Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Festival de Brasília 2014: Branco Sai Preto Fica é eleito o melhor filme
    Por Bruno Carmelo — 24 de set. de 2014 às 01:45
    facebook Tweet

    Ao final da cerimônia, os seis diretores com filmes na competição oficial apresentaram uma carta contestando o sistema de premiação no festival.

    O Festival de Brasília 2014 chegou ao fim na noite de 23 de setembro, com a projeção do filme Cabra Marcado para Morrer, de Eduardo Coutinho, e com a entrega dos prêmios para longas e curtas-metragens. Branco Sai. Preto Fica foi o grande vencedor da mostra competitiva, com três prêmios, além de diversos troféus da Câmara Legislativa do DF. Brasil S/A também se destacou, com cinco troféus Candango.

    Como a maioria das obras conferia mais destaque à estética do que às trajetórias dos personagens (empregando poucos atores profissionais), os prêmios de atuação foram entregues majoritariamente a amadores. Entre os curtas-metrangens, Sem Coração foi o grande vencedor, com destaque também para Loja de Répteis e Estátua!.

    A maior surpresa, no entanto, veio no final da premiação. Os seis diretores cujos longas-metragens foram exibidos na competição oficial apresentaram uma carta aberta aos organizadores do festival, felicitando-os pela escolha de filmes ousados, mas estimando que o valor de R$250 mil reais oferecido ao filme vencedor estabelece uma atmosfera indesejada de competição entre os cineastas. Assim, eles decidiram previamente dividir esta quantia entre os seis concorrentes. A plateia aplaudiu calorosamente a atitude provocadora e inusitada dos diretores, que deve despertar uma boa reflexão nos organizadores para as próximas edições. 

    Confira abaixo a lista completa de premiados:


    MOSTRA COMPETITIVA DE FILMES DE LONGA-METRAGEM
    Melhor filme – Branco Sai. Preto Fica, de Adirley Queirós
    Melhor filme pelo júri popular – Sem Pena, de Eugênio Puppo
    Melhor direção - Marcelo Pedroso, por Brasil S/A
    Melhor ator – Marquim do Tropa, por Branco Sai. Preto Fica
    Melhor atriz – Dandara de Morais, por Ventos de Agosto
    Melhor ator coadjuvante – Renato Novais Oliveira, por Ela Volta na Quinta
    Melhor atriz coadjuvante – Élida Silpe, por Ela Volta na Quinta
    Melhor roteiro – Marcelo Pedroso, por Brasil S/A
    Melhor fotografia – Gabriel Mascaro, por Ventos de Agosto
    Melhor direção de arte – Denise Vieira, por Branco Sai. Preto Fica
    Melhor trilha sonora – Mateus Alves, por Brasil S/A
    Melhor som – Pablo Lamar, por Brasil S/A
    Melhor montagem – Daniel Bandeira, por Brasil S/A


    MOSTRA COMPETITIVA DE FILMES DE CURTA-METRAGEM
    Melhor filme – Sem Coração, de Nara Normande e Tião
    Melhor filme pelo júri popular – Crônicas de uma Cidade Inventada, de Luísa Caetano
    Melhor direção - Nara Normande e Tião, por Sem Coração
    Melhor ator - Zé Dias, por Geru
    Melhor atriz – Maeve Jinkings, por Estátua!
    Melhor roteiro – Gabriela Amaral Almeida, por Estátua!
    Melhor fotografia – Beto Martins, por Loja de Répteis
    Melhor direção de arte – Juliano Dornelles, por Loja de Répteis
    Melhor trilha sonora – Piero Bianchi, Vinícius Nunes e Mateus Alves , por Loja de Répteis
    Melhor som – Fábio Baldo, por Geru
    Melhor montagem - Nara Normande e Tião, por Sem Coração


    TROFÉU CÂMARA LEGISLATIVA DO DF - MOSTRA BRASÍLIA
    Melhor longa-metragem – Branco Sai. Preto Fica, de Adirley Queirós
    Melhor curta-metragem – Crônicas de uma Cidade Inventada, de Luísa Caetano
    Melhor direção – André Luiz Oliveira, por Zirig Dum Brasília – A Arte e o Sonho de Renato
    Matos
    Melhor ator – Marquim do Tropa, por Branco Sai. Preto Fica
    Melhor atriz – Klarah Lobato, por Querido Capricórnio
    Melhor roteiro – Fáuston da Silva, por Ácido Acético
    Melhor fotografia – Dani Azul, por Meio Fio
    Melhor montagem – Guille Martins, por Branco Sai. Preto Fica
    Melhor direção de arte – Luiz Fernando Skopein, por À Mão Armada
    Melhor edição de som – Guille Martins e Camila Machado, por Branco Sai. Preto Fica
    Melhor captação de som direto – Francisco Craesmeyer, por Branco Sai. Preto Fica
    Melhor trilha sonora – Renato Matos, por Zirig Dum Brasília – A Arte e o Sonho de Renato
    Matos
    Melhor longa-metragem pelo júri popular – Zirig Dum Brasília – A Arte e o Sonho de Renato
    Matos, de André Luiz Oliveira
    Melhor curta-metragem pelo júri popular – Ácido Acético, de Fáuston da Silva


    PRÊMIO MARCO ANTÔNIO GUIMARÃES
    Zirig Dum Brasília – A Arte e o Sonho de Renato Matos, de André Luiz Oliveira


    PRÊMIO CANAL BRASIL
    Sem Coração, de Nara Normande e Tião


    PRÊMIO EXIBIÇÃO TV BRASIL
    Branco Sai. Preto Fica, de Adirley Queirós


    PRÊMIO ABRACCINE
    Melhor filme de curta-metragem: Estátua!, de Gabriela Amaral Almeida
    Melhor filme de longa-metragem: Branco Sai. Preto Fica, de Adirley Queirós


    PRÊMIO SARUÊ
    Branco Sai. Preto Fica, de Adirley Queirós


    PRÊMIO VAGALUME
    Melhor filme de curta-metragem: Crônicas de uma Cidade Inventada, de Luísa Caetano
    Melhor filme de longa-metragem: Ventos de Agosto, de Gabriel Mascaro


    PRÊMIO CONTERRÂNEOS
    Zirig Dum Brasília – A Arte e o Sonho de Renato Matos, de André Luiz Oliveira

    Junior Aragão
    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top