Meu AdoroCinema
Robocop
Sessões Vídeos Créditos Críticas dos usuários Críticas da imprensa Críticas do AdoroCinema Fotos
Robocop
Data de lançamento 21 de fevereiro de 2014 (1h 57min)
Direção:
Elenco: Joel Kinnaman, Gary Oldman, Michael Keaton mais
Gêneros Ação, Ficção científica
Nacionalidade Eua
Ver o trailer
Imprensa 2,7 32 críticas
Usuários 4,32255 notas e 258 críticas
Adorocinema 4,0

Sinopse e detalhes

Não recomendado para menores de 14 anos

Em um futuro não muito distante, no ano de 2028, drones não tripulados e robôs são usados para garantir a segurança mundo afora, mas o combate ao crime nos Estados Unidos não pode ser realizado por eles e a empresa OmniCorp, criadora das máquinas, quer reverter esse cenário. Uma das razões para a proibição seria uma lei apoiada pela maioria dos americanos. Querendo conquistar a população, o dono da companhia Raymond Sellars (Michael Keaton) decide criar um robô que tenha consciência humana e a oportunidade aparece quando o policial Alex Murphy (Joel Kinnaman) sofre um atentado, deixando-o entre a vida e a morte.

Título original RoboCop
Distribuidor SONY PICTURES
Ver detalhes técnicos
Ano de produção 2014
Tipo de filme longa-metragem
Curiosidades 3 curiosidades
Orçamento 100 000 000 $
Idiomas Inglês
Formato de produção -
Cor Colorido
Formato de áudio -
Formato de projeção -
Número Visa -

Críticas AdoroCinema

4,0 Muito bom
Robocop

Missão dada é missão cumprida

por Roberto Cunha
Refilmagens enfrentam problemas desde sua concepção. Se de um lado produtores imaginam uma coisa, de outro, diretores podem pensar diferente e o estúdio, que botou grana no projeto, pode fazer o mesmo. Ou seja, é uma conta enjoada de fechar. Lá na outra ponta tem o fã, que pode ser aquele com mania de comparar isso ou aquilo, esquecendo que é um novo filme. Mas tem também o espectador comum, que viu ou não o original, e poderá se beneficiar (ou não) da novidade, ainda mais se for bem feita. RoboCop, dirigido pelo brasileiro José Padilha, sem sombra de dúvida, se enquadra nesta opção e se você continuar lendo, vai entender o porquê. No ano de 2028, a OMNI Corporation domina os sistemas de segurança. Seus drones e robôs estão espalhados mundo afora, mas nos Estados Unidos eles são proibidos, por conta de uma lei e a rejeição de 72% da população. O motivo? A certeza de que "máquinas não sen...
Ler a crítica
Robocop Trailer Legendado 2:18
156 597 visualizações
Robocop Trailer Original 2:19
9 705 visualizações
Robocop Trailer (2) Original 2:13
10 080 visualizações
Robocop Trailer Original (3) 1:35
2 959 visualizações
Robocop Comercial de TV Original 0:32
844 visualizações
Robocop Comercial de TV Original 1:00
2 363 visualizações
9 trailers

Entrevistas, making-ofs e cenas

RoboCop - Entrevista com José Padilha 5:50
RoboCop - Entrevista com José Padilha
1 361 visualizações
RoboCop - Entrevista com Joel Kinnaman 4:50
RoboCop - Entrevista com Joel Kinnaman
699 visualizações
RoboCop - Entrevista com Michael Keaton 3:15
RoboCop - Entrevista com Michael Keaton
440 visualizações
7 vídeos

Elenco

Joel Kinnaman
Joel Kinnaman
Personagem : Alex Murphy/RoboCop
Gary Oldman
Gary Oldman
Personagem : Norton
Michael Keaton
Michael Keaton
Personagem : Raymond Sellars
Abbie Cornish
Abbie Cornish
Personagem : Clara Murphy
Ficha completa

Críticas da imprensa

  • Cinepop
  • Zero Hora
  • Blogs Pop
  • Cinema em Cena
  • Folha de São Paulo
  • Rubens Ewald
  • Almanaque Virtual
  • The Hollywood Reporter
  • Estado de Minas
  • Omelete
  • New York Times
  • Variety
  • Cinema com Rapadura
  • O Globo
  • Folha de São Paulo
  • CineClick
  • Papo de Cinema
  • Cineweb
  • Preview
  • Cineplayers
  • Diário de Pernambuco
  • Zero Hora
  • Estado de Minas
  • Screen International
  • Télérama
  • Estado de São Paulo
  • Instituto Moreira Salles
  • Revista Interlúdio
  • The Guardian
  • Chicago Sun-Times
  • Critikat.com
  • Chronic'art.com
32 Artigos de imprensa

