Minha conta
    O Clone: 11 de setembro, mudanças sociais e outras curiosidades em torno da novela da Rede Globo
    Por Nathalia Jesus — 17 de out. de 2021 às 21:00

    Atualmente, a novela estrelada por Giovanna Antonelli e Murilo Benício está em exibição no Vale a Pena Ver de Novo.

    O Clone voltou a ser exibido no Vale a Pena Ver de Novo recentemente, após ter sido reprisado no Canal Viva em menos de dois anos. Na trama que aborda religiosidade, clonagem, culturas plurais e conscientização contra uso de drogas, Jade (Giovanna Antonelli) e Lucas (Murilo Benício) estão no centro da narrativa, tentando viver um romance saudável e feliz. No entanto, a jovem é de família muçulmana e foi prometida a um homem rico, enquanto o rapaz brasileiro precisa voltar para seu país nativo para dirigir a empresa do pai.

    O Clone
    O Clone
    Data de lançamento 1 de outubro de 2001 | min
    Séries : O Clone
    Com Murilo Benício, Giovanna Antonelli, Stenio Garcia, Dalton Vigh, Daniela Escobar
    Usuários
    3,9
    Assista agora

    Vinte anos depois, Jade e Lucas se reencontram no Rio de Janeiro sob circunstâncias diferentes da que se conheceram: ambos casados em relacionamentos sem amor, com filhas, e presos em uma realidade desagradável. Ao se verem novamente, o amor entre eles reacende, fazendo com que lutem novamente para ficarem juntos. Se você amava a novela da Rede Globo e está prestes a reassistir a reprise, trouxemos algumas curiosidades que podem te interessar.

    Ataque às Torres Gêmeas

    O lançamento de O Clone aconteceu em outubro de 2001, pouco depois do ataque às Torres Gêmeas em 11 de setembro. Por este motivo, os produtores da Rede Globo estavam preocupados com o desempenho popular da novela, considerando que a trama era centrada na cultura de pessoas muçulmanas e a xenofobia contra tal religião e cultura foi disseminada mundialmente após o atentado. No entanto, a atração contrariou as previsões e se tornou um dos maiores sucessos da emissora.

    Giovanna Antonelli odiava dançar

    Para interpretar Jade, Giovanna Antonelli dançou em diversas cenas durante toda a novela. No entanto, ela odiava fazer isso! Em entrevista ao programa Conversa Com Bial em 2020, a atriz revelou sua aversão: "Eu não podia contar para ninguém que eu não gostava de dançar porque era a maior oportunidade da minha vida. Eu odeio dançar, tenho pavor. Se quer me deixar louca é fazer eu dançar. Eu fico nervosa, suo no sovaco.” Provavelmente, Khadija não gostaria de saber disso!

    Impacto internacional de O Clone trouxe mudanças sociais

    Não é novidade que o merchandising social promovido pelas telenovelas impactam efetivamente a sociedade, como foi o caso de Laços de Família, que impulsionou o aumento de doações de medula no Hemorio durante o ano de exibição. Já O Clone teve efeitos sociais também, mas de variadas naturezas: a popularização de gírias e termos árabes no Brasil, o crescimento de academias de aulas de dança do ventre em Portugal e até mesmo a popularização do nome Jade em bebês norte-americanos.

    A novela foi exportada para países como Argentina, Chile, Colômbia, El Salvador, Moçambique, Peru, Romênia, Rússia e Albânia — e foi sucesso de audiência nos dois últimos citados. Vale mencionar também que O Clone foi comercializada com exclusividade para o mercado hispânico, ganhando uma nova versão em espanhol, e o remake da novela foi exibido pela emissora Telemundo Network.

    Clonagem humana anunciada após O Clone

    Exatamente um mês após a estreia de O Clone na televisão, o tema da clonagem humana ganhou as primeiras páginas de jornais de todo o mundo quando o médico italiano Severino Antinori anunciou, em novembro de 2001 que faria o primeiro clone humano. A novela de Gloria Perez foi idealizada um ano antes do anúncio do italiano, e o assunto, que até então era pouco discutido, explodiu na mídia. E claro, a telenovela ganhou ainda mais atenção.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top