Meu AdoroCinema
As Palavras
Críticas AdoroCinema
3,0
Legal
As Palavras

Sem riscos

por Lucas Salgado

As Palavras é um filme bem curioso. Sem momentos épicos de redenção, tem uma narrativa extremamente simples, que não se arrisca em momento algum. Com isso, temos como resultado uma obra sem erros evidentes, mas também sem grandes acertos.

Foto - FILM - Words : 190358O escritor Clay Hammond (Dennis Quaid) visita uma universidade para uma leitura de seu último livro. Ele conta a história do jovem Rory Jansen (Bradley Cooper), que sonha em lançar seu próprio livro, mas só encontra portas fechadas no mundo das editores. Ele conta com o apoio da esposa (Zoe Saldana) e até com a ajuda financeira do pai (J.K. Simmons), mas começa a duvidar de seu talento para a escrita. Determinado dia, encontra um manuscrito perdido e, após uma série de situações, assume a autoria do texto.

A ideia de um escritor pouco inspirado que plagia um autor desconhecido não é nada nova, mas o filme tem como mérito o fato de não julgar o protagonista, gastando seu tempo mais em expor as situações que levaram a tal atitude.

A busca insana pelo sucesso é bem retratada graças a uma boa atuação do competente Bradley Cooper, que mostra que já pode começar a arriscar uns papéis mais dramáticos daqui pra frente. Ele possui uma ótima química com Saldana, que demonstra o tempo todo acreditar no marido, mesmo quando ele não acredita.

Quaid tem uma atuação mais discreta, sendo responsável por conduzir a narrativa. Ao seu lado, surgirá a bela Olivia Wilde como uma jovem escritora. As Palavras também acerta no desenvolvimento da interação entre os dois personagens, não criando algo maior ou menor do que o necessário. Extremamente sedutora, Wilde desperta a curiosidade do espectador desde o primeiro instante que aparece em cena.

Foto - FILM - Words : 190358Mas o grande destaque do elenco é Jeremy Irons. O veterano ator britânico surge na pele de um senhor que fará uma revelação para Rory Jansen. Com a barba mal feita e bem magro, Irons cria uma figura misteriosa e complexa ao mesmo tempo. 

Escrito e dirigido por Brian Klugman e Lee Sternthal, o longa conta com uma fotografia bem ordinária de Antonio Calvache, que em nada lembra seu trabalhos marcados de personalidade como Pecados Íntimos e Entre Quatro Paredes. Por outro lado, o compositor Marcelo Zarvos se saiu muito bem na criação da trilha sonora, que é discreta como a história exige.

The Words (no original) é um filme sem herói ou vilões, que pode agradar ao público justamente por contar uma trama interessante de forma bem simples. Quem espera, no entanto, por um suspense de qualidade com várias reviravoltas pode se decepcionar, afinal a produção não é nada surpreendente.

Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema

Comentários

  • Sergio M.
    Um filme com começo e meio maravilhosos, mas com um final tosco.
  • M?rcia M.
    gostei do filme,mas não tenho certeza se entendi o final!!!!
  • Marcos R.
    Acho que pra quem não entendeu o final, deveria estar assistindo o filme novamente, e prestando atenção no comentário que o personagem interpretado por Irons fez, foi algo parecido com "Eu me importei mais com as palavras do que com a mulher que me inspirou a ter as palavras"... Resumindo o senhor acabou perdendo a mulher por conta do Livro, assim como aconteceu com Rory Jansen (Bradley Cooper). No fim do filme a jovem garota pergunta oque ele realmente queria, e então a cena corta e mostra Rory dizendo que ama sua esposa, como se fosse um Flash Back.. Mas enfim ele perdeu a mulher e queria ela de volta, porém ele estava convivendo com as suas próprias decisões, assim como tinha avisado o Senhor... " Todos tomam decisões, o difícil é conviver com elas ".. foi oque eu entendi do final =]
  • Luciana F.
    Rory e esposa ficaram juntos, presumo. Mas aquela cena final que me confundiu. Alguem?
  • Antonio Lucas M.
    se vc não teve a capacidade de entender... o filme é bom!
  • Fl?via O.
    Foi exatamente o que eu entendi. No final, se percebe que Clay é Rory justamente pela cena que aparece como resposta à pergunta da garota (o que vc realmente quer?). A cena diz tudo: Rory na noite anterior à descoberta do "manuscrito". Ou seja, o seu maior desejo era poder voltar no tempo, naquele instante e mudar as suas escolhas.
  • Marcos S.
    A simplicidade do texto e a boa performance com uma bela trilha nos coloca diante de um filme simplesmente interessante.
Mostrar comentários
Back to Top