Minha conta
    Coletiva VIPs Entrevista com Wagner Moura e Toniko Melo
    Por Francisco Russo — 26 de mar. de 2011 às 19:15

    Entrevista com Wagner Moura e Toniko Melo, ator e diretor de VIPs, vencedor do prêmio de Melhor Filme no Festival do Rio 2010.

    Premiado como melhor filme no Festival do Rio 2010, VIPs chega às telonas com a expectativa de ser um dos principais lançamentos do cinema brasileiro neste ano. Estrelado por Wagner Moura, eternizado como o capitão Nascimento de Tropa de Elite, e dirigido pelo estreante Toniko Melo, o filme traz a história de Marcelo, um jovem com facilidade para imitar a voz e trejeitos das pessoas que usa seu dom para aplicar golpes. Toniko Melo e Wagner Moura concederam uma entrevista para divulgar o lançamento do filme. O AdoroCinema esteve lá e traz logo abaixo o resultado da conversa. Boa leitura! FILME AMERICANO Toniko Melo explicou que VIPs é na verdade um filme americano, por ser fruto de uma parceria firmada entre a Focus Features e a O2 Filmes após o sucesso de Cidade de Deus. "Tive que seguir todo o processo como se tivesse feito o filme nos Estados Unidos. O Fernando Meirelles brinca dizendo que sou o único diretor que fez um filme de Hollywood sem jamais ter pisado lá."

    BIOGRAFIA, NÃO! Toniko ressaltou que VIPs não é a cinebiografia de Marcelo Nascimento da Rocha, mas a versão do livro escrito sobre ele pela autora Mariana Caltabiano. "A Universal Pictures comprou os direitos sobre o livro e a pesquisa que a Mariana fez. É como se comprasse o pôster do filme. Não estou comprando o Wagner Moura, que está nele, mas o pôster!", ressaltou. "Não vou deixar que a família do verdadeiro Marcelo seja molestada por isso, pois não é verdade que o filme seja biográfico. Além do mais, preciso defender o Bráulio Mantovani, pois eu e ele elaboramos um argumento. Como um filme que é uma ficção pode ter um argumento biográfico?" O diretor disse que o roteiro tem alguns elementos do verdadeiro Marcelo, mas que a história principal foi desenvolvida a partir do argumento. "As peripécias do Marcelo que se encaixavam no argumento foram mantidas, apenas isso. Um exemplo é a entrevista concedida ao Amaury Jr. O texto é literalmente igual, mas a situação é completamente diferente. Ao comparar as duas coisas é fácil entender o que é realidade e o que é ficção", declarou. A ALMA DO FILME O tema principal de VIPs nasceu a partir de um sonho de Toniko Melo, no qual o personagem Marcelo tinha escrito uma carta onde dizia que não conseguia sair do personagem. "Contei este sonho a todos os roteiristas com quem conversei e ninguém deu atenção. Até que o Bráulio Mantovani me disse que, com este argumento, queria escrever o roteiro do filme. Fechei com ele", declarou o diretor. PUBLICIDADE "Fiz muito documentário antes de ir para a publicidade, que só me ensinou uma coisa: a trabalhar bem no sentido de onde pôr a câmera. O tipo de filme publicitário que fazia, e pretendo continuar fazendo, é com atores, texto e humor. Tive a sorte também de pegar uma época de ouro no Brasil com roteiristas de publicidade. Nela aprendi a trabalhar com a adversidade, a conhecer a estrutura do cinema e a saber o que dizer e até onde dizer", declarou Toniko Melo sobre sua estreia na direção de um longa-metragem e a experiência na publicidade. IMITAÇÕES Questionado sobre o processo usado para fazer as imitações vistas em cena, Wagner Moura disse que não se considera um bom imitador. "Este filme tem algo legal, pois o personagem começa a imitar a voz mas logo em seguida, quando passa a construir a personalidade, deixa o terreno do imitador e passa a ter algo mais profundo. O personagem é muito melhor ator do que eu, porque a gente em algum momento interpreta enquanto que ele simplesmente é. Mas foi divertido fazer a cena do Renato Russo." VÁRIOS PERSONAGENS EM UM SÓ "Fiquei muito preocupado em fazer com que o personagem tivesse uma liga, para que não caísse na armadilha de que cada fase fosse bem diferente da outra. Todas tinham que sair da mesma matriz, que é este garoto angustiado e com este vazio interior. Por outro lado, construí cada fase de uma forma que há bastante tempo não fazia, seguindo o método stanilavskiano, bem Actor's Studio mesmo, de forma que cada um deles tivesse uma vida pregressa que, obviamente, não viveu", declarou Wagner Moura sobre o processo de criar vários personagens em um só.

