Minha conta
    Glee
    Críticas dos usuários
    Críticas da imprensa
    Média
    4,3
    1646 notas
    Você assistiu Glee ?

    49 Críticas do usuário

    5
    26 críticas
    4
    11 críticas
    3
    7 críticas
    2
    4 críticas
    1
    0 crítica
    0
    1 crítica
    Organizar por
    Críticas mais úteis Críticas mais recentes Por usuários que mais publicaram críticas Por usuários com mais seguidores
    Bruno R.
    Bruno R.

    11 seguidores 3 críticas Seguir usuário

    Crítica da série
    5,0
    Enviada em 27 de janeiro de 2017
    A melhor das melhores séries de todos os tempos pra quem curti musicais. Aborda alguns dilemas vividos na adolescência de forma respeitosa e realista.
    Pontos a mais para seleção das musicas, nos remete a outros momentos de nossas vidas marcadas pelos grandes sucessos musicais.
    Grandes nomes como a Hiper DIVA Whitney Houston, Etta, Barbra, Mariah e muito mais.
    Amei muito.
    raphaelssouza
    raphaelssouza

    75 seguidores 132 críticas Seguir usuário

    Crítica da série
    5,0
    Enviada em 27 de setembro de 2017
    uma das melhores séries, músicas e performances maravilhosas e que enaltecem os clássicos. E com a série você vai amar os clássicos. E você querendo ou não vai se ver em um dos personagens e ps vai amar a Britanny.
    Kellen B.
    Kellen B.

    5 seguidores 14 críticas Seguir usuário

    Crítica da série
    5,0
    Enviada em 14 de abril de 2015
    amooooooo fofo, sensível inteligente e criativo esse seriado e 200000000
    Nika D.
    Nika D.

    7 seguidores 5 críticas Seguir usuário

    Crítica da série
    0,5
    Enviada em 27 de janeiro de 2015
    ODEIOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO TENHO RAIVA GENTE CHATA CARA DE ABOBADOS MERDA CANTAM COM AQUELA CARA DE TANSO
    Elisama T.
    Elisama T.

    10 seguidores 14 críticas Seguir usuário

    Crítica da série
    4,5
    Enviada em 23 de março de 2015
    Aguardando sair os últimos episódios no netflix, quero saber qual o rumo da vida deles
    Marcos Vinicius O.
    Marcos Vinicius O.

    15 seguidores 6 críticas Seguir usuário

    Crítica da série
    5,0
    Enviada em 11 de março de 2015
    A 2° serie que mais gosto, muito boa, amo essa serie!!
    Vitor Araujo
    Vitor Araujo

    3.596 seguidores 618 críticas Seguir usuário

    Crítica da série
    3,5
    Enviada em 25 de março de 2016
    Comédia. Musical. Adolescentes. Azarados. Repetitivo. Romance. Performances. Engraçado. Cliché. Músicas.
    Melverson R.
    Melverson R.

    53 seguidores 29 críticas Seguir usuário

    Crítica da série
    3,0
    Enviada em 28 de janeiro de 2015
    A série em si começa de forma a prender nossa a atenção mais ao decorrer das temporadas ela se perde.
    Gustavo T.
    Gustavo T.

    17 seguidores 18 críticas Seguir usuário

    Crítica da série
    3,5
    Enviada em 21 de janeiro de 2015
    série bem legal para o público teen, a única parte ruim eh o Ryan, que mostrou como fazer uma série de sucesso e a cada temporada ir acabando com ela... pra mim tinha que ter parado na 3 temporada
    Diácono Marcio C.
    Diácono Marcio C.

    16 seguidores 54 críticas Seguir usuário

    Crítica da série
    3,0
    Enviada em 15 de julho de 2015
    começou muito bem e impressionante
    no meio ficou chato
    na última temporada melhorou
    Ana Clara D.
    Ana Clara D.

