Minha conta
    Runaways: Elenco explica como a 2ª temporada é mais arriscada e cheia de ação (Entrevista)
    Por Laysa Zanetti — 22 de dez. de 2018 às 09:45

    O AdoroCinema conversou com os protagonistas da elogiada série da Marvel.

    Runaways é uma série que segue à risca tudo o que é necessário para conquistar dois grandes públicos-alvo: fãs de HQs de heróis e fãs de dramas adolescentes. Em sua segunda temporada, já disponível nos Estados Unidos desde a sexta-feira (21), o grupo formado por seis adolescentes de fato cumpre o prometido e está em fuga, se escondendo dos pais e tentando sobreviver sozinhos no mundo. Eles precisam descobrir como se alimentar, como esconder uma graciosa Old Lace e, talvez o mais importante e desafiador: conviver com as próprias diferenças.

    O AdoroCinema conversou com o elenco principal da série — formado por Ariela Barer (Gert Yorkes), Gregg Sulkin (Chase Stein), Lyrica Okano (Nico Minoru), Allegra Acosta (Molly Hernandez), Rhenzy Feliz (Alex Wilder) e Virginia Gardner (Karolina Dean) — durante a New York Comic Con 2018. Os astros contaram a respeito dos relacionamentos que estão em pauta na segunda temporada, e contaram o que está em jogo nos novos episódios.

    A Jornada de Molly e a introdução de um novo personagem

    Hulu/Divulgação

    Mais nova do grupo, Molly fez grandes descobertas sobre suas heranças familiares na primeira temporada, e apesar de sempre ter que lidar com os instintos superprotetores do seu grupo de amigos — e, sobretudo, da irmã, Gert —, ela promete que não vai abaixar a cabeça nos novos episódios.

    “Molly passa por muitos desenvolvimentos físicos e mentais nessa temporada”, explica Costa. “Ela está mais ciente de suas habilidades e disposta a lutar por elas, assumir seus instintos oficiais de querer salvar o mundo. Ela é uma líder e uma super-heroína nata. A questão é que ela está lidando com os seus amigos, que querem protegê-la do mundo em que eles vivem. Ela é a mais nova, mas eles não entendem que ela está pronta para lutar por tudo.

    Então, o seu arco é sobre descobrir as próprias habilidades, assumir suas heranças, e também — é claro — sobre a forma como ela amadurece. A diferença entre ela e os outros fugitivos é que os outros não querem ser as pessoas que todos vêem como quem salvou o dia. Molly, no entanto, está pronta para ser como o Capitão América, como o Hulk ou o Homem de Ferro. Ela quer assumir esse papel”, revela.

    Uma das outras novidades da temporada é Topher, personagem de Jan Luis Castellanos que cria laços fortes com Molly.

    “Quando ele chega, ela fica super empolgada. É uma pessoa que se parece com ela e tem quase os mesmos poderes. e ele é como um irmão para ela. Ela sempre quis alguém com quem se identificar. Então é por isso que, quando ela tem Topher, sente como se ele fosse parte da família — principalmente porque ela não conhece muito da própria árvore genealógica. Mesmo ele não sendo irmão dela de verdade, ela sente como se fosse. A forma como eles lutam é muito interessante, porque a dinâmica de poder entre dois heróis brigando constrói uma tensão muito boa.”

    Nico, Karolina e as novas dinâmicas da temporada

    Hulu/Divulgação

    Sendo uma das mais velhas do grupo — e portadora de um instrumento poderoso —, Nico está muito mais no centro das ações da segunda temporada do que esteve na primeira. Os fãs poderão vê-la muito mais poderosa e questionadora, principalmente porque decide assumir as rédeas e solucionar por si mesma algumas questões mais delicadas.

    “Nico não tem preferência por ser uma líder, ela prefere estar no plano de fundo das ações planejando tudo”, conta Lyrica Okano. “Mas Alex está fazendo muitas coisas nessa temporada, então eles dividem este papel de assumir a liderança.”

    Misteriosa, a simpática atriz não revela o que está em jogo para a sua personagem na temporada, mas adianta que há grandes episódios e grandes momentos em jogo. “O episódio 7 e o episódio 13 são muito importantes e muito chocantes para ela”, afirma. “Ambos foram os meus favoritos de ter filmado, por razões que não posso contar. Mas vocês verão ela ficar mais poderosa.”

    Já a respeito do romance entre as duas garotas, Okano diz: “Nico e Karolina estão em uma nova fase, muito boa. Mas como qualquer relacionamento não é sempre sol e arco-íris. Também há momentos difíceis e elas estão lidando com muitos elementos distintos, principalmente em relação à família e aos pais. Mas é bonito.”

    Gardner completa: “Na primeira temporada, Karolina estava com medo de abraçar quem ela é e os poderes que ela tem. Agora, ela abraçou totalmente quem é. No começo da temporada, Nico e Karolina estão morando juntas e literalmente dividindo uma cama. Então para elas tudo é novo, e no final da temporada existe até mesmo o início de um triângulo amoroso. Então será interessante.”

