Minha conta
    Ben Affleck revela desejo recorrente de nunca mais atuar
    Por Rodrigo Torres — 16 de dez. de 2016 às 16:45

    "Ah, não!" ou "Amém"?

    Ben Affleck esteve quase todo dia dessa semana no AdoroCinema, sempre falando sobre o aguardado The Batman. Tudo em decorrência de A Lei da Noite, elogiado filme que ele trata como "uma carta de amor aos grandes filmes de gângster da Warner nos anos 30 e 40", como Fúria Sanguinária, Anjos de Cara Suja e Inimigo Público, mas também de clássicos mais recentes e conhecidos do grande público, como os brilhantes Chinatown e O Poderoso Chefão.

    "Existe essa tradição do gênero filmes de gângsteres que é muito rica e divertida pra mim. Essa é uma homenagem a esses filmes", disse Affleck, em entrevista à Variety, sobre a história de Joe Coughlin, um contrabandista de rum durante a proibição da venda de bebidas alcoólicas nos Estados Unidos, entre as décadas de 20 e 30. É dele a responsabilidade de dar vida ao personagem — além de escrever, produzir e dirigir A Lei da Noite.

    O "malabarismo" exigido para conciliar tanta coisa levou Ben Affleck a uma confissão bombástica: "Estou sempre tentado a não atuar. Todo dia que chego no set, eu sinto que seria melhor se eu pudesse simplesmente dirigir", admitiu o artista, numa declaração que vai ao encontro da incompreensão de muitos críticas e público. Enquanto como ator ele sempre tenha sido muito questionado, principalmente por sua falta de expressão, sua carreira na direção soma quatro longas-metragens e só elogios. "Mas esse realmente era um grande papel", Affleck pondera, indicando que, apesar do trabalhão, atuar ainda o atrai.

    Nesse sentido, vale lembrar que, após sua bem-sucedida estreia em Medo da Verdade (estrelado por seu irmão, Casey Affleck), foi dele a exigência à Warner de atuar em Atração Perigosa. Quer dizer: seu trabalho na direção acaba alimentando sua carreira de ator. Argo também contou com o cineasta em frente às câmeras, após certa indefinição sobre quem seria protagonista do projeto. O longa-metragem renderia muitos prêmios de direção a Ben Affleck, à exceção do Oscar, que nem o indicou na categoria. A consagração viria com o prêmio de melhor filme, dividido com os coprodutores Grant Heslov e George Clooney.

    Comente abaixo o que acha do Ben Affleck ator, inclusive se concorda que houve uma reinvenção (até mesmo em filmes de outros diretores) nos últimos anos. Abaixo, confira o trailer de A Lei da Noite, lançamento do dia 23 de fevereiro no Brasil.

     

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top