Minha conta
    Em qual ordem assistir aos filmes sobre caso de Suzane von Richthofen? Diretor tem a resposta
    23 de set. de 2021 às 22:23
    Lucas Leone
    Lucas Leone
    -Redator
    Lucas só continua nesta dimensão porque Hogwarts ainda não aceita alunos brasileiros. Ele até tentou ir para Westeros ou o Condado, mas perdeu a hora do Expresso do Oriente. Hoje, pode ser visto escrevendo no Central Perk mais próximo.
    Co-escrito com:
    Amanda Brandão

    Estrelados por Carla Diaz e Leonardo Bittencourt, os dois longas chegam ao Amazon Prime Video amanhã (24). Mas por qual deles começar?

    Um dos lançamentos mais aguardados do Amazon Prime Video em setembro é a dobradinha A Menina que Matou os Pais e O Menino que Matou Meus Pais. Protagonizados por Carla Diaz e Leonardo Bittencourt, os filmes estreiam nesta sexta-feira (24), reconstituindo o chocante caso de Suzane von Richthofen. Em 2002, junto de seu namorado Daniel Cravinhos, a jovem se declarou culpada pelo assassinato brutal de seus pais. Mais de 18 anos depois, o crime chega às telonas em duas versões diferentes – a primeira pelo olhar de Daniel; a segunda sob a perspectiva de Suzane.

    A Menina que Matou os Pais
    A Menina que Matou os Pais
    1h 20min
    Criador(es): Mauricio Eça
    Com Carla Diaz, Leonardo Bittencourt, Allan Souza Lima, Leonardo Medeiros, Vera Zimmermann
    Assista agora

    Desde que os projetos foram anunciados, em julho de 2018, uma pergunta parece intrigar o público: por que contar a mesma história em duas partes? O AdoroCinema também ficou curioso e decidiu sanar a dúvida durante uma entrevista com a equipe criativa dos longas. Para Raphael Montes, que assina o roteiro ao lado da criminóloga Ilana Casoy, havia uma necessidade de se entender o que aconteceu antes do homicídio.

    Ele conta que questionou sua parceira: "'Como eles chegaram nisso?', 'Qual a relação que eles tinham com aquela família?', 'Quem era ele?', 'Quem era ela?', 'Como ela o cumprimentou naquele dia?'". Indagações que, de acordo com Montes, representam um incômodo tipicamente humano. E Ilana retrucou: "'Eu não sei, eu não estava lá. Eu só sei o que ele disse e o que ela disse'".

    A Menina que Matou os Pais: Visita ao set e papo com Carla Diaz

    Foi aí que Montes se lembrou do filme francês Bem Me Quer, Mal Me Quer, que usa  dois pontos de vista distintos para narrar um conturbado romance. Já Ilana trouxe como referência a série americana The Affair, que introduz separadamente a concepção masculina e a feminina sobre um relacionamento extraconjugal. Inspirados por tais produções, os autores resolveram criar duas linhas dramáticas, mostrando qual é a verdade de cada um dos envolvidos. Afinal, como destaca Montes, "não há uma verdade objetiva dos fatos".

    Ele explica que, inicialmente, as duas versões estariam reunidas em um único roteiro. Até que o diretor Mauricio Eça e os produtores Gabriel Gurman e Marcelo Braga propuseram a divisão: "'Por que não inovamos fazendo dois filmes para que a experiência seja ainda mais completa? Não estamos falando que um é pior e outro melhor. Nós apresentamos as versões, e o público decide.'"

    EXISTE UMA ORDEM CERTA PARA ASSISTIR AOS FILMES?

    Segundo Eça, o recomendável é começar por O Menino que Matou Meus Pais e, em seguida, A Menina que Matou os Pais. "Eu já assisti em todas as ordens possíveis, e o Raphael [Montes] concorda comigo que essa talvez seja a melhor. Mas pode funcionar do outro jeito também", avalia o diretor.

    Ainda assim, ele insiste que não há uma sequência exata. "É preciso assistir aos dois filmes, já que eles se complementam e trazem visões diferentes", afirma. "Nesse quebra-cabeça, nós pensamos: 'Por que ele [Daniel Cravinhos] não fala disso?' Talvez porque, em seu depoimento, isso não fosse tão importante para a sua verdade quanto para a verdade de Suzane."

    Em todo caso, a dobradinha estará disponível no Prime Video a partir de amanhã (24). O elenco ainda conta com Allan Souza Lima, Leonardo Medeiros e Vera Zimmerman.

