Minha conta
    Liga da Justiça e todos os filmes da DC, do pior ao melhor
    Por Rodrigo Torres — 18 de nov. de 2017 às 16:16

    As melhores adaptações para o cinema dos super-heróis da editora segundo a redação do AdoroCinema.

    O Universo Estendido DC atingiu um ponto importante na última semana, com o lançamento de Liga da Justiça. Pela reunião dos super-heróis em si e pela significativa melhora da recepção do filme em relação aos seus antecessores, como Batman vs Superman - A Origem da Justiça e Esquadrão Suicida. Mas com uma aprovação muito menor que Mulher-Maravilha.

    Dado o cenário, a redação do AdoroCinema listou os filmes de super-heróis da DC Comics. Do pior ao melhor. Todos os longas-metragens. Não contando apenas as animações e as adaptações do selo Vertigo. Confira!

     

    Os filmes da DC, do pior ao melhor

    Entre grandes fracassos e uma trilogia sombria tratada como "a obra-prima das HQs": eis o lugar que Liga da Justiça ocupa no ranking dos filmes da DC segundo a redação do AdoroCinema. Curioso? Confira!

    24. Mulher-Gato (2004)

    O pior filme da DC prima pelo desrespeito. Mulher-Gato desrespeita sua gênese nos quadrinhos, o (então vivíssimo) legado deixado por Michelle Pfeiffer, o Oscar vencido recentemente por Halle Berry... Enfim, um horror! O horror!!!

    23. Steel - O Homem De Aço (1997)

    Tudo bem que Aço é um personagem menor da DC (e uma espécie de Homem de Ferro de quinta categoria). Mesmo assim, o resultado de Steel - O Homem De Aço foi tão assustador, juntando-se a uma sequência de adaptações fracassadas, que nenhum personagem da editora ganhou a tela grande pelos próximos sete anos. Ao menos desistiram de transformar a lenda do basquete Shaquille O'Neal em astro de cinema.

    22. Batman & Robin (1997)

    Super-heróis ou gogo boys? Joel Schumacher confundiu tudo, trocando a sensualidade da Mulher-Gato em Batman - O Retorno por um fetichismo barato. Da mesma forma, a caricatura grotesca, assustadora e condizente com os quadrinhos presente nos filmes de Tim Burton vira um bloco carnavalesco aleatório, patético e de péssimo gosto em Batman & Robin.

    21. Superman 4 - Em Busca da Paz (1987)

    O grande Christopher Reeve terminou sua trajetória como o Super-Homem de forma melancólica. Já sem os icônicos produtores Alexander e IIya Salkind, Superman 4 - Em Busca da Paz é mais um filme sobre a Guerra Fria com viés político tosco, mas que ofende até mais por todo o resto, da construção básica de sua trama (a concepção do Homem Nuclear é patética) à encenação, de um descuido espantoso.

    20. Lanterna Verde (2011)

    Enquanto Aço é um personagem pequeno, Lanterna Verde tem seu próprio séquito de fãs, conquistado após a criação de um universo rico nas HQs e uma incursão incrível nas animações da Liga da Justiça, em que se destacava pela força, honra e liderança. O filme naufraga por subaproveitar todos esses aspectos, sendo simplório, pouco criativo e se tornando muito insípido pelo descalibre do CGI.

    19. Esquadrão Suicida (2016)

    Se Lanterna Verde foi decepcionante, o que falar de Esquadrão Suicida? A ótima montagem de seus materiais de divulgação, cheios de ritmo, inexiste no filme, cuja indecisão criativa já na fase de pós-produção resultou em refilmagens e transformou seu corte final em uma colcha de retalhos. Além de bagunçada, e subaproveitada, essa adaptação tem um visual feio, escuro. O vilão é horrível.

