeito à representatividade de fato. “É inegável dizer que a gente não se vê muito nos lugares. É muito comum vermos músicas que são originárias de grupos marginalizados fazendo sucesso na voz de outras pessoas. O que eu não acho um problema porque é importante difundir a cultura do nosso país, mas é importante também que a gente abra as portas para o gueto”, reflete IZA.

    Outro aspecto interessante demonstrado em ‘Gueto’ através das falas de artistas jovens é a importância da representatividade como estímulo a talentos enormes que, muitas vezes, são podados. “A gente almeja chegar nesse lugar de referência e quando chega começa a se questionar se merece estar aqui (...) a gente tem que começar a trabalhar isso também de saber que merecemos estar neste lugar, que é o nosso lugar”, reflete uma das artistas. 

    Ao lado da compositora Larissa, a popstar levanta discussão sobre a presença negra e feminina na arte. Mulheres negras compõem 28% do país (PNAD IBGE), o maior grupo demográfico do Brasil, e, ainda assim, tem pouca representação sociocultural. “O que a gente vê é a cultura preta sendo consumida e as pessoas pretas ficando de fora (...) Nós somos muitas, mas não muitas sentadas à mesa”, comenta IZA.

    Nesse sentido, vale destacar ainda que ‘Gueto’ tem direção assinada por Aisha Mbikila e é comandado por um time de mulheres produzido pela Trace Brasil, especializada na criação de conteúdo afrourbano para dar visibilidade aos artistas negros e periféricos.  O projeto com Devassa faz parte do posicionamento adotado pela marca de cerveja que tem como objetivo incentivar a criatividade artística brasileira e que tem IZA como parceira oficial da marca. 

    Além de Criatividade Tropical: Abre as Portas para o Gueto, a Trace Brasil é responsável pelo programa Trace Trends, também disponível no Globoplay, com Babu Santana e João Luiz

    Como assistir à série?

    A partir desta terça-feira, 26 de outubro, Criatividade Tropical: Abre as Portas para o Gueto está disponível gratuitamente no Globoplay, mesmo para quem não é assinante da plataforma - basta clicar nesse link! A música produzida na série vai ser lançada por Devassa nas plataformas digitais e o site oficial de Criatividade Tropical traz ainda trechos exclusivos dos bastidores. 

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top