    O Menino que Matou Meus Pais
    O Menino que Matou Meus Pais
    1h 20min
    Criador(es): Mauricio Eça
    Com Carla Diaz, Leonardo Bittencourt, Allan Souza Lima, Leonardo Medeiros, Vera Zimmermann
    Assista agora
    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • Rodrigo
      vc que é surreal,vc está indagando sobre assistir filmes americanos,qual é o crime em assistir filmes americanos? eu por acaso cometo algum crime em falar que em outros países bandidos tem tratamento mais pesado que no Brasil? isso não é óbvio pra vc?em vários filmes a bandidagem fica querendo fugir pro Brasil,não soa muito diferente da realidade né?está na área dos comentários desse filme e fica citando outros filmes? já que insiste em qual filme americano ficam bajulando bandidos? cite eles então uéfilme americano bandido toma é um belo tiro no meio da fuça isso sim ou uma injeção letal na veia,se tiver alguma sorte só pega uma perpétua da vida,mas provavelmente vc deve ser só outro manipulado(a) com aquelas historinhas dos créditos iniciais (pra segurar audiência) dizendo que o filme é baseado em história real,eu não deveria mas vou te dar uma dica, pega esse filme americano que diz ser história real no começo e olhe a última frase dos créditos finais que geralmente lá estará dizendo que o filme é uma ficção e qualquer semelhança com a realidade de personagens, acontecimentos ou lugares é mera coincidência não intencional (por lei filme fictício é obrigado colocar essa frase e alguns deles colocam essa frase muito pequena pra ninguém poder ler,malandros não?) kuekuekue,eu mesmo descobri isso sozinho,então não fale sobre o que não sabe
    • Rodrigo
      não tenho interesse algum em mudar NADA,assim como vc (segundo suas palavras) só estou observando que nesse país apesar de haver as tais LEIS muitas delas são um absurdo,não me importo com historinhas de filmes muito menos com o que vc acha,só me importo com a minha própria vida por isso mesmo já conclui faz tempo que jamais teria filho que além de poder estar criando meu próprio assassino ou um drogado, filho ainda é passivo (gasto de dinheiro e tempo a toa a troco de nada)
    • Fab.
      Você sabe o que são LEIS? então.. Se ela está cumprindo a pena, mesmo sendo um absurdo ela ainda tem direitos. Briga com a justiça, refaça as leis. rsrs Seu comentário revoltado por causa de um filme não vai mudar NADA.
    • Fab.
      É a mesma coisa, você acha que lá todos os crimes são solucionados? Para de cair no conto de fadas.Surreal é comentários hipócritas. Assistem a filmes americanos/europeus sobre mortes e assassinatos e quando é filme brasileiro tem esse mimimimi. Crescam!
    • Fab.
      Que comentário imbecil. Você por acaso assiste a filmes de serial killers e baseado em fatos reais americanos? Se sim então você é só mais uma vira-lata hipócrita. O filme não romantiza nada, ele conta a versão dos dois e baseado no CASO VERDADEIRO, é pra MOSTRAR como foi o crime, não tem nada de romantização. I D I O T A
    • Rodrigo
      bandidolatria foi a melhor definição que eu já li, para que dois filmes? para explicar duas visões diferentes? duvido,supostamente com dois filmes ele visavam lucrar em dobro,não há duas visões diferentes dos criminosos e sim uma única visão definidora,que criminoso é criminoso e gente de bem é gente de bem,nesse país graças a bandidolatria vemos assassinos superprotegidos virando heróis,hipocrisias como assassina de país saindo da cadeia no indulto do dia dos país
    • crazy 8.
      acho que o contexto são outros e não tenta justificar o assassinato, a realidade q aqui onde e um pais da impunidade ver q bandidos tem filmes, chega a ser surreal.
    • Coralina Santiago Abdenur
      Bobagem. Se tudo que é violento precisar ser omitido, não se pode mais abrir um livro de História, por exemplo. Relatar a ocorrência de algo não necessariamente é romantizar, exaltar ou concordar com aquilo. Mas meu palpite é o de que você é bolsonarista e agora odeia tudo que se produza, no cinema, na televisão e etc, principalmente se tiver atores e atrizes da TV Globo. Que nunca foi santa mas vocês adoravam e assistiam todo dia, até 2019. Agora resolveram detestar. LIXO. Ela e vocês que apoiam esse TRASTE.
    • Rafael O.
      Também concordo com Allan Magalhães. Não entendi seu comentário Mierling. O filme retrata a realidade, o que aconteceu. Vc está criticando por ser um filme brasileiro, pois foi o único entendimento que tive. Temos diversos filmes que retratam estes tipos de crimes, como Ted Bundy, 3096 Dias, são filmes fortes e infelizmente mostram a capacidade do que o ser humano pode ser.
    • Allan Magalhães
      Sempre existiu filme/série retratando esses ocorridos, e em qualquer lugar do mundo. A netflix fez há pouco tempo um do ted bundy, por sinal.O filme nada mais faz do que contar uma história que aconteceu, vc querendo ou não. Filmes sobre o nazismo idolatram o Hitler então?
    • Rô Mierling
      A Menina que Matou os Pais e O Menino Que Matou Meus Pais - Ai que filme meigo... onde os assassinos são de boas famílias, educados, e o destino é que os fez tomar rumos indesejados.Uma verdadeira história de amor que deu errado...SÉRIO??? Matar pai e mãe, que estavam dormindo, assassinados de forma brutal?E isso vira entretenimento, que deturpa a verdadeira face do crime hediondo cometido. Um absurdo que só mostra que o Brasil está perdendo a essência da verdadeira cultura, usando-a para alienar mentes com filmes lixo como esses.UM ALERTA PARA MENOS INCENTIVO A VIOLÊNCIA ROMANTIZADA.Bandidolatria sem limite!Porque então, eu assisti ? Porque sou escritora de alerta social, e preciso ter ciência das induções ao mal, que se disfarçam de cultura, ainda mais vindo de quem, DIZ que conhece a verdade.Pais, fechem as portas do seus quartos. Porque seus filhos podem achar que vocês atrapalham.#nojo
    Mostrar comentários
    Back to Top