Minha conta
    4 momentos de Euphoria que fizeram a Zendaya merecer o Emmy
    Por Nathalia Jesus — 21 de set. de 2020 às 18:40

    A atriz protagonizou um dos momentos mais emocionantes do Emmy 2020.

    Zendaya foi a vencedora que mais surpreendeu no Emmy 2020, acompanhando Viola Davis no legado como únicas mulheres negras da história a vencer a categoria de Melhor Atriz em Série de Drama. A estrela de 24 anos também se consolidou como a atriz mais jovem a ganhar um Emmy, passando na frente de grandes nomes como Sandra Oh, Laura LinneyJennifer Aniston e Olivia Colman.

    Ao longo de seus dez anos de carreira, Zendaya teve uma interessante reviravolta em sua trajetória, se desvinculado do eterno estereótipo que acompanha estrelas da Disney Channel. A atriz levou sua atuação para um novo nível ao se propor interpretar personagens de personalidades e vivências mais conflitantes, saindo do lugar comum da narrativa adolescente exemplar oferecido pela emissora infanto-juvenil. 

    Após interpretar Mary Jane em Homem-Aranha: De Volta ao Lar e atuar no musical O Rei do Show, Zendaya se tornou protagonista de Euphoria dando vida a Rue, uma jovem viciada em drogas recém-saída da reabilitação que precisa superar os danos causados à sua estabilidade mental e relacionamentos interpessoais. O papel que trouxe o Emmy para Zendaya apresentou cenas emblemáticas que comprovam o merecimento do prêmio e o AdoroCinema está aqui para relembrar esses momentos.

    Briga de Rue com a mãe

    No primeiro episódio de Euphoria, Rue volta da reabilitação onde passou o verão após uma overdose de drogas. A personagem demonstra para o espectador que não tem a intenção de ficar limpa, apesar de fingir um teste de drogas com a urina de sua amiga para mostrar a mãe. Os contínuos problemas de Rue com as drogas causam muita tensão na família, e em episódios futuros, leva a uma briga angustiante entre Rue e a mãe Leslie, interpretada pela atriz Nika King. As duas trocam ofensas dolorosas e o conflito se agrava com agressões físicas, avançando para o momento em que Rue ameaça a mãe com um pedaço de vidro.

    A cena não estava no roteiro e o showrunner Sam Levinson apenas disse que queria que as duas brigassem, e que se uma agredisse com força, a outra deveria ir mais além. O espaço de improviso oferecido à Zendaya mostrou o peso de sua atuação, ainda mais pelo fato de que a própria se declara como uma pessoa tranquila e com pouca tolerância emocional para se envolver em brigas. A vencedora do Emmy disse, mais tarde, que a cena a deixou doente, com náusea, mas ficou claro o quanto colaborou com o desempenho da atriz.

    Rue implorando por drogas na casa do traficante

    Após beijar Jules (Hunter Schafer), Rue está com o emocional bagunçado e procura suprir o vício para controlar as emoções. É quando a jovem aparece para comprar drogas na casa do traficante Fezco, vivido por Angus Cloud, e ele se recusa a vender pelo bem dela. Nessa cena, Rue relembra o público de que, não importa o quão dócil e frágil sua personagem seja, ela ainda é uma viciada e todas as ações e emoções são guiadas pelo uso ou abstinência de drogas. A ira de Rue faz com que ela transite gradualmente e de forma orgânica entre cordialidade, indignação, desespero e fúria, transferindo a própria frustração e culpa para Fezco e provando que Sam Levinson acertou ao colocar Zendaya como narradora da história de sua vida real. 

    Rue lidando com a depressão

    A personagem de Zendaya descreve o que sente em todos os possíveis sentidos da palavra, seja verbal, corporal ou emocionalmente. Rue passa o episódio trazendo cuidadosas nuances de cada etapa de sua depressão, representando sem romantização o ciclo sufocante que começa de forma silenciosa e foge do controle. É o que acontece quando a personagem passa dias presa no quarto, repetindo ações viciosas que tornam seus dias iguais, até a evolução do problema, quando Rue fica tão debilitada que sequer consegue levantar da cama para urinar e desenvolve uma infecção urinária. Zendaya consegue transmitir para o público o sofrimento de Rue, de forma que até mesmo assistir à cena se torna uma agonia. 

    Cena final de Euphoria

    Essa é, sem dúvidas, a cena mais impactante de Euphoria e também da carreira de Zendaya. Não apenas por ser final de temporada e inevitavelmente ser a memória mais recente do público, mas por apresentar Rue no ápice de suas emoções após se despedir de Jules. A cena tem a estética de um videoclipe musical, com a música All Of Us servindo de panorama para o sofrimento e alucinação da personagem, deixando o público desorientado sobre o destino de Rue quando ela cai no abismo.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top