    O VERDADEIRO MARCELO Wagner Moura se eximiu de fazer comentários sobre Marcelo Nascimento da Rocha, cuja vida inspirou VIPs. "O que sei dele é que é um criminoso. Evidentemente que é uma pessoa muito mais complexa, apenas isto não o define. Só que não sei nada dele. Se você me perguntar o que acho dele, terei que dar opinião sobre o que ele faz. Não me vejo com capacidade de dizer algo sobre ele por causa disto." CINEMA COMERCIAL Toniko Melo reclamou das críticas que recebeu durante a última Mostra de Tiradentes, onde foi acusado de ter realizado cinema comercial. "Não tenho nada contra o cinema comercial, mas falo de uma aproximação de corpo e alma. Vejo VIPs como um filme que conversa com o público. Tenho uma alegria imensa com a resposta que tenho recebido das pessoas que já o viram, ainda mais por ser meu primeiro trabalho como diretor." REPERCUSSÃO DO FESTIVAL DO RIO Toniko Melo disse que o Festival do Rio foi uma importante janela internacional, que expôs VIPs para a imprensa de vários países. Por outro lado, apesar dos prêmios conquistados e a expectativa pela presença de Wagner Moura, o filme será lançado com bem menos cópias do que se pretendia, em torno de 174. "O José Padilha e o Marco Aurélio Marcondes (responsáveis pela distribuição de Tropa de Elite 2) acham que o filme deveria ser lançado com muito mais cópias", ressaltou. EXPECTATIVA DE PÚBLICO Cutucado sobre o público esperado para VIPs, Toniko Melo saiu pela tangente. "Sou péssimo nisso, o Fernando Meirelles (produtor) é quem entende destas coisas. Vivemos um momento maravilhoso no cinema brasileiro. Depois de Tropa de Elite, um verdadeiro tsunami de bilheteria, os dois filmes nacionais lançados em seguida, De Pernas pro Ar e Bruna Surfistinha, se saíram maravilhosamente bem, o que nos deixa orgulhosos. Agora vamos ver que onda é esta, pois a estreia de Rio irá nos prejudicar bastante. Não por ser desenho, mas por estrear em mil salas. Não precisava disto." Rio chega nos cinemas brasileiros em 8 de abril, em torno de mil salas. Este número é cerca de um terço do total de salas de cinema disponíveis no Brasil atualmente. PRÓXIMOS PROJETOS Wagner Moura já deu início aos trabalhos em A Cadeira do Pai, dirigido por Luciano Moura e com roteiro da Elena Soares. As filmagens ocorrerão em abril e maio. Em julho o ator estará em Elysium, novo filme do diretor Neill Blomkamp (Distrito 9), com locações no Canadá e no México. Será sua estreia no cinema internacional. Outro projeto em desenvolvimento por Wagner Moura é Serra Pelada, no qual será também um dos produtores. O filme está em processo de captação de recursos e será dirigido por Heitor Dhalia (O Cheiro do Ralo). A intenção é que as filmagens ocorram em 2012. Já Toniko Melo comprou os direitos de adaptação do livro "A Chave de Casa", de Tatiana Salem Levy, mas ainda não há previsão sobre quando sua adaptação para o cinema será realizada. ROBOCOP Questionado se participaria do novo Robocop, que será dirigido por José Padilha (Tropa de Elite), Wagner Moura negou. "Este é um projeto do Zé, que está bem animado. Ele é meu parceiro, estou fechado com ele. Se ele quiser que eu faça, eu faço. Mas não tem nada neste sentido."

    facebook Tweet
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top