Minha conta
    15 finais alternativos que mudariam totalmente nossos filmes preferidos
    Por Bruno Carmelo — 21 de mai. de 2016 às 06:23

    Thelma e Louise não terminariam nos ares, Rose daria lição de moral em Titanic, Alien nunca seria uma franquia.

    11. Rocky, um Lutador (1976)

    Este foi um final bastante ousado na época: ao invés da esperada vitória, Rocky perde a luta contra Apollo Creed por uma diferença mínima, votada pelos juízes. Isso basta para dar ao personagem uma sensação de vitória (afinal, ele chegou muito mais longe do que todos esperavam) e despertar a vontade de continuar - algo essencial para a sequência da franquia. Mas na primeira versão do roteiro de Sylvester Stallone, o lutador aceitaria suborno para perder a luta. Com o dinheiro, compraria uma própria pet shop para sua amada Adrian.

    12. Thelma e Louise (1991)

    Mais um final lendário: a fábula feminista tem a coragem de mostrar as duas protagonistas (Susan Sarandon e Geena Davis) fugindo da polícia e dirigindo a toda velocidade rumo a um penhasco. A última imagem mostra o carro no ar, num gesto de liberdade. Mas esta conclusão poderia ser estragada com uma versão explicativa, que revelaria a continuação da cena. Na verdade, a queda do carro no fundo do Canyon foi filmada pela equipe de Ridley Scott, assim como o momento em que Harvey Keitel lamenta a morte da dupla. Assim, com um minutinho a mais, Thelma e Louise seria um filme menos interessante.

    13. Star Wars IV - O Retorno de Jedi (1983)

    Este foi um caso de briga entre produtores: Gary Kurtz, que tinha produzido os episódios IV e V ao lado de George Lucas, insistia em matar Han Solo (Harrison Ford) para trazer uma conclusão épica à trilogia. Mas Lucas temia a repercussão negativa, e impediu que qualquer personagem importante fosse assassinado. Resultado: prevaleceu o happy ending com todos os personagens fazendo a festa juntos, incluindo os fantasmas de Yoda, Obi-Wan e Anakin Skywalker. Por causa desta e de outras divergências, Kurtz abandonou a franquia.

    14. O Iluminado (1980)

    Outro filme de Stanley Kubrick que poderia ter terminado de modo bastante diferente. O cineasta apostava numa versão mais explicativa e longa: depois do corpo congelado de Jack Nicholson, o filme mostraria Wendy e Danny no hospital, como prova da sobrevivência, enquanto investigadores insistiriam que não encontraram nenhum traço paranormal no local. Kubrick fez um teste com a plateia, e achou a reação do público à cena do gelo tão forte que decidiu cortar tudo que vinha depois.

    15. Atração Fatal (1987)

    A grande dúvida, no caso, dizia respeito à melhor maneira de assassinar a psicótica Alex (Glenn Close). A versão dos cinemas mostra Dan (Michael Douglas) afogando a amante na banheira, mas ela sobrevive e só morre com o tiro da esposa Beth (Anne Archer). Outra versão, filmada e descartada, trazia o suicídio de Alex, que forja um assassinato para incriminar Dan. No entanto, Beth encontra uma fita capaz de inocentar o marido.

    facebook Tweet
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top