Minha conta
    Star Wars: J.J. Abrams relembra como Carrie Fisher "ressurgiu" em Episódio IX (Entrevista)
    Por Pablo Miyazawa — 15 de nov. de 2019 às 09:00

    Para o diretor, utilização de cenas inéditas da atriz em A Ascensão Skywalker foi um processo "cósmico".

    A participação de Carrie Fisher em Star Wars: A Ascensão Skywalker tem dado o que falar. A eterna intérprete da Princesa/General Leia Organa, que morreu em 2016, fará parte da narrativa do derradeiro Episódio IX por meio de trechos filmados e não utilizados de Episódio VII - O Despertar da Força.

    Em agosto último, em uma entrevista a um grupo de jornalistas (da qual o AdoroCinema fez parte), o diretor J.J. Abrams explicou o contexto da utilização das cenas inéditas de Carrie/Leia em A Ascensão Skywalker — e como a solução não planejada pareceu surgir de maneira “cósmica”. Leia abaixo:

    “Quando fui convidado para dirigir Episódio IX, ela [Carrie Fisher] faleceu. Então, nessa hora eu não estava pensando se seria ou não possível — eu só sabia que seria possível e daríamos um jeito. Só que quanto mais trabalhávamos no filme, mais percebemos que não havia como realizá-lo sem ela. É uma personagem muito importante, uma peça crucial do quebra-cabeça. A ideia de concluir a saga dos Skywalker sem Leia era impossível. Algumas pessoas sugeriram escalar outra atriz, que é algo que eu nunca faria. Outros falaram de usarmos computação gráfica para colocá-la de volta, mas eu sabia que não funcionaria de jeito nenhum”.

    Carrie Fisher e J.J. Abrams durante as filmagens de Episódio VII. (Reprodução)

    “Daí começamos a olhar o material que filmamos e não utilizamos em O Despertar da Força. E percebemos que tínhamos cenas de verdade ali, e oportunidades reais de realizar as coisas”, revelou o diretor. “Às vezes quando se trabalha em uma história, algumas ideias não necessariamente funcionam e acabam sendo derrubadas. Na época [da pós-produção de Episódio VII], eu lembro de ter pensado ‘que pena que não vamos usar essas cenas’. Afinal, é da Carrie que estamos falando.

    É claro que não tínhamos ideia do que aconteceria. Mas o fato é que guardamos cenas que, de repente, tinham um propósito, e com significado — não era como se estivéssemos enfiando coisas no filme sem razão.  Sim, pareceu quase ‘cósmico’, algo que estava além do que poderíamos imaginar, porque foi estranhamente perfeito”.

    “Não tínhamos um roteiro pronto [para o Episódio IX]. Fomos escrevendo ao mesmo tempo em que discutíamos sobre o andamento da história. E enquanto escrevíamos, olhávamos as cenas de Carrie que estavam guardadas. Era meio como fazer um quebra-cabeça Sudoku, descobrindo o que fazer na medida em que íamos fazendo. Havia limitações, é claro, mas tomamos decisões para ir resolvendo isso também.”

    Daisy Ridley (Rey) e Carrie Fisher (Leia): um abraço aguardado. (Reprodução)

    Em uma entrevista concedida no mesmo dia ao AdoroCinema, a atriz Daisy Ridley também comentou sobre a presença de Carrie Fisher em A Ascensão Skywalker.

    “A performance dela está no filme em várias cenas, então é claro que isso é perturbador”, falou a intérprete de Rey. “E também é bem estranho o fato de que as cenas que gravamos para filmes muito diferentes funcionem tão bem neste — e Leia tem um papel central!”

    Você confere mais trechos das entrevistas com o elenco de Episódio IX ao longo das próximas semanas aqui no AdoroCinema. Star Wars: A Ascensão Skywalker estreia em 19 de dezembro no Brasil.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • Diário Gay do Diego
      Esse filme vai ser emocionante demais, por diversos motivos... Só espero que a Rey continue no lado bom da força e tbm em outros filmes. 🙏 💕
    Mostrar comentários
    Back to Top