Críticas de usuários

Luís Carlos B.
Crítica positiva mais útil

por Luís Carlos B., em 25/02/2014

5,0Obra-prima

Excelente! Tão bom ou melhor quanto o original, vejo mais vantagens neste remake do que na versão de Paul Verhoeven. José... Leia mais

Senhor Ivan
Crítica negativa mais útil

por Senhor Ivan , em 24/02/2014

3,0Legal

Vamos esquecer,tudo aquilo que vimos no filme original de 1987.É claro que em alguns remakes,você se empolga bastante em... Leia mais

Todas as críticas de usuários
24% 61 críticas 34% 88 críticas 26% 67 críticas 10% 26 críticas 4% 10 críticas 2% 4 críticas
256 Críticas de usuários

Fotos

49 Fotos

Curiosidades das filmagens

Padilha nos Estados Unidos

Robocop marca a estreia do diretor brasileiro José Padilha (Tropa de Elite e Tropa de Elite 2) na direção de um filme americano.

Sexto RoboCop

Esta nova versão das aventuras do policial ciborgue marca o sexto filme da série, após Robocop, O Policial do Futuro (1987), Robocop 2 (1990), Robocop 3 (1993), RoboCop (1994) e a série de televisão RoboCop: Prime Detectives (2000).
3 curiosidades

Se você gosta desse filme, talvez você também goste de...

Mais filmes similares

Comentários

  • Michelle P.

    Quero ver Joel Kinnaman também...

  • Wilson S.

    Gostaria de ver Robocop vs Iron-man, rrrsss..

  • Richard Moraes

    Mas nao ia lançar dia 31/01 no Brasil ?????????? adiaram pra 7 de fevereiro? afffff é sério isso?

  • William di Souzah

    to na expectativa...

  • Walker G.

    Aimee Garcia é muito linda.

  • William di Souzah

    virei teu fã véi....falou tudo...

  • Michael D.

    Brasil é só pensa em filme de Favela...

  • Dejanio F.

    Saindo para conferir o trabalho do
    José Padilha, como faz tempo que deixei de ser influênciado por opiniões distorcidas,
    vou tirar minhas proprias conclusões, como sempre gostei do filme RoboCop
    e tenho orgulho de ter um brasileiro representando nosso povo, não sendo
    matando nas favelas ou rabando o dinheiro público, vou dar meu apoio!

  • Paulo Jr.

    Padilha é um gênio!Refilmou Robocop mas sem tirar a essência do original
    mantendo até mesmo aquela trilha do filme de 1987.Esse mostrava um
    personagem humano e logo depois do ataque já estava nas ruas combatendo o
    crime.Na nova versão o diretor mostrou os problemas da
    empresa em adaptar o robô,as dificuldades enfrentadas pelo doutor e os
    problemas com família.O final é emocionante,destaque para Gary Oldman em
    incrível interpretação.Acho que tanto os atores como os diretores
    brasileiros tem de fazer como o José,Rodrigo Santoro,Alice Braga e
    outros:Realizar e participar de produções Hollywoodianas porque isso só
    vem a elevar o nível de profissionalismo dos nossos artistas.

  • Rodrigo A.

    o Brasuca conseguiu mandar bem e ainda num remake tão marcante . Show de bola !

  • Allan A.

    Se você conseguir esquecer os filmes antigos esse se destaca com um bom filme de ação, com certeza os jovens que não tem o clássico dos anos 80 na cabeça ira gostar desse do novo enredo.

    A maioria das opiniões negativas é em relação a comparar o velho com o novo, mas oque passa pela minha cabeça é que se houvesse também um filme do Homem-de-Ferro dos anos as pessoas também iriam criticar o novo que a Marvel trouce em 2008.

  • Digho A.

    Posso afirmar que o filme inicia de péssimo gosto
    quando começa no Iran, e logicamente em se tratando de um filme extremamente
    enlatado USA, não poderiam deixar de mostrar para o mundo que o País em questão
    é o “Demônio do Planeta”, claro e certamente podemos dizer que o extremismo que
    neles corre pelas veias é doentio, mas mostrar para o mundo que o fanatismo vem
    da educação que passa de pai para filho, e terminar o filme com o a frase: “Os
    EUA é o maior país do planeta Terra”. (E que me perdoem aqueles que não gostam
    de saber o final do filme, mas não tive como conter minha explanação), foi
    extremamente déspota e “INECESSÁRIO”.

