Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Uma Longa Jornada
    Críticas AdoroCinema
    2,5
    Regular
    Uma Longa Jornada

    Mais um Sparks

    por Lucas Salgado

    Após os sucessos de Um Amor para RecordarDiário de uma Paixão, muita gente em Hollywood voltou seus olhos para o escritor Nicholas Sparks. Os filmes baseados em suas obras não apenas tinham vendido muitos ingressos como também tinham feito barulho suficiente para fazer do escritor um nome importante no mercado. 

    Uma Longa Jornada - FotoPassados 13 anos desde Um Amor para Recordar, vários outros filmes baseados em obras de Sparks chegaram aos cinemas. Ano após ano, o público teve acesso a um romance leve que tinha sempre uma reviravolta dramática no final. Aos poucos, ao invés de esperar pelo novo projeto, o público passou a já saber o que esperar. E é esse o estado que vivemos hoje. "Filme baseado em obra de Nicholas Sparks" deixou de ser informação e passou a ser a sinopse da obra.

    Depois de Querido JohnA Última MúsicaUm Homem de SorteUm Porto SeguroO Melhor de Mim, chegou a hora de Uma Longa Jornada contar a história de um casal improvável que se apaixona loucamente e luta contra marcas do passado que insistem em reaparecer. No final, uma reviravolta "emocionante" pra fazer tentar todo mundo chorar. 

    O casal impossível da vez é Sophia (Britt Robertson), um estudante de belas artes que está perto de começar um estágio em uma galeria de Nova York, e Luke (Scott Eastwood), um peão de rodeio que passou por um trauma e agora tenta voltar às arenas da vida. Logo no primeiro encontro, os dois acabam encontrando um carro acidentado na estrada e socorrem Ira (Alan Alda). Sophia vai se interessar pela história de Ira e ajudará ele em sua recuperação lendo várias cartas dele para sua esposa. Sim, tem sempre um velho. E sempre temos cartas.

    Britt Robertson, de Under The Dome, é bonitinha e tem carisma. Luke também cumpre bem o papel do cowboy, demonstrando ter puxado a imposição física do pai Clint Eastwood. Os dois possuem boa química em cena, protagonizando cenas bonitinhas, mas é impossível não ficar com a sensação de que tudo aquilo já foi visto em cena.

    Jack Huston, que interpreta a versão jovem do personagem Ira, e Oona Chaplin, que vive sua amada, são os pontos fracos do roteiro, que conta ainda com a jovem Melissa Benoist, de Glee e Supergirl

    No mais... mais do mesmo. Trilha melosa, cenários bonitos, beijos na chuva e na natureza, discussões vazias e a vida como vilã, embora de forma menos trágica que nos primeiros filmes.

    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema

    Comentários

    Mostrar comentários
    Back to Top