Minha conta
    Star Wars: Como o final de Rogue One poderia ser completamente diferente, mas não daria tão certo
    Bruno Botelho dos Santos
    Bruno Botelho dos Santos
    -Redator | crítico
    Bruno é redator e crítico do AdoroCinema, que divide seu tempo na cultura pop entre tomar susto com os mais diversos filmes de terror, assistir os clássicos do cinema ou os grandes blockbusters e enaltecer o trabalho de David Lynch e Stanley Kubrick.

    Lançado em 2016 nos cinemas, Rogue One tem um dos finais mais trágicos de toda a franquia Star Wars – mas foi totalmente necessário.

    Rogue One: Uma História Star Wars é um dos filmes mais elogiados da franquia e teve um final bastante sombrio, já que todos os personagens principais morrem após roubarem os planos da Estrela da Morte. Porém, originalmente o final seria totalmente diferente.

    Star Wars: Qual a ordem dos filmes e séries para começar a assistir à franquia?

    Em entrevista à Empire (via Gizmodo) após o lançamento do filme em 2016, o diretor Gareth Edwards revelou que o roteiro de Rogue One inicialmente teria um final diferente.

    "Na primeira versão, eles não [morriam]", esclareceu. "E foi assumido por nós que não poderíamos fazer isso. 'Eles não vão nos deixar fazer isso'. Então, eu estava tentando descobrir um final onde isso não acontecia. Então todo mundo leu isso e houve um sentimento de tipo, 'Eles têm que morrer, certo?' E todo mundo disse, 'Sim, podemos?'".

    "Achávamos que não teríamos permissão, mas Kathy [Kennedy, presidente da Lucasfilm] e todos na Disney disseram 'Sim, faz sentido / acho que precisam [morrer] porque não estão em Uma Nova Esperança'. E daí em diante tivemos a licença", acrescenta Edwards.

    "Fiquei esperando alguém dizer: 'Quer saber? Poderíamos apenas filmar uma cena extra onde vemos Jyn e Cassian, eles estão bem e estão em outro planeta?' E isso nunca aconteceu. Ninguém nunca nos deu essa nota, então tivemos que fazer".

    Por mais trágico que seja esse final de Rogue One, ele foi necessário. Como o próprio Gareth Edwards menciona na entrevista, os eventos do spin-off se passam exatamente antes de Star Wars: Episódio IV – Uma Nova Esperança (1977) – que não tinha nenhum desses personagem, então eles precisavam morrer mesmo no final da produção.

    Isso não representa necessariamente um final para eles na franquia. Por exemplo, Cassian Andor, interpretado por Diego Luna, recebeu uma série no Disney+ intitulada Andor, ambientada antes dos eventos de Rogue One e está renovada para 2ª temporada.

    Rogue One: Uma História Star Wars
    Rogue One: Uma História Star Wars
    Data de lançamento 15 de dezembro de 2016 | 2h 14min
    Criador(es): Gareth Edwards (V)
    Com Felicity Jones, Diego Luna, Ben Mendelsohn
    Imprensa
    3,7
    Usuários
    4,4
    Adorocinema
    4,5
    Assista agora em Disney +

    Em Rogue One: Uma História Star Wars, Jyn Erso (Felicity Jones) foi afastada de seu pai, Galen (Mads Mikkelsen), ainda criança, devido à exigência do diretor Krennic (Ben Mendelsohn) que ele trabalhasse na construção da arma mais poderosa do Império, a Estrela da Morte. Criada por Saw Gerrera (Forest Whitaker), ela teve que aprender a sobreviver por conta própria ao completar 16 anos. Já adulta, Jyn é resgatada da prisão pela Aliança Rebelde, que deseja ter acesso a uma mensagem enviada por seu pai a Gerrera. Com a promessa de liberdade ao término da missão, ela aceita trabalhar ao lado do capitão Cassian Andor (Diego Luna) e do robô K-2SO.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Back to Top