Minha conta
    Lily Collins defende O Mínimo Para Viver após críticas sobre o retrato da anorexia no filme
    Por Katiúscia Vianna — 26 de jul. de 2017 às 17:10

    Polêmico longa já está no catálogo da Netflix.

    Escrito e dirigido por Marti Noxon (Grey's Anatomy, UnREAL), O Mínimo Para Viver trouxe o debate sobre distúrbios alimentares novamente para a mídia, mas causou controvérsia em parte do público.

    O longa gira ao redor de Ellen (Lily Collins), jovem que sofre de anorexia e começa a seguir um tratamento não convencional criado pelo Dr. William Beckham (Keanu Reeves). O problema é que organizações de saúde mental não aprovam a produção, por mostrar métodos para perda de peso e e cenas de corpos magros com ossos proeminentes ao retratar a vida dos protagonistas.

    Diante disso, Lily Collins defendeu o projeto durante entrevista para o Digital Spy, pois acredita que a resposta foi positiva. Inclusive, a atriz sofreu de um distúrbio alimentar no passado, mas escolheu perder peso para o papel. "Já estou satisfeita por ter uma conversa sobre o assunto. Não acredito que Marti e eu começamos, só tornamos mais alta e isso é muito importante. Muitos jovens vieram a público contar suas histórias e realmente aprecio que o filme mostra diferentes tipos de sofrimentos, como cada jornada é diferente e como a recuperação é possível. Todo mundo tem direito à sua opinião e estou muito orgulhosa do que fizemos."

    Lily Collins e Alex Sharp em cena de O Mínimo Para Viver.

    Lily também contou como é importante desglorificar os "corpos perfeitos" que buscam nas atrizes de Hollywood. "Mais pessoas estão falando sobre o assunto e há maior foco na longevidade das carreiras, ao invés de focar nos looks. Eu busco histórias sobre mulheres incríveis por seus atos e consquistas, não pelo visual."

    Vale lembrar que essa não é a primeira vez que uma produção da Netflix é alvo de polêmica. Série original da plataforma, 13 Reasons Why sofreu diversas críticas de organizações de saúde mental pelo retrato gráfico do suicídio da protagonista vivida por Katherine Langford. Por outro lado, centros especializados revelaram que os pedidos de ajuda aumentaram desde o lançamento do show.

    O Mínimo Para Viver já está disponível no catálogo da Netflix. Leia a crítica do AdoroCinema.

     

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top