Minha conta
    Soul, Rei Leão e outras 13 animações que te fizeram chorar
    Por Lucas Salgado/Amanda Brandão — 5 de abr. de 2015 às 00:30
    Atualizado 6 de jan. de 2021 às 16:01

    O público não consegue parar de chorar desde que Soul, da Pixar, estreou no Disney+.

    Matéria original de 05/04/2015 e atualizada em 05/01/201

    Quem aí nunca chorou em uma animação? A Pixar ajudou a popularizar essa choradeira nos últimos anos, mas como poderão ver nas próximas páginas essa história de animação triste não é nada nova. Antes disso, o público já pôde chorar horrores com filmes como BambiFievel e O Rei Leão.

    Agora, com a estreia de Soul no Disney+, os espectadores não estão se aguentando de tanta emoção e as lágrimas acabam escorrendo. Por isso, o AdoroCinema listou 15 animações que vão te fazer chorar!

    Soul (2020)

    Soul, a mais recente animação da Pixar coloca, mais uma vez, o público para pensar. Desta vez, é sobre aproveitar cada minuto da vida. É impossível não chorar ao encontrar as semalhanças da vida do personagem com a nossa. Na história, um professor de música sofre um acidente e a sua alma passa a existir em outra realidade. Agora, ele precisa aprender mais sobre si mesmo e retornar para o seu corpo. Por lá, ele conhece diversos companheiros e o desfecho disso tudo é de quebrar as pernas de qualquer um que tenha coração.

    Up - Altas Aventuras (2009)

    Com certeza os diretores desta animação apostaram com seus colegas da Pixar que conseguiriam fazer o público chorar com poucos minutos de Up - Altas Aventuras. E eles conseguiram! É absurdo. Em menos de 10 minutos você já acompanhou e se emocionou com a saga de Carl e Ellie. Eles se conhecem crianças, são grandes amigos, se casam, sonham com grandes aventuras, perdem um filho, não vivem as aventuras e ela morre. Simples, assim. Deprimente, assim. No final, voltamos a chorar com Carl percebendo que eles tiveram sim uma vida linda juntos.

     

    Divertida Mente (2015)

    Divertida Mente vai acabar com as suas estruturas, principalmente se você é um jovem adulto. O filme propõe diversas reflexões sobre a vida e as memórias - e é justamente aí que a lágrima acontece. A trama acompanha Riley, que se muda para São Francisco e suas emoções não sabem mais como agir. A Alegria, líder do grupo, está tentando manter tudo certo, mas Tristeza está cada vez mais perto de influenciar a jovem. Quando as memórias pricipais de Riley são perdidas, as duas se juntam para recuperá-las e a aventura começa. 

    O Rei Leão (1994)

    A Disney tem uma coisa com matar pais que é impressinante. Parece que perceberam que a morte da mãe do Bambi já não comunicava com o público mais novo dos anos 90. Assim, vem a morte de Mufasa, pai de Simba em O Rei Leão. Um personagem importante assassinado pelo irmão na frente do filho. Tem como segurar a lágrima?

    Viva - A Vida é Uma Festa (2017)

    Viva - A Vida é Uma Festa é um prato cheio para fazer chorar - principalmente nos minutos finais. A animação da Pixar acompanha Miguel, um menino que enfrenta a reprovação de sua família por sonhar em se tornar um grande cantor no México. O que acontece é que justamente essa oposição da família o coloca em uma jornada mágica e perigosa no Dia de Los Muertos. 

    Bambi (1942)

    Para muita gente, quando se fala de animação que faz chorar logo vem Bambi na cabeça. Também pudera, em 1942, ninguém estava preparado para ver o protagonista de um desenho perder sua amada mãe baleada por um caçador. Credo. E o fato de acompanharmos Bambi e não assistirmos ao tiro só torna tudo mais angustiante, como você vê na cena abaixo.

    Toy Story 3 (2010)

    São vários os filmes da Pixar que fazem chorar, como verão pela frente. Mas eles abusaram em Toy Story 3. São inúmeras cenas emocionantes. Temos quase um suicídio coletivo e ao final ainda testemunhamos Andy se despedindo de todos os queridos brinquedos, inclusive de seu Woody.

    Não deu pra achar a cena abaixo em melhor qualidade, mas o que fica é o sentimento que dela podemos retirar. Lindo, lindo.

    Fievel - Um Conto Americano (1986)

    Fievel é uma das mais belas animações dos anos 80, que encantou toda uma geração, mas que hoje não é muito conhecida. Além de nos ensinar que "não existem gatos na América", o longa nos emocionou ao retratar a saga de um ratinho separado de sua família em uma terra desconhecida. Ele é obrigado a confrontar seus medos. É difícil não chorar ao som de "Somewhere out there" (ou "Eu Sei Que Há", na versão dublada).

    Em Busca do Vale Encantado (1988)

    Em Busca do Vale Encantado: está aí mais um caso de animação que mata a mãe de seu protagonista, a diferença é que não é uma produção da Disney, mas da Universal. O longa produzido por Steven Spielberg encantou uma geração, mas também traumatizou muita gente ao retratar a morte da mãe de Littlefoot, uma "pescoçuda" que protege o filho do ataque de um tiranossauro, mas que acaba sucumbindo ao mesmo.

    O Cão e a Raposa (1981)

    O Cão e a Raposa não é das animações mais conhecidas da Disney, mas sem dúvida é uma das mais tristes. O longa conta a história de uma amizade improvável entre um cachorro e uma raposa, mas também mostra o carinho de uma senhora com a mesma raposa, que adotou quando pequena. A cena abaixo mostra o momento em que a senhora é obrigada a abandonar a raposa na floresta. Difícil conter as lágrimas. E o sentimento que fica é que "para sempre é muito, muito tempo e o tempo tem um jeito de mudar as coisas."

    Wall-E (2008)

    Olha a Pixar aí de novo. Wall-E é um dos mais belos filmes no estúdio, contando com um início maravilhoso que remete ao cinema mudo de Chaplin. Alguns cinéfilos mais emotivos choram já no início do filme. Mas a maioria vai às lágrimas no final com Wall-E reconhecendo Eva ao som de canção clássica de Alô Dolly!.

    Todos os Cães Merecem o Céu (1989)

    O título do filme já dá uma dica do que acontece no final desta animação, não é mesmo? Poucas coisas são tão tristes quando uma garotinha se despedindo de seu cachorro. Duvida? 

    O Túmulo dos Vaga-Lumes (1988)

    Não poderia faltar um representante da animação japonesa. O Túmulo dos Vaga-Lumes conta a história de um jovem rapaz que tenta sobreviver ao lado da pequena irmã no Japão durante a Segunda Guerra Mundial. O final é trágico e desolador. Impossível não chorar.

    Monstros S.A. (2001)

    Diferentemente do que acontece com as outras produções da Pixar citadas, poucos lembram de Monstros S.A. como sendo um filme triste. Mas é inegável que a cena em que Sulley se despede de Boo é muito, mas muito tocante. Você pode ver a mesma abaixo.

    Operação Big Hero (2014)

    Operação Big Hero reúne alguns momentos emocionantes, inclusive uma morte de um dos personagens mais importantes que fazem o espectador cair em lágrimas. Ao mesmo tempo em que é divertido, o longa também é bonito.

    facebook Tweet
    Pela web
    Comentários
    • Giovan Hibryd
      entao vamos casar e pronto entao ué..
    • Giovan Hibryd
      entao vamos casar ué
    Mostrar comentários
    Back to Top