    18. Supergirl (1984)

    Helen Slater foi como uma versão feminina de Christopher Reeve, emprestando charme, carisma e aquela atuação respeitosa necessária para um universo fantasioso não soar involuntariamente ridículo. O problema é que os realizadores da franquia já haviam perdido a mão em Superman 3, se rendendo a um tom mais apelativo e mais bobo que torna Supergirl desinteressante, e um desperdício.

    17. Superman III (1983)

    A bizarra onipresença do comediante Richard Pryor nos materiais de divulgação de Superman III é, infelizmente, condizente com o filme; o que, por sua vez, representa sua total desconexão com a franquia. Ainda mais estranho que esse aspecto pastelão é o ritmo ruim do roteiro, talvez fruto da necessidade de uma mudança de tom rumo à segunda metade — que é melhor, permitindo que Reeve nos salve de um desastre maior.

    16. Super-Homem (1948)

    A primeira incursão em live-action do Homem de Aço é um esforço adorável, mas não vai muito além disso. Realizado como uma série em 15 capítulos exibida nos cinemas (como era comum na época), Super-Homem é uma obra ingênua, limitada e se mostra bem datada; em termos tecnológicos, narrativos e de pensamento.

    15. Superman and the Mole-Men (1951)

    George Reeves (com a bela coincidência do sobrenome) foi o primeiro grande intérprete do Homem de Aço, tendo boa contribuição para o charme vigente dessa adaptação antiquada e até mesmo banal. Piloto da série televisiva clássica lançado nos cinemas, Superman and the Mole-Men impõe ao super-herói a missão de impedir uma tragédia provocada pro criaturas vindouras de um poço de petróleo.

    14. Superman - O Retorno (2006)

    Bryan Singer abusa da nostalgia e da reverência, sendo incapaz de tornar a história de Superman - O Retorno suficientemente envolvente para contornar a limitação do apático ator Brandon Routh — exposto à ingrata comparação com Christopher Reeve, dada a semelhança da abordagem. Pouco se salva, como a trilha sonora original de John Williams.

    13. Batman Eternamente (1995)

    O início da tragédia do Homem-Morcego trazia não apenas o comediante Jim Carrey, mas até o carrancudo Tommy Lee Jones fazendo palhaçada. Mas alguns aspectos aceitáveis sustentam Batman Eternamente, como a história de origem do Robin (Chris O'Donnel) e a ação do longa-metragem. Como peça de entretenimento, é mais empolgante que o modorrento Superman - O Retorno.

    12. Batman vs Superman - A Origem Da Justiça (2016)

    Há quem ame Batman vs Superman - A Origem Da Justiça, e nem são poucos. Mas a redação do AdoroCinema é quase unânime de que Zack Snyder fez uma adaptação excessivamente sombria (no visual, até feia), longa, entediante, que não empolga nem em sua batalha final. Uma tremenda decepção: pelos personagens envolvidos, pela divulgação bem-sucedida e até mesmo pelo início bom do filme.

    11. O Homem de Aço (2013)

    O Homem de Aço tem qualidades e defeitos parecidos com Batman vs Superman. O filme ainda é incoerente quanto ao comportamento do super-herói: ele vê a morte do pai para não revelar sua identidade, e em seguida veste o uniforme azul e vermelho; não se comove em destruir uma cidade inteira na luta com Zod, mas se enche de raiva quando o inimigo ameaça uma família, e o mata. Muito bipolar. E incondizente com sua essência.

    10. Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge (2012)

    Um filme com ótimos momentos e as atuações destacadas de Tom Hardy e Michael Caine, inspirado. Porém, Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge decepciona demais por encerrar a trilogia com problemas graves em sua segunda metade, uma Mulher-Gato que não diz a que veio e uma cena de morte ruim a ponto de virar meme. Ainda assim, seu momento mais marcante é a luta entre Batman e Bane, tensa e brutal.

    9. Batman, O Homem-Morcego (1966)

    A experiência mais divertida dentre todos os filmes da DC é proporcionada por Batman, O Homem-Morcego. O principal motivo é a natureza camp, brega, na composição de tudo: dos uniformes e cenários, coloridos, aos heróis, vilões, trama... tudo mesmo. Apesar disso, Adam West consegue produzir uma atuação complexa, que transita entre a seriedade e fina ironia à bizarria das situações. Memorável.