    Nos efeitos especiais que mostram do que restou do Policial Murphy, mostrando
    seus órgãos internos em funcionamento, totalmente conectado com as tecnologias
    atuais, o que ficou bacana, e não mudou muito em sua essência, só que agora um
    pouco mais humanizado e menos biônico como no original dos anos 90, dessa vez
    ele ganha uma versão negra que dá o ar de Justiceiro das Trevas e por alguns
    minutos pensei se tirasse Robocop e colocasse Batman The Dark Night, seria o
    mesmo Herói. Digo isso, porque além deste detalhe, mais uma vez, fazendo a
    linha “amigo do herói”, o ator Gary Oldman se faz presente como principal aliado
    de ROBOCOP.

    Outro detalhe que me chamou atenção foi ver outro MONSTRO de Hollywood, o ator
    Samuel L. Jackson com um cabelo a lá James Brown fazendo o papel de um
    comentarista no estilo Datena, achei meio bizarro... Pensando bem... BEM
    BIZARRO.

    Pode parecer um pouco dura a minha humilde interpretação a este filme que a meu
    ver PODERIA ser muito melhor, mas não posso negar que ele ganha ares bem
    brasileiros (Uma vez que temos o respaldo do Diretor de Tropa de Elite), tendo
    leves pinceladas de filme nacional e menos Norte Americanas com aquela coisa da
    moça indefesa sendo salva pelo Super Herói, mas ainda sim não teve jeito e teve
    alguns segundos dessa temática.

    Entretanto, apesar dessas terríveis gafes que acredito que nem mesmo nosso
    conterrâneo Diretor José Padilha teve poder suficiente para controlar, uma vez
    que nós brasileiros somos infinitamente superiores culturalmente em relação às
    tamanhas imbecilidades patrióticas Norte Americanas, posso dizer que o filme
    foi “Legal”.

    Enfim, para quem ama o Clássico Robocop, não espere o melhor, mas se tiver
    curiosidade de ver uma versão mais high tech do policial robô, é uma ótima
    oportunidade.

  • Ivan Sousa.

    Vamos esquecer,tudo aquilo que vimos no filme original de 1987.É claro que em alguns remakes,você se empolga bastante em tentar ver algo que possa ser bem reconstruído.Mas com Robocop,parece que a ideia não evoluiu.O filme é mesmo totalmente voltado a uma política e corrupções que acho que assombram toda a parte do mundo.O roteiro foca bastante nesse termo.Onde praticamente de dez em dez minutos,você irá se deparar com esse assunto.Esse mesmo assunto que dá um certo tipo de desanimo a história,onde,desfavorece toda aquela sequência de ação em que o personagem principal está metido.AÇÃO,essa palavra e essa atitude bem que poderia ter rondado mas a história de Robocop.Que na verdade,são poucas cenas em que a ação é prolongada,ficando quase que lento em relação ao filme original.A história se divide em muitos aspectos,de relação familiar,a relação profissional.Onde o foco é sim Alex Murphy (Joel Kinnaman),que está envolvido em todos os assuntos do filme.Ainda temos um bom elenco,cada um bem escolhido a função,de Abbie Cornish,ao sumido,Michael Keaton,passando por Gary Oldman,Jackie Early Haley e Samuel L.Jackson.Mas a grande atração,fica mesmo com Joel Kinnaman,que consegue seu primeiro grande trabalho de expressão,e mostra ser um bom nome para a ação daqui pra frente.

  • Michael D.

    Cara Filmaço em!!

  • Nara L.

    Concordo! Eu sou fã do clássico e de toda a visão critica de Paul Verhoeven. Mas... Paul Verhoeven não é um diretor Holywoodiano, ele é doido demais. Já o Padilha fez esse filme para todos os gostos. É um bom filme, é legal, diverte... apesar de não ser um Robocop. O filme se perde muito no roteiro e muitas vezes, você pensa que ele (o filme) está querendo ser um Batman ou Homem-de-ferro. Faltou, alguma cena do Robocop fazendo suas primeiras prisões, o pessoal assustando em vê-lo nas ruas, a reação dos outros policiais... ficou de fora na história.

    Mas como a maioria dos remakes que saíram, vale a curiosidade. Como disse, um Robocop mais High Tech.

  • Luiz F.

    ROBOCOP| Crítica.

    Autor: Luiz Fernando Correia.

    “José Padilha brilha em sua estreia em Hollywood, e entrega um dos melhores e mais dignos remakes já feitos.”