    15 seguidores 2 críticas Seguir usuário

    Crítica da série
    5,0
    Enviada em 20 de fevereiro de 2015
    É minha série favorita, retrata o mundo hoje em dia HUAHSUSHA, é muito boa ❤❤❤
    Danny Sincerona
    Danny Sincerona

    30 seguidores 193 críticas Seguir usuário

    Crítica da série
    4,5
    Enviada em 18 de outubro de 2020
    No começo eu não sabia muito bem o que esperar dessa série. Eu lembro que quando ela foi lançada foi um sucesso e era muito comentada, eu até tinha músicas que os atores do seriado cantam, sempre achei eles muito bons cantores, mas eu nunca tinha tempo de assistir ela por completo, até agora. Em uma primeira impressão que eu tive sobre a série é emocionante. Eu simplesmente amei ela e com certeza vai ser um seriado que eu irei levar para a vida.
    Quem me conhece sabe que eu amo música e tanto filmes como séries musicais sempre me conquistaram muito e com o Glee não foi diferente.
    A série retrata a vida dos adolescentes americanos, mas eles conseguem passar tudo isso para uma forma musical o que deixa tudo muito mais emocionante. E realmente são retratos da vida, são diversos casos que o seriado fala desde a homofobia até a própria aceitação de ser quem você realmente é e foda-se o resto.
    Uma das partes da série que mais me tocou foi o desenrolar da amizade da Rachel com o Kurt e como essa amizade conseguiu superar barreiras e obstáculos e fez grandes transformações não só na vida deles, mas como em várias vidas da série.
    A partir da 4ª temporada a série parece sair um pouco do contexto do que ela é já que a maioria dos personagens principais saem do músical Glee para viverem suas vidas adultas e outros personagens surgir. O que acaba detonando um pouco o seriado são esses outros personagens. Alguns são super marcantes, mas em compensação outros ganham destaques, mas não são lá essas coisas. Em um primeiro momento até temos a sensação que os autores querem fazer a mesma história da 1ª temporada. Mas como podemos notar isso acaba não dando muito certo e eles dão uma mudança drástica na série.



    Um dos episódios mais tensos da série com certeza foi o da homenagem ao Cory Monteith. Para quem não sabe o Cory tinha problemas com drogas e acabou sofrendo uma overdose, tanto que alguns anos depois sua noiva Lea a Rachel da série fez um cd em homenagem a ele. O motivo de não revelarem a morte do personagem no capítulo é exatamente esse, pois eles não queriam manchar a imagem do ator, queriam dar algo digno a ele, mas também não queriam passar a mão na cabeça.
    A 5ª e a 6ª temporadas da série, para mim poderia ter sido uma única, pois na 5ª temporada já temos aquela sensação que eles estão se despedindo de nós, que já está no fim, então eu não entendi muito bem porque uma temporada a mais. Já na 6ª temporada, parece que eles dão muitos passos para trás e fica um pouco enrolado e tals.
    Os capítulos finais tem algumas passagens de tempo, mostram os atores mais velhos e realizados em suas carreiras, ou correndo atrás delas, até que eu gostei muito dessa parte, mesmo que em algumas eu me senti um tanto confusa.
    Ah e o final. Que final mais lindo foi aquele, impossível de não chorar, vendo todos os personagens principais cantando I Lived do OneRepublic, foi maravilhoso, principalmente porque eu amo essa música, foi uma coisa do caralho mesmo. Um fim perfeito sem deixar nada em aberto com uma música perfeita, para todos os momentos que eles já viveram.
    Se você ainda não teve a chance de assistir essa série, corre e vá assistir, você não irá se arrepender.
    Mísia M.
    Mísia M.

    31 seguidores 79 críticas Seguir usuário

    Crítica da série
    4,5
    Enviada em 21 de agosto de 2015
    As primeiras temporadas são muito boas, tem um personagens muito bons, muito cativantes, e ótimas adaptações de músicas, mas dueto de Lea e Cory é o melhor
    Gui Souza
    Gui Souza

    9 seguidores 28 críticas Seguir usuário

    Crítica da 5 temporada
    3,0
    Enviada em 27 de fevereiro de 2015
    Quando se faz uma análise de tudo que aconteceu com a produção de Glee nesta última temporada, é claro como muitas decisões foram tomadas em cima da hora ou sem um pensamento muito complexo por trás delas.

    Dos excessos
    Um dos maiores erros da temporada veio de algo planejado, a fragmentação e excesso de personagens. A divisão da trama entre Nova York e Lima fez com que não houvesse tramas complexas ou bem construídas nesse 5º ano da série. De um lado tivemos Rachel e Kurt se estabelecendo em NY, do outro um grupo grande de alunos para se tornarem as novas caras da série.

