Minha conta
    Qual o maior psicopata do cinema? Psiquiatras analisam mais de 400 filmes e escolhem personagem inusitado
    8 de ago. de 2022 às 19:50
    Lucas Leone
    Lucas Leone
    -Redator
    Lucas só continua nesta dimensão porque Hogwarts ainda não aceita alunos brasileiros. Ele até tentou ir para Westeros ou o Condado, mas perdeu a hora do Expresso do Oriente. Hoje, pode ser visto escrevendo no Central Perk mais próximo.

    Hannibal Lecter, Norman Bates, Travis Bickle, Patrick Bateman? Qual dessas representações é a mais realista segundo profissionais?

    Quando se fala em personagens psicopatas que marcaram a história do cinema, quais nomes vêm à cabeça? Talvez você pense em Hannibal Lecter, vivido por Anthony Hopkins em O Silêncio dos Inocentes (1991). Talvez você se lembre de Norman Bates, eternizado por Anthony Perkins em Psicose (1960). Ou então de Travis Bickle, interpretado por Robert De Niro em Taxi Driver (1976). Pois bem, nenhum deles é considerado o maior psicopata das telonas.

    Pelo menos é o que diz um estudo belga publicado no Journal of Forensic Science, revista da American Academy of Forensic Science, e intitulado "Psychopathy and the Cinema: Fact or Fiction?" ("Psicopatia e Cinema: Fato ou Ficção?", em tradução). Ao lado de críticos de cinema, os psiquiatras Samuel J. Leistedt e Paul Linkowski analisaram mais de 400 filmes lançados entre 1915 e 2010, selecionando 126 personagens de ficção considerados psicopatas – 21 femininos e 105 masculinos.

    Bom Dia, Verônica e outras séries de TV com serial killers

    O objetivo do trabalho é determinar qual dessas figuras foram representadas apropriadamente. Com base no "realismo e precisão clínica desses perfis", o texto elege um personagem nem tão previsível: Anton Chigurh, o assassino de aluguel encarnado por Javier Bardem em Onde os Fracos Não Têm Vez (2007).

    Dirigido pelos irmãos Ethan e Joel Coen, o longa-metragem é ambientado no Texas da década de 80, onde um traficante de drogas é encontrado ferido no deserto por um caçador pouco esperto, Llewelyn Moss (Josh Brolin), que pega uma mala com US$ 2 milhões mesmo sabendo que em breve alguém vai atrás dele.

    Aí entra Chigurh, um matador sem senso de humor e piedade, que tem como missão recuperar o dinheiro. Porém, para alcançar Moss, ele vai precisar passar pelo xerife local, Ed Tom Bell (Tommy Lee Jones), que lamenta o aumento da violência na região, agora desolada.

    A pesquisa determinou que Chigurh é um psicopata idiopático/primário, quer dizer, cujas condições têm origem genética. Além disso, é um psicopata prototípico bem projetado:

    Existem argumentos suficientes e informações detalhadas sobre seu comportamento no filme para obter tal diagnóstico. Por exemplo, a incapacidade de amor, ausência de vergonha ou remorso, falta de discernimento psicológico, incapacidade de aprender com experiências passadas, sangue frio, crueldade, determinação total e falta de empatia. Ele parece ser afetivamente invulnerável e resistente a qualquer forma de emoção ou humanidade.

    A produção ganhou quatro estatuetas no Oscar 2008: Melhor Filme, Melhor Ator Coadjuvante (Bardem), Melhor Direção e Melhor Roteiro Adaptado. Este último também é assinado pelos irmãos Coen e baseado no livro homônimo de Cormac McCarthy.

    Miramax Films
    Javier Bardem em cena de Onde os Fracos Não Têm Vez.

    Vale ressaltar que a lista dos cientistas belgas não inclui protagonistas famosos como Patrick Bateman (Christian Bale), de Psicopata Americano (2000), nem o próprio Hannibal Lecter – a quem a pesquisa chama de "um dos melhores exemplos de personagem irreal, mas sensacional."

    Também conhecido como "psicopata de elite”, trata-se de um tipo de psicopata que exibe "níveis exagerados de inteligência, maneiras sofisticadas e astúcia, às vezes até níveis sobre-humanos e supermediatizados". No entanto, os pesquisadores apontam uma na representação e descrição dos psicopatas desde o início dos anos 2000: "Eles se tornaram mais humanos e vulneráveis, tendo verdadeiras fraquezas."

    Johnny Depp recusou um dos melhores filmes de terror dos últimos anos e causou uma mudança completa

    Os já citados Norman Bates e Travis Bickle não entraram no estudo porque não são psicopatas, e sim psicóticos. Foram desconsiderados ainda personagens que tivessem poderes mágicos; fossem invencíveis; não humanos (monstros ou fantasmas); ou apresentassem quaisquer características não realistas. Portanto, nada de Lord Voldemort, Darth Vader, vampiros e lobisomens.

    Onde os Fracos Não Têm Vez
    Onde os Fracos Não Têm Vez
    Data de lançamento 1 de fevereiro de 2008 | 2h 02min
    Criador(es): Joel Coen, Ethan Coen
    Com Tommy Lee Jones, Javier Bardem, Josh Brolin, Woody Harrelson, Kelly Macdonald
    Usuários
    4,3
    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top