Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Roman Polanski não vai a premiação do César por medo de "linchamento público"
    Por Ygor Palopoli — 28 de fev. de 2020 às 14:15

    O diretor diz ter recebido ameaças de um grupo de ativistas feministas.

    Depois de ter sido oficialmente considerado um foragido da justiça norte-americana devido às acusações de assédio sexual com uma menor de idade, o cineasta Roman Polanski não pode sair da França, o que o impediu até mesmo de ir na estreia de seu novo filme, O Oficial e o Espião. No entanto, todos aguardavam sua presença no César Awards, premiação francesa na qual o longa está competindo. 

    Porém, em declaração feita para a Variety, o cineasta explicou que mesmo que sua obra esteja concorrendo em 12 categorias, ele não estará presente: "Há vários dias, me perguntam: você vai ou não para a cerimônia do César? E eu respondo então com a seguinte pergunta: como eu poderia?". De acordo com Roman, ele "já sabe como a noite vai ser".

    Em frente à sala Pleyel, em Paris, onde o evento será realizado, há um protesto agendado por um grupo de ativismo feminista, que pretende levar cartazes e realizar uma grande manifestação para que Polanski seja detido. Contando também com a presença de atrizes e outras profissionais da indústria, a principal pauta do movimento é a falta de atitudes mais objetivas, mesmo diante de tantas denúncias diferentes contra o diretor.

    Cena de O Oficial e o Espião.

    "As ativistas me ameaçam de um linchamento público. Algumas anunciam protestos, outras querem fazer de seu combate um palanque. Tudo isso promete mais ser um simpósio do que uma festa do cinema que deve recompensar seus maiores talentos", terminou justificando Polanski.

    O Oficial e o Espião conta a história da vida de Alfred Dreyfus, judeu preso em 1895 que foi posteriormente condenado à morte sob acusações falsas feitas pelos militares. O roteiro é assinado Robert Harris (O Escritor Fantasma), baseado na famosa carta ao Presidente da República do autor Émile Zola.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • Caio Henrique De Souza Santos
      Só que ele cometeu o crime mesmo. Ele realmente fez sexo com a menina em 1977, taí online, só verificar.
    • Caio Henrique De Souza Santos
      Ele é um réu confesso e afirmou ter dormido com uma garota de 13 anos enquanto aos 43. Outras acusações seguiram estas, de outras duas então adolescentes, mas décadas depois, e prescreveram. Ele é considerado foragido nos EUA e foi excluído do Oscar.A produção do filme, os atores e o próprio comitê do César parecem discordar, no entanto!Eu não gosto da ideia do goleiro Bruno voltar a jogar, por exemplo. Um cara que mata e esquarteja a própria esposa e dá de comer aos cachorros voltando às telas e holofotes. Talvez também não Polanski.
    • Josefino Agripino
      feministas sendo feministas... cambada de imbecis hipócritas!!!
    Mostrar comentários
    Back to Top