Minha conta
    Deus Salve O Rei: Bruna Marquezine, Marina Ruy Barbosa e Tatá Werneck revelam inspirações em Game of Thrones e Orphan Black para novela (Entrevista)
    Por Katiúscia Vianna — 31 de dez. de 2017 às 07:54

    O AdoroCinema também conversou com Caio Blat, Marco Nanini e Ricardo Pereira sobre a nova produção da Rede Globo.

    Rede Globo de Televisão

    Quando saíram as primeiras imagens de Deus Salve o Rei, surgiu um burburinho nas redes sociais, comparando a nova produção da Rede Globo com Game of Thrones. Realmente, o estilo medieval é algo em comum entre as obras. E ambas tem uma jovem ruiva como uma das protagonistas. Porém, é importante deixar bem claro que não há nenhum tipo de dragão na trama brasileira...

    Se Westeros tem sete reinos, a história de Deus Salve o Rei gira ao redor de dois. Em Montemor, o principe Afonso (Romulo Estrela) decide abdicar do trono ao se apaixonar pela plebeia Amália (Marina Ruy Barbosa), deixando a responsabilidade nas mãos de seu caçula, o irresponsável Rodolfo (Johnny Massaro). Já a princesa de Artena, Catarina (Bruna Marquezine), encontra a chance de conquistar suas ambições diante da crise no governo dos vizinhos.

    Durante coletiva de imprensa realizada no início de dezembro, Ruy Barbosa até confirmou que a novela tem inspirações em obras medievais como Game of Thrones e Vikings. Mas isso termina nas referências estéticas: "Nossa história é bem diferente, só que se passa nesse mundo mágico e lúdico. A Amália, por exemplo, é uma mocinha muito atual, forte e independente. Ela tem seus principios e receios sobre as consequências do seu amor nos reinos, mas não é frágil."

    Intérprete da grande vilã da trama e fã declarada de GoT, Marquezine também reforça essa teoria, destacando como os meses de preparação (que envolveram aulas de cavalo, esgrima, luta, costura, culinária e dança) foram essenciais. "Tivemos muito estudo, pois como é algo muito distante da nossa realidade, a gente precisa mergulhar completamente nesse mundo. Se o elenco não estiver alinhado desde a forma de falar, o público não vai acreditar. Acabamos criando nossa história, o nosso continente, os nossos reinos.

    A vilã Catarina (Bruna Marquezine) encontrará um aliado no sedutor Constantino (José Fidalgo).

    NÃO É SÓ DE GAME OF THRONES QUE VIVE AS REFERÊNCIAS

    Deus Salve o Rei pode até ser uma história medieval, mas seus personagens apresentam relacionamentos e dramas bem atuais. Tatá Werneck entrará posteriormente na novela como Lucrécia, a noiva prometida de Rodolfo. Só que sua personagem sofre com bipolaridade e ninfomania. E, para se preparar diante de tal desafio, a comediante acabou encontrando inspiração num local inusitado...

    "A Lucrécia é dona de uma dor muito grande, pois tem seus próprios dramas familiares. E ela até casa com o rei, mas não consegue se manter fiel. Se por um lado, tem todo esse apetite sexual, ela também é amargurada, então acaba se martirizando. Nessa linha de raciocínio, como Lucrécia tem quatro pessoas dentro de uma só, comecei a ver Orphan Black. Fui observar como a Tatiana Maslany consegue mudar de ideia e personalidade com apenas um olhar", conta a atriz.

    Já Ricardo Pereira procurou referências em Hollywood para construir Virgílio, o possessivo noivo de Amália, que não aceita perder sua amada para Afonso: "Ele tem uma estética meio Psicopata Americano, algo que puxa as pessoas com o olhar, ao mesmo tempo que tem um corpo envolvente. Eu costumo brincar que ele diz que vai matar uma pessoa com a maior delicadeza do mundo. É um vilão diferente de todos que você já viu."

    O relacionamento de Rodolfo (Johnny Massaro) e Lucrécia (Tatá Werneck) promete ser um dos destaques cômicos da trama.

    EFEITOS DIGNOS DE HOLLYWOOD

    As inspirações em Hollywood também estão em outros setores do projeto. A Rede Globo está investindo pesado, não somente na composição de cenários fixos (algo diferente de outras novelas, que são montadas e desmontadas diariamente), mas também em efeitos especiais. Tanto que o diretor Fabrício Mamberti revelou como a equipe por trás de Deus Salve o Rei compõe o maior time de computação gráfica na história da emissora.

    "É incrível fazer uma cena, sem saber como vai ficar, até vê-la um mês depois, com outro fundo, algo completamente diferente. A edição é incrível, num trabalho inacreditável. Desde Que Rei Sou Eu?, a gente não fazia novela nesse estilo medieval. É um jeito diferente de fazer novela, gravando com a luz do dia. Tem inovação em todos os setores", revela Caio Blat, intérprete do comandante do exército de Montemor.

    Durante o evento, ficou claro que o elenco está bem empolgado com a trama. Vários atores dançavam ao som de músicas típicas, passeando pelos cenários, enquanto Marco Nanini (responsável por interpretar o Rei Augusto, pai da vilã Catarina) usava um anel em formato de coroa. Inclusive, ele declarava em alto e bom som: "Essa é uma novela cinematográfica". Talvez, além de ser Rei, o eterno Lineu tenha o dom de prever o futuro - já que a Rede Globo vai exibir o primeiro episódio de Deus Salve o Rei em cinemas de todo o Brasil.

    A próxima novela das 19 horas estreia em 9 de janeiro.

     

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top