    A maior falha nisso foi que os novos alunos não tinham qualquer carisma com o público, que vinha de várias temporadas com rostos conhecidos ou personagens carismáticos, como Sam ou Blaine, que não eram originais da primeira temporada. Personagens mal desenvolvidos e tramas sub-aproveitadas foram a base desse núcleo de personagens e muitos deles mal apareciam, dando espaço para retorno de personagens antigos. Não seria mais fácil continuar como estávamos antes, então?

    A velha guarda
    No meio dos excessos, tivemos bons momentos. Tramas que nos traziam um pouco do que Glee fora em suas primeiras temporadas, utilizando uma comédia mais ácida para tratar de assuntos espinhosos, ou simplesmente usando a alegria da série para fazer frente a preconceitos. Essa velha guarda também se mostrou em alguns dos melhores números apresentados pelos personagens, onde o que importava de novo era a música e não fazer um número em um cenário todo elaborado e cheio de referências e objetos. Um ótimo exemplo, que inclusive fechou a temporada, foi a música Pompeii (Bastille), onde o que vale é a música e o sentimento, nos lembrando os inúmeros covers feitos pelos corredores e salas de McKinley.

    Outro ponto alto da temporada, neste sentido, foi o casal Kurt/Blaine. Os dois tiveram uma evolução pesada em seu relacionamento, passando pelos altos e baixos, mostrando a relação diária e cumplicidade dos dois, culminando em ótimos momentos, como o pedido de casamento que Blaine fez para Kurt. A opção por mostrar vários momentos ruins entre os dois durante a temporada foi algo precioso para mostrar que relacionamentos não funcionam na base da felicidade e ignorância de qualquer disputa, que existem momentos ruins, momentos de algumas dúvidas, mas que o diálogo sempre pode resolver boa parte deles.

    As quedas
    É impossível não ver como a morte de Cory Monteith foi decisiva para o rumo que a série tomou. O personagem Finn substituiria Will Schuester como mentor das crianças, fazendo uma ponte entre NY e Lima, mas a morte foi um verdadeiro golpe à todos da série, especialmente para Lea Michele. A série entrou em hiato por um tempo, tentando achar novos caminhos após o acontecimento, já que possuía novas temporadas já encomendadas. A solução foi diminuir a temporada e mudar o núcleo para apenas NY, abandonando completamente Lima.

    Com isso, uma parte da temporada foi focada em chegar a esse acontecimento, o que se mostrou a melhor parte dela, pois havia um objetivo novamente. O especial de Beatles e o da despedida de Finn Hudson começaram esse movimento, que culminou no fim do Glee club, em seu especial de número 100, num episódio que, inclusive, seria o final perfeito para uma série, pois mostrou a razão de existir da série, algo que se perdeu após esse episódio. Isso pois o núcleo de NY não conseguiu se engrenar quando chegou sua hora. Os personagens foram para lá sem muita motivação e a pouca que havia não foi tão bem aproveitada para justificar sua presença. Sam teve momentos escassos em sua jornada para ser modelo, Mercedes mal teve trama, Artie e Kurt tiveram seu futuro deixado de lado, apenas Blaine conseguiu se salvar dessa queda.

    Por fim, temos o grande desenvolvimento da temporada: Rachel Berry. A personagem teve grande evolução e mudanças nessa temporada e aguentou bem, visto que o futuro da série caiu todo sobre seus ombros. A evolução até chegar ao estrelato na Broadway e sua mudança de planos após isso mostrou como a personagem tem muitos caminhos para seguir, especialmente após esse final de temporada.

    Entre inúmeros problemas, Glee terminou seu 5º ano com um saldo levemente positivo. Entre tropeços narrativos e alguns acertos, a série se encaminha para seu final com alguns problemas a serem resolvidos e saturada, mas com a certeza de que Rachel Berry sempre levará ela para a frente.
    Liz C.
    Liz C.

    9 seguidores 1 crítica Seguir usuário

    Crítica da 1 temporada
    5,0
    Enviada em 4 de março de 2015
    chhorei de tao prefeito ♥ eu amo "don't stop beliven"
    Back to Top