Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Ian Somerhalder afirma que Apocalipse V será algo inédito no mundo dos vampiros (Entrevista Exclusiva)
    Por Katiúscia Vianna — 4 de dez. de 2019 às 08:47
    facebook Tweet

    O ator falou sobre comparações com The Vampire Diaries e exaltou a crítica social de V Wars.

    "Hello, brother." Desde as duas primeiras palavras (e um sorrisinho maroto) no piloto de The Vampire DiariesIan Somerhalder conquistou o público. O ator já era conhecido por seu trabalho em Lost, mas foi o vampiro Damon Salvatore que colocou seu nome, definitivamente, no mapa. Depois de oito anos cercado por reviravoltas sobrenaturais e brigas de ships, muitos questionaram qual seria seu próximo projeto após TVD. E, certamente, pouca gente esperava que ele ia voltar, justamente, para o mundo dos vampiros.

    Surge então Apocalipse V, nova série da Netflix, também inspirada numa saga literária, dessa vez de Jonathan Maberry. A primeira vista, as semelhanças com The Vampire Diaries podem parecer muitas, mas a situação não é bem assim... O AdoroCinema teve a chance de entrevistar Ian Somerhalder, que revelou detalhes sobre a nova trama, prometendo ser algo diferente de tudo já visto até agora sobre vampiros na TV:

    "O que torna tão interessante é que não tem nada de sobrenatural [em Apocalipse V]. Tudo começa por causa das mudanças climáticas, uma doença que surge do gelo derretido. Eu amo o gênero dos vampiros, posso brincar e dizer que sou expert nele. Então, é muito especial ver quantos lugares você pode ir. Esse é um ângulo científico sobre como vampiros podem afetar o mundo. Não são apenas dezenas de seres espalhados por aí. São centenas de milhares de vampiros, criados por uma doença. É uma visão completamente diferente."

    TOQUE REAL NO SOBRENATURAL... OU VICE-VERSA?

    Pisando mais na ficção científica do que no sobrenatural, V Wars (no original) acompanha um mundo abalado por uma infecção capaz de transformar pessoas em vampiros. O papel de Ian é um médico, Luther Swann, na busca pela cura, enquanto se vê no meio de uma guerra na sociedade dividida entre os infectados e humanos. Sem falar que os próprios vampiros ganham características diferentes, dependendo de certas características biológicas e locais de origem. Somerhalder conta, por exemplo, os vampiros do Brasil seriam bem diferentes daqueles criados na Europa ou Ásia, dando espaço para uma crítica sobre preconceito e política do medo. (Ps: Já imaginou ver o astro enfrentando vampiros aqui na nossa terrinha?)

    "Sâo coisas com as quais estamos lidando agora na sociedade, essa questão de rejeitar as diferenças. Estamos brigando entre si, quando esquecemos que somos todos iguais. Não importa de onde você vem, sua raça, seu país de origem, quanto dinheiro você tem. Somos todos pessoas. São temas relevantes e divertidos de explorar. E ainda tem a questão das coisas que ressurgem na natureza, após passar milhares de anos presas em gelo, que agora derreteu. O que isso significa para a humanidade? Para a fauna? Cientistas no mundo real dizem como esses são problemas reais, publicando artigos sobre isso, bem na época que estamos lançando essa série."

    Para Ian, a série constrói uma analogia relevante nos dias atuais, onde o clima de polaridade ideológica causa tantos conflitos. "Mudanças de temperatura, fronteiras, racismo, doenças, medo, políticas. Estamos comentando sobre isso tudo. É uma visão moderna sobre vampirismo, com visão científica. Estamos tentando dizer como compaixão, amor e bons governos unem as pessoas. Quando isso não vence, surgem as guerras, essa é a jornada que veremos na TV."

    I AM NOT THE BAD GUY

    Quando o primeiro trailer de Apocalipse V foi divulgado, foi até curioso ver Ian Somerhalder do lado oposto aos vampiros causando guerras pelo mundo. Afinal, se seu Damon passou anos no centro de um triângulo romântico com o irmão Stefan (Paul Wesley) e a amada Elena (Nina Dobrev), ele ficou metade de seu tempo em tela cometendo muito erros, causando confusões. Somerhalder até brinca que TVD era uma aula de psicologia humana, ao ver até onde ele poderia ser perdoado pelos fãs.

    Já Luther Swann é o contrário de Damon Salvatore. Pelo menos, no início dessa jornada. "Interpretar Damon foi incrível, ele era divertido, sarcástico e poderoso. Mas depois de tanto tempo, fiquei animado com a possibilidade de viver um cara normal. Swann é um super-herói da vida real. Seu poder é que ele é uma pessoa boa. Para mim, bons pais, bons cientistas, bons maridos são super-heróis, sabe? Mas o homem que você irá conhecer no primeiro episódio é bem diferente do que surge no episódio final. Ele é forçado a se transformar em algo que nunca imaginou."

    Inclusive, Ian não está preocupado com comparações entre The Vampire Diaries e Apocalipse V, apesar de ambas terem o mesmo astro e os mesmos tipos de monstros. Afinal, tem espaço para todo mundo no mesmo gênero. "As histórias são bem diferentes, o público para qual é feito também é diferente, então espero que crie uma curiosidade. Se você é fã de TVD, ou do meu trabalho, ou da Netflix, ou dos livros e quadrinhos originais, ou de qualquer outra coisa; quem se importa? Espero que seja o suficiente para te atrair."

    DENTRO E FORA DAS CÂMERAS

    Falar que Somerhalder está muito envolvido com Apocalipse V seria eufemismo. O bate-papo com o AdoroCinema também teve a participação de James Gibb (Namoro ou Liberdade), que foi parceiro do astro no desenvolvimento do projeto. O executivo também revela como Ian foi produtor executivo da série, dirigiu um episódio da primeira temporada, além de trabalhar intensamente no processo de pós-produção — que durou onze meses, algo anormal para uma temporada de dez episódios. Sendo que, durante quatro desses meses, eles só dormiam três horas por dia, ao conversar com a equipe residente no Canadá, em outro fuso horário. Não é a toa que Ian foi parar no hospital durante o projeto.

    Mas a animação de ambos é palpável em cada frase, já com grandes planos para criar novas temporadas. Só vai depender do público. "Nós realmente precisamos de tempo para nutrir esses personagens, construir relacionamentos e trazer o que há de melhor nas performances do elenco [ainda formado por nomes como Adrian Holmes (Arrow), Laura Vandervoort (Smallville) e Nikki Reed (Crepúsculo)]. Passamos meses analisando fotografia, encontrando o barulho ideal dos vampiros. Trabalhamos muito para trazer algo dinâmico, único, diverso, sexy, perigoso, controverso e provocador", garante Ian.

    Com os showrunners William Laurin e Glenn Davis (AftermathMissing), Apocalipse V chega ao catálogo da Netflix em 5 de dezembro.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top