Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Para Todos os Garotos que Já Amei: 10 diferenças entre o filme e o livro
    Por Katiúscia Vianna — 25 de ago. de 2018 às 09:46
    facebook Tweet

    Spoiler alert?

    Todo mundo percebeu que a nova sensação do público jovem é a comédia romântica Para Todos os Garotos que Já Amei. Mas você sabia que a comédia romântica é baseada no primeiro livro da trilogia escrita por Jenny Han? Os fãs da obra original ficaram bem satisfeitos com a adaptação do romance, mas existem algumas diferenças bem cruciais entre as duas versões.

    Como o AdoroCinema está sempre aqui para te ajudar, decidimos listar 11 situações que mudaram na hora de adaptar a louca vida amorosa de Lara Jean (Lana Condor) para a Netflix. Será que você reparou em todas? Mas se você ainda não viu o filme ou leu o livro, saiba que tem SPOILERS abaixo! Leia por sua conta e risco!

    O esperado beijo

    Algo que causou muita preocupação entre os fãs do livro durante o lançamento do trailer foi perceber a diferença no primeiro beijo de Lara Jean e Peter (Noah Centineo). Em ambas as situações, o motivo é o mesmo: a jovem quer mostrar que não está interessada em Josh (Israel Broussard), o namorado de seu irmão. Sua solução: beijar Kavinsky. O que ninguém pode julgá-la, não é mesmo? A mudança fica pela forma e local. No filme, ela derruba o moço durante uma aula de educação física. Originalmente, Lara pula, do nada, em Peter e o beija no meio do corredor, depois de dizer para o ex-cunhado que estava namorando com o jogador.

    Os motivos de Kitty

    O que muitos consideram ser a principal mudança na adaptação é como o filme de Susan Johnson deixa claro quem enviou as cartas, desde o início. Ao contrário do livro, onde isso é um mistério por boa parte da trama. As motivações de Kitty (Anna Cathcart) também são mais simpáticas... Apesar da ideia louca, tudo que ela queria era ajudar a irmã. Já na obra de Han, a caçula se vinga de Lara, que fica ameaçando revelar como a pequena também tem uma certa quedinha por Josh...

    As paixões de Lara Jean

    Calma, os 5 'crushes' da protagonista seguem os mesmos! Porém, seus hobbys foram levemente alterados. Ao invés de ler livros bregas e curtir clássicos filmes de John Hughes, a versão original da personagem é obcecada em fazer 'scrapbooks' e cozinhar. Nada muito alarmante, porém é algo que chama a atenção dos fãs.

    As intenções de Peter

    Quem nunca começou um relacionamento falso só para causar ciúmes no ex e tentar reconquistar o mozão? Na verdade, Peter! Se essa foi sua motivação para entrar no louco plano de Lara no filme, o livro traz outra história. O jogador usa tal situação inusitada só para irritar Gen (Emilija Baranac) e mostrar para patricinha como o relacionamento deles realmente acabou. 

    Josh

    A presença de Josh em To All The Boys I Loved Before (no original) acaba sendo ofuscado pela química de Lara e Peter, mas o vizinho 'gente boa' tem mais atitude na história original. No livro, Josh tem muitos ciúmes do jogador e chega a beijar Lara, admitindo que deseja ficar com ela, após ler seus sentimentos na carta. Tal situação quase começa uma briga entre ele e Peter, além de machucar Margot (Janel Parrish) afetando seu relacionamento com a irmã. 

    Como Peter pode ser mais apaixonante?

    Como toda adaptação, algumas cenas acabam ficando de fora no roteiro final, mas seguem no coração dos fãs. Tipo as interações entre Peter e Lara numa loja de antiguidades e durante a comemoração do Halloween na escola — com Covey tendo que explicar que não dá para ela se fantasiar de Mary Jane asiática, só para combinar com o figurino de Homem-Aranha dele. Porém, algo muito fofo e transformado é um simples detalhe: um carro. Nos livros, Peter é dono de um belo Audi, mas pega emprestado o Jipe de sua mãe, só para conseguir dar carona para Lara e Kitty todos os dias. 

    Genevieve tem motivos?

    Em qualquer versão, Gen é a grande pedra no caminho do romance de Peter e Lara. Afinal, quem poderia tanto odiar alguém, só por causa de um selinho durante um jogo de 'girar a garrafa'? O curioso é que, nos livros, a patricinha até tem um ponto... O primeiro beijo de 'Covinsky' ainda é inocente, mas acontece de forma escondida, numa iniciativa de Peter. Gen acaba vendo tudo, sem nenhum deles perceberem, guardando rancor, já que Lara sabia como ela gostava dele.

    O perigo do viral

    Um dos momentos mais sérios da história é quando um momento 'pegação' de Lara e Peter numa banheira é filmado e espalhado pela internet. Porém, originalmente, isso só acontece no segundo livro P.S.: Eu Ainda Te Amo, quando Lara e Peter se reconciliaram (falaremos mais sobre esse ponto adiante). No primeiro capítulo dessa jornada, somente um rumor que eles transaram surge na escola. Mais pra frente, Peter ameaça ter um parente advogado e o vídeo sai do ar, mas a protagonista segue sofrendo bullying no colégio. Quando o vídeo surge numa apresentação para todos os estudantes, o jogador pega um microfone no ginásio e a defende diante de todos - o que acontece num corredor, na adaptação cinematográfica.

    O final feliz

    Ao contrário do filme, o final do livro de Jenny Han é bem mais aberto. Sim, Lara Jean escreve uma carta para Peter, declarando seu amor, mas não vemos ela entregando a mensagem. Tal reconciliação só acontece na continuação, diante da casa dele, e não no campo de lacrosse do colégio. Ou seja, a adaptação pega alguns elementos do segundo livro para encerrar o arco de maneira mais 'fechadinha', já que não tinha a garantia de uma sequência...

    Quinto 'crush'

    Todos os boys de Lara Jean seguem a mesma ordem, mas John (Jordan Burtchett) tem uma participação bem diferente no primeiro livro. Ao invés de aparecer na casa da jovem com flores, é Covey quem comparece num evento colegial que terá a presença do moço. Eles chegam a trocar olhares e um simples 'oi', mas a protagonista sai correndo, envergonhada. Só nas continuações, o público descobre que ele a reconheceu, então começam a trocar cartas, retomando a amizade. Abre o olho, Peter!

    Bônus: Papai Covey

    Muito se fala sobre o que não apareceu na adaptação, porém também é preciso ver o vice-versa. Uma novidade bem bacana foi a cena tocante entre Lara e seu pai (John Corbett), onde ambos tem uma conversa honesta e ele incentiva a filha a não se esconder do mundo. Aliás, o filme toca bastante na saudade que a protagonista sente da mãe, trazendo profundidade para a história. Belo toque, viu?

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • mr
      nossa esse filme rendeu materia hein kkkkkkkkknem assisti. mas ja enjoei por osmose
    • maria clara oliveira
      O filme me deixou muito decepcionada, ficou muito água com açúcar. O livro tem bem mais profundidade. Mas..... beleza.
    • Vidamell Vida R.
      É por isso que eu prefiro o livro(as vezes).
    Mostrar comentários
    Back to Top