Minha conta
    Vestido pra Casar: Acompanhamos as filmagens da nova comédia com Leandro Hassum e Marcos Veras
    Por Lucas Salgado — 11 de mai. de 2014 às 08:03

    Conversamos ainda com as atrizes Renata Dominguez e Fernanda Rodrigues, e com os diretores Gerson Sanginitto e Paulo Aragão.

    GuiMaia DanBehr

    No último mês de março, o AdoroCinema visitou o set de filmagens da comédia Vestido pra Casar. Acompanhamos a gravação de duas cenas e, nos intervalos, ainda conversamos com a equipe da produção. Uma das apostas para o segundo semestre de 2014, o longa traz Leandro Hassum na pele de Fernando. “Ele é um escritor de guia de viagem que no dia do casamento vai buscar a noiva, mas tem a infelicidade de esbarrar neste casal, que é a Valentina, uma ex-BBB, e Ceição, que é o segurança que tem um caso com ela. Sem querer, eu rasgo o vestido dela e começo uma confusão, uma grande comédia de erros, um grande vaudeville, em que eu tenho que resolver o problema do vestido dela pra casar, daí o nome”, afirmou o astro de Até que a Sorte nos Separe. Renata Dominguez vive Valentina e descreve a personagem como uma “maluca que se acha muito famosa, que tem um marido que é senador”. A atriz comemorou o fato de logo em sua primeira comédia já contracenar com nomes consagrados do gênero. Um destes é Marcos Veras. O ator de Copa de Elite vive justamente o amante de Valentina, Ceição. “É um segurança que tem um caráter duvidoso e se acha galã. Ele morre de medo do chefe. O medo que ele gostaria de não sentir, ele joga para o Fernando”, afirmou Veras. Após esta breve conversa com o trio, as atores foram chamados para rodar uma cena. Diante de uma sala grande com o fundo verde, foi possível acompanhar a sequência que acontece logo após o rasgo do vestido. Em seu carro, Fernando tenta fugir de paparazzis que querem registrar Valentina, que não pode ser vista com o vestido rasgado ao lado do amante. A cena é curta, mas foi bem interessante acompanhar as filmagens, que utilizavam duas câmeras e muitos materiais de alta tecnologia. Na sequência, enquanto os atores paravam para almoçar, foi possível conversar com o diretor Gerson Sanginitto e com o codiretor Paulo Aragão, filho de Renato Aragão. “O projeto começou no final de 2010. Eu conheço o Leandro há vários anos, temos uma amizade de mais de 20 anos. Eu moro em Los Angeles e estava no Brasil em 2010. Fui assistir a peça Lente de Aumento, com o Leandro. Saindo de lá fomos comer uma pizza e começamos a falar de cinema e de fazer algo junto. E daí foi muito rápido. Ele trouxe dois roteiristas que trabalhavam com ele na Globo e começamos a fazer o roteiro”, afirmou Gerson. Sobre o trabalho em dupla na direção, Paulo destacou: “Primeiro a gente pensou em dividir as cenas, mas como vimos que o andamento ia melhor com os dois juntos, decidimos fazer tudo junto.” Gerson Sanginitto também falou sobre o fato de Hassum ter estourado no cinema durante estes quatro anos que levaram para o filme sair do papel. “Ele nunca tinha sido um protagonista. A ideia era justamente dar uma oportunidade destas para ele. Mas é aquela coisa, os projetos muitas vezes dão uma parada, é difícil encontrar as pessoas certas. Aí ele fez dois filmes na sequência”, disse. Após os diretores, foi a vez de bater um papo com Fernanda Rodrigues, que falou um pouco sobre sua personagem: “Eu interpreto a Nara, que é uma menina do interior do Paraná e que conheceu o personagem do Hassum na França. Eles ficam noivos e o filme se passa no dia do casamento.” Antes de deixarmos o set, localizado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, voltamos a conversar com Hassum. Apesar da demora para o projeto ser produzido, o ator considera que foi o tempo certo para amadurecer o roteiro e a produção. “É o melhor clima de bastidor que eu já tive em todos os trabalhos que já fiz. Estou muito feliz”, afirmou. Leandro reconhece que o primeiro Até que a Sorte nos Separe foi o longa que abriu as portas do cinema para ele e aponta que possui alguns outros projetos. “Eu tenho dois filmes para estrear este ano ainda, que é O Candidato Honesto e Os Caras de Pau. O cinema é uma novidade que chegou na minha vida, mas chegou com força total”, revelou. Ainda sobre seus próximos projetos, o ator concluiu: “Provavelmente, Até que a Sorte vai ter um terceiro. Mas se tiver deve ser no final de 2015.”

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top