    A própria descoberta e aceitação de Karolina em relação aos seus poderes é um elemento que toma boa parte da temporada: “Ela está voando mais, ela faz mais parte das cenas de ação. Tem uma frase que eu digo na temporada que é uma das minhas favoritas: ‘Eu não tenho mais medo de abraçar a minha diferença e quem eu sou.’ Ser meio alienígena é o que me faz ser legal, e nesta temporada a série realmente tem a cara de uma produção da Marvel. Se no ano passado éramos mais um drama, agora somos totalmente uma série de super-herói.”

    Gert, Chase e os percalços da crise ao amadurecimento

    Hulu/Divulgação

    O cabelo roxo está longe de ser o atributo que mais chama atenção em Gert — a fiel companheira e amiga de ninguém mais, ninguém menos que Old Lace, que segundo Ariella Barer, tem um arco para chamar de seu na temporada. “Old Lace participa de muitas cenas de ação, ela até mesmo precisa atuar”, brinca a intérprete de Gert. “É ótimo podermos representar os dinossauros desta forma.”

    Sempre a empoderada, Gert pode até estar fugindo dos pais, mas não tem medo nenhum de enfrentar a ansiedade e a depressão: “As doenças mentais fazem todo este lance de super-herói ser mais desafiador para ela. O que a série faz é mais pungente e relevante do que apenas discutir doenças mentais na superfície. Principalmente neste momento, para mulheres, o mundo e o momento são muito assustadores. A série lida com autoridades não-confiáveis — em que, em algum momento, se achou que estariam ali por nós. São momentos terríveis em que se viver, e poder explorar a saúde mental de Gert ao mesmo tempo em que ela lida com o seu próprio feminismo — e estes são dois tópicos que não se cancelam — faz dela uma pessoa especialmente forte na temporada. Ela toma decisões duras, mas elas são para o bem do grupo.”

    A respeito do relacionamento com Chase, Barer explica por que considera a dinâmica do casal transcendente para os padrões da TV: “A relação entre Gert e Chase nesta temporada é muito surpreendente. Eu não esperava que tomasse este rumo. Acho que é bonita, e os dois podem ser vulneráveis de uma forma que eu, pessoalmente, não esperava. Personagens como estes raramente têm a chance de apresentar esta dinâmica; Gert consegue ser uma mulher forte e independente, enquanto se abre para outra pessoa e mostra que também tem medo e é sensível. Ao mesmo tempo, Chase é este atleta e um cara delicado e masculino. Ele consegue redefinir aquele mundo para si mesmo”, conclui.

    “A ideia de viver com alguém, namorado ou namorada, soa ótima, mas viver com a namorada enquanto em fuga é outra história”, continua Sulkin. “Há muito respeito na relação deles, e acho que no início da temporada tudo está bem, mas a pressão daquilo que estão vivendo coletiva e pessoalmente afeta o grupo de forma massiva. Quando estamos mais velhos, vai ficando mais fácil lidar com estresse, pânico e relacionamentos. Aos 16 ou 17 anos, é muito mais complicado. Então veremos o amor, mas também a tensão e os problemas que vêm junto.”

    O novo capítulo de Alex Wilder

    Hulu/Divulgação

    Ter perdido Nico para Karolina provavelmente não foi uma das experiências mais agradáveis para Alex na primeira temporada de Runaways, mas Rhenzy Feliz acredita que a superação está a caminho: “Acho que é um pouco estranho para ele, porque ele ama a Nico e o fato de tê-la perdido daquela forma é chato. Mas, ao mesmo tempo, ele respeita e entende o que está acontecendo e a forma como o relacionamento entre ambos acontece neste ano.”

    O que não significa, é claro, que Alex ficará sozinho durante a temporada.

    “Ele tem [um novo interesse amoroso] na temporada, e eu estou muito empolgado com isso. No início da temporada, ele começa a sair mais com Darius [DeVaughn Nixon], e assim passa a entender mais sobre si mesmo — eles são apenas adolescentes tentando sobreviver e descobrir quem são. Neste caminho, ele encontra Darius e conhece novas pessoas em sua jornada.”

    Como o único personagem que não tem um dinossauro de estimação, super-poderes ou artefatos mágicos, Feliz acredita que Alex “entende o seu papel no grupo. Ele sabe que precisa tomar a frente e fazer o que precisa ser feito. Ele prova a sua função no grupo, ainda mais agora do que na temporada anterior. Então, mesmo sem poderes, ele encontra uma forma de usar sua cabeça e se provar essencial para o grupo.”

    Confira o trailer da temporada no player acima. A segunda temporada de Marvel’s Runaways estreia no Brasil no dia 16 de março de 2019, no Canal Sony.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top