Minha conta
    Dupla Explosiva 2 - E a Primeira Dama do Crime
    Críticas AdoroCinema
    3,0
    Legal
    Dupla Explosiva 2 - E a Primeira Dama do Crime

    Vai uma farofa aí?

    por Aline Pereira

    Quase 5 anos depois de Dupla ExplosivaRyan ReynoldsSamuel L. Jackson estão de volta com a parceria caótica entre um assassino de aluguel e um guarda-costas profissional na missão de salvar o mundo. Retomando a fórmula do filme original quase que passo a passo, Dupla Explosiva 2 - E a Primeira-Dama do Crime é um ingresso para escapar do mundo real durante duas horas e seguir com a vida como se nada tivesse acontecido assim que os créditos sobem. É exatamente o que esperaríamos que fosse e quem se divertiu com o primeiro vai continuar se divertindo com a sequência.

    Se tivesse surgido na década de 1990, Dupla Explosiva certamente seria um daqueles clássicos da Sessão da Tarde que a gente sempre acaba assistindo “acidentalmente”, seja porque traz o enredo familiar e confortável das famosas comédias de ação, porque tem rostos conhecidos ou só como uma alternativa para passar o tempo sem precisar comprometer tanto assim a atenção. É com esse espírito que a sequência busca conquistar seu público e coloca todas as fichas no carisma do elenco estrelado.

    Sai Gary Oldman, entra Antonio Banderas

    Lionsgate Films



    No primeiro filme, os protagonistas derrotaram o vilão de Gary Oldman e, agora, têm como inimigo Antonio Banderas, no papel de um sociopata grego e megalomaníaco que quer explodir a Europa com um vírus de computador. A situação vai frustrar os planos de Bryce (Ryan Reynolds), que tentava tirar um sabático da carreira sanguinária após ter sua licença profissional cancelada. No entanto, ele acaba sendo puxado de volta ao caos por Sonia (Salma Hayek), a esposa de Kincaid (Samuel L. Jackson). E se no filme de 2017, a atriz fez uma participação menor, aqui ela é o coração e a alma latina, nervosa e caricata que só Hollywood é capaz de nos oferecer. 


    Os primeiros minutos do longa, em que Bryce aparece com os olhos marejados em uma sessão da terapia, já indicam a sucessão de absurdos que estão por vir e preparam o público para colocar de lado qualquer expectativa. A comédia convida o espectador a desligar a chavinha do pensamento e embarcar no humor pastelão - sem nenhum demérito, a proposta é essa mesmo. E quem gosta de gênero pode aceitar o convite sem medo de ser feliz.


    É claro que Dupla Explosiva 2 não quer ser uma obra de arte e não tem problema algum em ser honesto com o público e se assumir totalmente como uma boa e velha farofa. O filme não promete absolutamente nada além do entretenimento em sua forma mais simplória durante aquelas duas horas e é exatamente isso o que entrega. Tentar assisti-lo através de uma lente séria (qualquer que seja) não vai trazer nada além de frustração, certo? Certo. Dito isso: 


    Quem não ama Ryan Reynolds e Samuel L. Jackson?


    Lionsgate Films


    Dupla Explosiva 2 - E a Primeira-Dama do Crime
    coloca a dupla para fazer a comédia escrachada que já sabemos que eles dominam. Dando um descanso ao seu lado Deadpool enquanto se prepara para o terceiro filme do anti-herói, Ryan Reynolds veste aqui a carinha de cachorro abandonado na chuva com um personagem que, apesar de implacável, é ingênuo e adorável. Do lado oposto, temos o gênio do mal interpretado por Samuel L. Jackson, também longe da personalidade discreta do Nick Fury da Marvel - e a energia caótica do casal formado com Salma Hayek tem seu charme, sim.


    A combinação destes nomes no cartaz (agora somados a Antonio Banderas e até a uma participação especial de Morgan Freeman) certamente foi o que garantiu que Dupla Explosiva ganhasse uma continuação na busca por mais alguns milhões em bilheteria. O trabalho foi feito: temos mais duas horas dos atores transparecendo liberdade e conforto em seus papéis, exatamente como no original. Quem gostou do filme de 2017 e quer ver tudo de novo pode preparar a pipoca e o refrigerante sem preocupações, o carisma do elenco é a atração principal.


    Lionsgate Films


    No que diz respeito às cenas explosivas, o arroz e feijão também vem bem servido: sem prometer nenhum grande espetáculo, o padrão hollywoodiano se mantém nos efeitos especiais e na coreografia dos combates e trocas de tiro. O ritmo é intenso e são tantas as sequências de perseguição e pancadaria que fica até difícil saber qual é, exatamente, a história que está rolando por trás - mas não se preocupe com isso, o roteiro é mera formalidade e quanto mais você pensar nele, menos sentido vai fazer e mais aleatório vai soar. 


    Em alguns anos, você vai passar por Dupla Explosiva 2 na Sessão da Tarde e ficará em dúvida se já conhece o filme ou não - é provável que ele se apague da sua mente assim que terminar. Mas, hoje, é um escapismo divertido, sem compromisso com mais ninguém além de quem só está procurando uma farofinha para se distrair. “E está tudo bem”, já diriam os sábios modernos.

    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema

    Comentários

    Mostrar comentários
    Back to Top