Minha conta
    Cidades de Papel: “Há cenas do filme que eu gostaria que estivessem no livro” (exclusivo)
    Por Renato Hermsdorff — 5 de jul de 2015 às 07:55

    Foi o que o autor John Green confessou ao AdoroCinema, ao lado do protagonista, Nat Wolff. Confira a bem humorada entrevista em que eles falaram sobre o Brasil, um estranho sotaque surgido no set, Pokémon e Wolff no papel de Alasca. Alasca?

    “As pessoas sempre falam sobre como as coisas são perdidas na adaptação mas também há coisas que são ganhas. Há algumas cenas no filme que eu acho ótimas e que não estão no livro, que eu gostaria que estivessem no livro mas eu não pensei nelas [antes]”, confessou o autor de Cidades de Papel, John Green, em entrevista exclusiva ao AdoroCinema, ao lado do protagonista Nat Wolff, no “melhor lugar em que eu já estive na vida”, ou seja, o Rio de Janeiro, segundo o próprio ator.

    De fato, a adaptação para os cinemas traz algumas diferenças em relação à obra literária, sobretudo no desfecho do longa-metragem (mas não, não vamos dar nenhum spoiler aqui). Uma dessas situações foi uma piada, quando Quentin (Wolff) e Ben (Austin Abrams) desandam a falar com um sotaque estranho e Radar (Justice Smith) – que completa o trio de amigos inseparáveis da trama – não consegue acompanhar.

    “Isso veio do diretor, Jake Schreier, nos ensaios. Todo o elenco se reunia e assistia a um filme, assistiram a filmes do [ator Humphrey] Bogart. Austin e Nat ficaram muito bons em fazer essa voz”, informou Green, quando Nat completou: “E Justice não”. “Então, a piada no filme é verdadeira”, concluiu John, também produtor executivo do longa, sobre a cena, hilária – que só não é mais engraçada do que o “momento Pokémon” (não vamos estragar a surpresa, mas há um "momento Pokémon" no filme).

    O que não é piada é a semelhança entre a jovem atriz Hannah Alligood, que faz uma participação como a protagonista feminina Margo Roth Spiegelman na infância, e a ex-modelo-agora-atriz Cara Delevingne, que vive a personagem na fase adolescente. “Nas fotos, ela parece mais a Cara com aquela idade do que a própria Cara”, brincou o escritor.

    Depois de participar de A Culpa É das Estrelas e deste Cidades de Papel, não poderíamos deixar de perguntar ao ator se ele estará também na próxima adaptação para o cinema de outro livro de Green, Quem É Você, Alasca? “Sim, eu vou interpretar a Alasca”, ele fugiu da pergunta, mas não perdeu a piada: “Eu poderia fazer tipo o Eddie Murphy naqueles filmes. No filme vou ser tipo o cara principal falando ‘Alasca, onde você foi?’, ‘Estou bem aqui!’” Aproveitamos para perguntar a John por que a diretora Sarah Polley, inicialmente confirmada como diretora do novo filme, saiu do projeto. Confira no vídeo acima.





    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top