Minha conta
    Meryl Streep revela que ficou depressiva por causa de O Diabo Veste Prada
    Por Nathalia Jesus — 15 de jun. de 2021 às 14:49

    Responsável por dar vida à memorável Miranda Priestly, Meryl Streep usou uma técnica de atuação que a tornou infeliz nos bastidores do filme.

    Este ano, O Diabo Veste Prada completa 15 anos de lançamento e a comemoração está rendendo alguns frutos, como a possibilidade de uma continuação do filme e relatos sobre os bastidores da produção. Em recente entrevista ao Entertainment Weekly, Meryl Streep revelou que ficou depressiva por interpretar a personagem Miranda Priestly.

    Em conversa com o veículo, a atriz disse que ficava destacada e sempre saia de perto do elenco e da equipe em intervalos, quando as câmeras não estavam filmando. "Foi horrível! Eu estava sofrendo no meu trailer e podia ouvir todos eles se divertindo e rindo. Eu estava tão deprimida! Eu disse: ‘Bem, é o preço que você paga por ser a chefona!’ Essa foi a última vez que tentei essa coisa de método.”

    Conhecida como “método”, esta é uma técnica utilizada para que atores incorporem as emoções e os trejeitos de seu personagem, com o objetivo de serem críveis pelo público e pelo próprio grupo de atores no set — como Jim Carrey em sua preparação para o filme O Mundo de Andy, que lhe rendeu muitas críticas negativas do elenco.

    Entenda por que Anne Hathaway quase não protagonizou O Diabo Veste Prada

    Apesar de Meryl Streep não ter se sentido confortável em sua atuação dentro e fora das câmeras, Anne Hathaway, que interpreta Andy Sachs em O Diabo Veste Prada, disse que a atriz veterana nunca a fez se sentir “intimidada”, apesar da atuação do método: “Sempre me senti cuidada. Eu sabia que tudo o que ela estava fazendo para criar esse medo, eu apreciava [porque] também sabia que ela estava cuidando de mim. ”

    A atriz completou: “Há uma cena em que [ela diz]: ‘Você é tão decepcionante quanto o resto daquelas garotas tolas’. Lembro-me de que quando a câmera me ligou, a pressão realmente me atingiu, e eu tinha tanta fluidez emocional durante o dia até aquele ponto, mas simplesmente não estava mais lá. Lembro de ter tido a experiência de [ela] me assistir, e [ela] alterou [seu] desempenho ligeiramente, e apenas o tornou um pouco diferente, e trouxe mais de mim e me fez quebrar qualquer barreira que eu tivesse."

    O Diabo Veste Prada pode ter continuação?

    Ainda nesta mesma entrevista, Meryl Streep, Anne Hathaway, Emily BluntStanley Tucci e outros membros da produção de O Diabo Veste Prada se reuniram e falaram sobre a possibilidade da continuação do filme. Para eles, embora seja uma ideia distante, a chance de haver um segundo longa-metragem baseado na obra de Lauren Weisberger não seria descartada.

    "O estúdio não pediu [uma sequência]. Tivemos uma reunião em que dissemos: "O que poderíamos fazer se houvesse uma sequência?" Talvez tenha sido estúpido; ficamos tipo: ‘Não, essa história foi contada…’ Lauren finalmente escreveu outro livro 15 anos depois. Chegamos à mesma conclusão, que apenas seguir os personagens não seria a mesma coisa", disse o diretor David Frankel.

    Além de The Prom: 5 vezes em que Meryl Streep cantou no cinema

    Enquanto o cineasta parecia incerto, a autora Lauren Weisberger deu um pouco mais de esperança aos fãs de O Diabo Veste Prada: "Houve muitas conversas sobre isso. Eu não diria que está fora do reino das possibilidades".

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top