    8. Liga da Justiça (2017)

    As críticas a Batman vs Superman e reprovação geral a Esquadrão Suicida fizeram a DC recuar e investir em um longa-metragem menos sombrio e com mais humor, como praticado pela rival Marvel. Nem todo mundo curtiu Liga da Justiça, mas sua intensidade, seu dinamismo e sua capacidade de integrar e conferir personalidade a todos os membros do grupo cativaram a redação do AdoroCinema.

    7. Superman 2 - A Aventura Continua

    Brigas constantes entre Richard Donner e os produtores provocaram sua substituição pelo xará Richard Lester, que iniciaria aqui a mudança de ares na franquia do Homem de Aço. Porém, como Superman 2 foi realizado em conjunto com o primeiro, a contribuição do novo diretor foi conferir mais dinamismo ao filme, que ainda se vale da ação proporcionada por General Zod, Ursa e Non, vilões superpoderosos.

    6. Mulher-Maravilha (2016)

    O sucesso de público e crítica de Mulher-Maravilha promove uma mudança de paradigma geral, tanto prenunciando um tom mais ameno no Universo Estendido DC, como indicando um novo tempo de maior representação de super-heroínas, em âmbito mais amplo, de mulheres no cinema. Gal Gadot constitui o girl power para toda uma geração, fazendo bonito ao se destacar entre os membros da Liga da Justiça.

    5. Batman - O Retorno (1992)

    Em seu auge criativo, Tim Burton radicaliza o apelo cômico e a natureza gótica do primeiro filme para realizar Batman - O Retorno como uma conjunção de cartoon e terror — assim produzindo caricaturas que são verdadeiras aberrações e um filme tão divertido quanto sinistro. Se Danny DeVito concebe o Pinguim definitivo, Michelle Pfeiffer ainda espera deitada por uma Mulher-Gato digna como a sua.

    4. Batman (1989)

    Um filme para impulsionar e (re)moldar o mercado de blockbusters em Hollywood, e bem mais. Tim Burton assume a fantasia inerente às histórias de super-heróis sem nunca descuidar do tratamento imagético da obra — debruçada no tom severo que caracteriza o Homem-Morcego e no apreço do diretor pela estética gótica (particular de Gotham) para fazer de Batman um trabalho incrivelmente expressionista.

    3. Batman Begins (2005)

    Quando ninguém mais acreditava no Homem-Morcego, Christopher Nolan conseguiu junto à Warner Bros. uma quantia suntuosa e surpreendente liberdade criativa para ressuscitar a franquia. E assim fez, mergulhando na psique e nos traumas de Bruce Wayne e se inspirando no cultuado arco de Frank Miller para realizar a mais bem-sucedida adaptação cinematográfica das HQs: a Trilogia do Cavaleiro das Trevas.

    2. Superman - O Filme (1978)

    Richard Donner, diretor de A Profecia, e Mario Puzo, escritor de O Poderoso Chefão, reunidos para criar uma crônica do idealismo americano do pós-Guerra e do cenário urbano dos anos 70 na primeira grande história de super-heróis do cinema — por isso, para muitos, perdurando como a melhor de todos os tempos. Nascia também o maior ícone do gênero, o primeiro e único Superman: Christopher Reeve.

    1. Batman - O Cavaleiro das Trevas (2008)

    Um grande filme que dispensa o complemento "de super-heróis". Um marco do gênero. Casamento perfeito de sua temática essencial com gênese nas HQs a outras narrativas cinematográficas: o suspense, o thriller de espionagem, o cinema de ação, até o melodrama. Tudo com uma realização consistente. Grandiosa. Boas reviravoltas. Ritmo intenso. E o maior vilão do segmento em todos os tempos.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top