Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Mostra de Tiradentes 2018: Café com Canela, ou como um pequeno filme espirituoso se tornou bandeira política
    Por Francisco Russo — 21/01/2018 às 16:59
    facebook Tweet

    Cinco meses onde tudo mudou.

    Se o Festival de Brasília 2017 ficou marcado pelos conflitos em torno de Vazante, com acusações de racismo ao novo filme dirigido por Daniela Thomas que fizeram com que ela até mesmo dissesse que não deveria tê-lo feito - e, posteriormente, voltando atrás nesta declaração -, fato é que um pequeno filme baiano despontou neste mesmo festival, em parte graças a este mesmo conflito. Seu nome, Café com Canela.

    Exibido exatamente um dia após Vazante, o filme de estreia dos diretores Ary RosaGlenda Nicácio foi ovacionado pelo público - não por acaso, levou o prêmio de melhor filme segundo o júri popular -, justamente pelas características diametralmente opostas às do longa de Daniela Thomas. Protagonizado por atores negros e sem se ater a questões sociais ou raciais, o filme apresenta um espirituoso retrato cotidiano no Recôncavo Baiano, nas cidades de Cachoeira e São Félix. Como poucas vezes se viu no cinema brasileiro, o negro enfim ganhava voz como cidadão pleno, sem qualquer amarra acerca de questões históricas ou sua posição na sociedade. Mais ainda: Glenda Nicácio se afirmava como uma das poucas diretoras negras em atividade.

    Divulgação Festival de Brasília
    Ary Rosa e Glenda Nicácio, diretores de "Café com Canela"

    Se tamanha exaltação é compreensível diante do cenário de momento, com Café com Canela de imediato assumindo involuntariamente a posição de ser uma espécie de "anti-Vazante", a ânsia por justiça social também nas telonas tupiniquins provocou uma contradição: por mais que tenha diálogos divertidos e bons personagens - Babu Santana e Arlete Dias, especialmente -, Café com Canela traz problemas típicos de um primeiro longa, com excessos escancarados resultantes de uma ânsia em fazer tudo ao mesmo tempo agora. Tal postura, como ressalta a crítica do AdoroCinema, faz com que o filme "banalize o risco", devido às inconstâncias técnicas e narrativas. Ou seja, a bandeira política que se tornou batia de frente com a qualidade do próprio filme.

    Cinco meses depois, Café com Canela foi escolhido para abrir a 21ª Mostra de Tiradentes, como parte da homenagem ao ator Babu Santana. "Filhos de Tiradentes", já que por anos vieram ao festival antes de se aventurar em seu primeiro longa-metragem, os diretores Ary Rosa e Glenda Nicácio marcaram presença e, é claro, comentaram sobre esta trajetória.

    "Café com Canela era uma história que eu e Glenda queríamos contar", explicou Ary Rosa. "Não fazia sentido contar uma história situada entre Cachoeira e São Félix estrelada por brancos, pois é uma cidade negra. Era uma questão de identidade, mas isto acabou se tornando uma ação política. Hoje, no Brasil, apenas 4% dos filmes feitos foram estrelados por mulheres negras, em um país onde há uma porcentagem muito maior que isso. Então, como representação, Café com Canela é algo muito importante."

    Valdinéia Soriano e Aline Brune, protagonistas de "Café com Canela"

    "Filmes que trazem bandeiras políticas mais definidas são muito importantes também, mas o Café com Canela optou por não [trazer]", complementou o diretor. "Queríamos contar uma história e acabamos tendo este impacto político. Ficamos bastante surpresos com esta repercussão, em como o audiovisual é carente de uma representação dos negros e, imagino, de outras minorias também."

    "É preciso refletir sobre isso. Muito desta euforia sobre Café com Canela é justamente por uma representação e uma formação por questões de identidade, que até então eram negadas", afirmou a diretora Glenda Nicácio. "Um grande passo é a gente conseguir trazer estas crônicas cotidianas pro afeto, e dar uma liberdade pros artistas em geral de que podemos fazer arte falando de afeto e amor, outras coisas além de temas ligados ao social. Porque também parece que às vezes vira uma prisão, é sempre preciso falar destes assuntos."

    Ainda sem previsão de estreia no circuito comercial, Café com Canela inicia agora sua trajetória internacional: o longa-metragem será exibido no Festival de Roterdã, entre os dias 25 e 27 de janeiro.

    O AdoroCinema viajou a convite da organização do evento.

    facebook Tweet
    Links relacionados
    Pela web
    Comentários
    • Vidamell Vida R.
      Tava querendo o Emoji de palmas.
    Mostrar comentários
    Siga o AdoroCinema
    Trailers
    O Poço Trailer Original
    Minha Mãe É uma Peça 3 Trailer
    Dois Irmãos - Uma Jornada Fantástica Trailer (3) Dublado
    Aves de Rapina Trailer Legendado
    Sonic - O Filme Trailer (2) Legendado
    Velozes & Furiosos 9 Trailer Legendado
    Todos os últimos trailers
    Notícias de cinema Festivais e premiações
    Festival de Cannes: Presidente do júri, Spike Lee fala sobre o adiamento do evento
    NOTÍCIAS - Festivais e premiações
    sexta-feira, 20 de março de 2020
    Oscar 2021: Academia avalia mudanças necessárias com surto de Coronavírus
    NOTÍCIAS - Festivais e premiações
    quinta-feira, 19 de março de 2020
    Daytime Emmys 2020 é cancelado em prevenção ao Coronavírus
    NOTÍCIAS - Festivais e premiações
    quinta-feira, 19 de março de 2020
    Daytime Emmys 2020 é cancelado em prevenção ao Coronavírus
    Festival de Cannes 2020 é oficialmente adiado
    NOTÍCIAS - Festivais e premiações
    quinta-feira, 19 de março de 2020
    Festival de Cannes 2020 é oficialmente adiado
    Últimas notícias de cinema Festivais e premiações
    Melhores filmes em cartaz
    O Destino Bate à sua Porta
    O Destino Bate à sua Porta
    3,5
    Diretor: Bob Rafelson
    Elenco: Jack Nicholson, Jessica Lange, John Colicos
    Sangue Azul
    Sangue Azul
    3,1
    Diretor: Lírio Ferreira
    Elenco: Daniel de Oliveira, Caroline Abras, Sandra Corveloni
    Trailer
    Jardim de Guerra
    Jardim de Guerra
    3,0
    Diretor: Neville D'Almeida
    Elenco: Joel Barcellos, Zózimo Bulbul, Hugo Carvana
    Rio Babilônia
    2,9
    Diretor: Neville D'Almeida
    Elenco: Joel Barcellos, Christiane Torloni, Jardel Filho
    Castanha
    3,3
    Diretor: Davi Pretto
    Elenco: João Carlos Castanha, Celina Castanha, Francisco Jairo da Silva
    Trailer
    Cássia Eller
    4,3
    Diretor: Paulo Henrique Fontenelle
    Elenco: Cássia Eller, Nando Reis, Oswaldo Montenegro
    Trailer
    Todos os melhores filmes em cartaz
    Back to Top