Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    5 diretoras que poderiam ter sido indicadas ao Globo de Ouro
    Por Nathália Gonçalves — 14 de dez. de 2019 às 09:00
    facebook Tweet

    Essa é para quem tem esperança de que o Oscar faça diferente!

    Nesta segunda-feira (9) foram revelados os indicados ao Globo de Ouro 2020, prêmio entregue pela imprensa internacional de Hollywood cuja cerimônia acontece em 5 de janeiro. Entre discussões sobre filmes favoritos da temporada, um fato chamou atenção do público: por mais um ano, nenhuma mulher foi indicada ao prêmio de melhor direção.

    Tendo em vista que 2019 foi um ano histórico para mulheres na direção, com mais filmes dirigidos por mulheres do que nunca entre as 100 maiores bilheterias do ano, fica evidente que existe um desequilíbrio de gênero na escolha de quem premiar. Portanto, para deixar evidente a grande variedade de opções de diretoras que fizeram filmes aclamados esse ano e poderiam facilmente ter sido indicadas, o AdoroCinema separou cinco mulheres que gostaríamos de ver recebendo prêmios por seu trabalho na direção.

    Marielle Heller

    Diretora de um dos mais fortes concorrentes ao Oscar, Um Lindo Dia na VizinhançaMarielle Heller vem arrecadando indicações para seu filme em diversos festivais e premiações, especialmente para a performance de Tom Hanks. O longa sobre Mr. Rogers, adorada figura dos programas infantis americanos, inclusive recebeu uma indicação ao Globo de Ouro, na categoria de melhor ator coadjuvante. Heller, que fez sua estreia na direção com O Diário de uma Adolescente, chamou atenção de críticos e premiações no ano passado com Poderia Me Perdoar?, que foi indicado a 3 Oscars. Infelizmente, nenhum deles foi por direção, já que ano passado a Academia também não indicou nenhuma mulher à categoria.

    Alma Har'el

    Responsável por um dos filmes mais peculiares, mas íntimos e emocionantes, do ano, Alma Har'el é diretora de Honey Boy, o aclamado longa que conta a história de Shia LaBeouf. Roteirizado e co-estrelado pelo ator, que interpreta o próprio pai no filme, a obra reflete sobre a infância de LaBeouf em frente aos holofotes e o trauma causado por uma vida de abusos de seu pai. De acordo com o ator, Har'el foi sua primeira e única escolha para liderar essa história tão pessoal e o resultado já está rendendo indicações a diversos prêmios. LaBeouf é um forte candidato tanto à categoria de melhor ator coadjuvante, quanto de melhor roteiro, no Oscar. Quem sabe se Har'el, uma figura tão importante para a realização desse projeto, também não terá seu trabalho prestigiado?!

    Lulu Wang

    Diretora de The Farewell, longa que revelou Awkwafina como uma atriz dramática, Lulu Wang também é roteirista do filme, que é baseado em experiências muito pessoais que ela viveu com sua família. Imigrante chinesa nos EUA, ela trabalha a mistura de culturas que a influenciou, inclusive tendo inglês e mandarim, entre outras línguas, faladas no filme. Concorrendo (e já vencedor) de vários prêmios, especialmente na categoria de melhor atriz, o longa está no Globo de Ouro tanto com a performance de Awkwafina quanto em melhor filme em língua estrangeira.

    Melina Matsoukas

    Mais conhecida por seu trabalho na TV e em videoclipes, Melina Matsoukas fez sua estreia na direção de longas em 2019, com Queen & Slim, estrelado pelo indicado ao Oscar Daniel Kaluuya e a novata Jodie Turner-Smith. O longa tem roteiro de Lena Waithe, com quem Matsoukas já tinha trabalhado no episódio vencedor do Emmy, Thanksgiving, de Master of None. Waithe, aliás, também está entre as listas de esnobadas no Globo de Ouro, já que a premiação também não indicou nenhuma mulher na categoria de melhor roteiro. Vencedora de VMAs e Grammys pelo clipe de Formation, que ela dirigu para Beyoncé, Matsoukas já está bem colocada em premiações com o seu primeiro longa-metragem.

    Greta Gerwig

    Uma das cinco mulheres indicadas ao Oscar melhor direção nos 90 anos de premiação, Greta Gerwig pode fazer história como a única mulher a ser indicada duas vezes à categoria se conseguir um espaço por seu trabalho em Adoráveis Mulheres. A mais nova adaptação para o cinema do clássico literário de Louisa May Alcott, o filme marca o segundo trabalho de Gerwig na direção, assim como sua segunda parceria com Saoirse Ronan e Timothée Chalamet, com quem ela trabalhou em Lady Bird. Indicada ao Oscar tanto em roteiro quanto em direção por seu trabalho anterior, Adoráveis Mulheres não conseguiu quebrar a aparente implicância do Globo de Ouro com a diretora, que mais uma vez indicou o filme em outras categorias mas não em direção.

    Essas são apenas cinco, mas o que não faltou esse ano foram diretoras que fizeram excelentes trabalhos. Vale mencionar ainda Lorene Scafaria, por As Golpistas, Kasi Lemmons, por Harriet e Olivia Wilde, por Fora de Série, mas há ainda muitas outras. Portanto, ficamos na esperança de que as próximas premiações não repitam a lista exclusivamente masculina de diretores celebrados. Se não, Natalie Portman terá que repetir o momento sincerão do Globo de Ouro 2018.

    facebook Tweet
    Pela web
    Comentários
    Mostrar comentários
    Back to Top