Minha conta
    Festival de Berlim 2022: Quais são os filmes brasileiros presentes no grande evento de cinema?
    12 de fev. de 2022 às 22:00
    Katiúscia Vianna
    Katiúscia Vianna
    -Redatora | crítica
    Apaixonada pela escrita, Katiúscia Vianna acumulou décadas de cultura pop, já que cresceu dividindo seu tempo entre apostas para o Oscar e maratonas de Friends.

    Além de seis produções nacionais, Karim Aïnouz (A Vida Invisível) faz parte do júri comandado por M. Night Shyamalan.

    O Festival de Berlim é um dos eventos cinematográficos mais importantes do ano, sempre revelando talentos internacionais na busca pelo cobiçado Urso de Ouro. Em 2022, o Brasil está representado até no júri, pois Karim Aïnouz (que apareceu em edições anteriores com Nardjès A.Aeroporto Central e Praia do Futuro) está analisando os conorrentes, junto com nomes como M. Night Shyamalan (Tempo) e s Ryûsuke Hamaguchi (Drive My Car). Porém, também existem seis filmes e curtas nacionais presentes na programação. Vamos conhecê-los?

    Filmes brasileiros presentes no Berlinale 2022

    No total, seis produções brasileiras fazem parte do Festival de Berlim 2022. Na mostra Panorama, temos Fogaréu, estreia de Flávia Neves na direção, inspirado em fatos reais. A trama traz Bárbara Colen (Bacurau) como Fernanda, uma jovem que volta para a casa de seu abastado tio, após a morte de sua mãe adotiva, a fim de explorar a dolorosa verdade sobre sua origem. A trama é descrita como uma viagem entre realidade e fantástico, circulando o passado colonial e a modernidade avassaladora do agronegócio em Goiás.

    Na seção Forum, a lista conta com dois projetos. Um deles é Três Tigres Tristes, uma visão singular sobre três jovens queers que passam pela pandemia do COVID, ao mesmo tempo que testemunham a decadência política de seu país. Tudo isso sob a direção do ousado Gustavo Vinagre, que já passou por Berlim anteriormente, com Vil, MáA Rosa Azul de NovalisFucking Different São Paulo (2010).

    O outro é Mato Seco em Chamas, dirigido pelo brasileiro Adirley Queirós e pela portuguesa Joana Pimenta. A obra acompanha um grupo de mulheres na periferia de Brasília num misto de ficção e documentário, abordando ainda a venda de petróleo local. Queirós é conhecido por projetos como Branco Sai, Preto Fica e Era uma Vez Brasília. Encerrando a lista em Berlim estão os curtas Se Hace Camino al Andar, de Paula Gaitán; O Dente do Dragão, de Rafael Castanheira Parrode; e Manhã de Domingo, de Bruno Ribeiro.

    Filmes de Claire Denis e François Ozon competem pelo Urso de Ouro


    Infelizmente, o Brasil não está presente na Mostra Competitiva, porém o evento ainda traz outros títulos bem interessantes. Vindos da França temos Both Sides of the Blade, de Claire Denis; e Peter von Kant, de François Ozon. Já a Coreia do Sul tem The Novelist's Film, de Hong Sang-soo. Por conta da pandemia do Coronavírus, essa edição do Festival de Berlim acontecerá até o dia 20 de fevereiro.

    No ano passado, o Urso de Ouro foi para o romeno Bad Luck Banging or Loony Porn, num evento celebrado online. No passado, o Brasil foi vitorioso com Central do Brasil e Tropa de Elite.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top