    Robocop, excelente filme de 1987 do cineasta holandês Paul Verhoeven, é considerado um clássico do mundo da sétima arte. O filme misturava ficção científica com muita ação, cenas impactantes, diálogos primorosos, ótimos efeitos, e uma ultra-violência jamais vista no cinema. O principal fator que o fez explodir, era o teor de grande sátira social que o filme abordava. Discutindo temas sobre o capitalismo, corrupção, ganancia, privatização, identidade, influência do poder político e Judiciário, natureza humana. Robocop foi tão bem recebido, que a critica o elegeu o melhor filme de 1987.
    Quando anunciaram que o clássico de 87 ganharia um remake, uma forte preocupação e temor surgiu em mim, e na cabeça de todos os fãs. Como fã, fiquei preocupado que fizessem um filme ruim, desrespeitando todo o legado do policial do futuro. A única pergunta que rondeava a cabeça de todos era: Quem seria capaz de dirigir e fazer esse novo Robocop?
    Para grande alívio, a Sony acertou brilhantemente em escolher o diretor da tropa, o cara responsável pelos 2 melhores filmes nacionais da ultima década, o diretor brasileiro José Padilha. E Para grande satisfação e tranquilidade de todos os fãs, Padilha nos entrega um remake digno de Robocop.
    O diretor brasileiro peitou o estúdio, e só aceitou fazer se fosse seu próprio filme, e com sua equipe. O novo não é uma copia do original, é um novo filme. Ele mantém a mesma premissa do policial que sofre um atentado e é mantido vivo como máquina. O diretor presenteia os fãs com um filme recheado de referências ao original. O tema do original, os bordões clássicos, aparição da armadura clássica, o som da pisada robótica, dá ao filme um especial tom nostálgico.
    O roteiro do estreante Joshua Zetumer , que conta com auxílio do próprio Padilha é bem sucedido. Usa e abusa das questões políticas e sociais, e toca varias vezes nas ferida da sociedade americana. Deve ser por isso, que a sua estreia nos EUA não foi muito bem recebida pelo público. O diretor brasileiro é corajoso, vemos ao longo do filme sua tradicional marca de criar diferentes pontos de vista, abordar o drama familiar, e ser mais fincado na realidade, estilo muito parecido com Tropa de Elite.
    Toda a ação e os efeitos visuais são bem satisfatórios, com uma narrativa empolgante e chocante ao ponto de não parar; Parece que toda hora algo importante esta prestes a acontecer. Fator que aumenta cada vez mais o nível do filme.
    O ótimo elenco brilha em suas interpretações. Joel Kinnaman convence muito bem no papel de Alex Murphy, e mais ainda como Robocop. Michael keaton esta muito bem a vontade como Raymod Sellars, o megaempresário presidente OminiCorp apoiado pelo governo e pela mídia. Samuel L. Jackson atua muito bem na pele de um apresentador de um programa jornalístico que apoia a violência radical. Destaque para Gary Oldman, interpretando brilhantemente o ambicioso médico cirurgião e especialista em robótica Dr. Dennett Norton.
    O final Satisfaz, apesar de que poderia ter sido mais explosivo, não
    diminui todos os méritos do filme. Mesmo não chegando a altura do filme original, o novo robocop é muito bem apresentado e brilhantemente chega para apagar todo o medo de remakes ruins em nossas mentes. Com um ritmo eletrizante e inteligente, josé padilha consegue prender a atenção do público do início ao fim. O diretor brasileiro brilha em sua estreia em Hollywood, e entrega um dos melhores e mais dignos remakes já feitos.

    AVALIAÇÃO: ÓTIMO.

  • Marcos.Sales

    Padilha é foda.
    Que filmaço ,que bom foi saber que o diretor é um brazuca. agora eu fico triste em ver que mutos brasileiro estão torcendo para o fracasso do filme que é o remake mais digno lançado nos últimos tempo.

  • Marcos L.

    filme bom mais a historia e a mesma do robocop antigo

  • danielmuller7

    Preciso falar. Filme bonzinho, esperava mais. Mas o que mesmo me irritou foi toda hora o Samuel L. Jackson aparecia num maldito telejornal falando de politica, senado no maior estilo "Brasil Urgente" ou "Cidade Alerta".

  • delicada culta

    Gostei, esperava uma enchente de tiros, lutas infindáveis e muita violência(coisa que detesto), mas creio que foi tudo na medida, com um bom roteiro, não chega a cansar. Mas ainda é robocop, um clássico. Quem espera sequências inesgotáveis de lutas e sangue, passe bem longe desse filme.

  • Larissaads

    OTIMO!!!

  • Vanessa K

    Que orgulho de um diretor brasileiro em um filme como esse! Tá, ele escorregou um pouquinho e ficam prolongadas as cenas entre os momentos de ação, mas é muito bom ver que o filme tem contexto, tem história, tem um ator excelente no papel principal. Acho que isso conta muito! Se ele fizer uma segunda parte espero que seja tão bom quanto Tropa de Elite 2 (que inclusive achei melhor que o primeiro).

  • Andr? Luiz S.

    Adorei seu comentário, pois nos filmes originais do Robocop vemos muita ação e diálogos suficientes, porisso que eu sempre digo que os filmes do Robocop original foram muito bem gravados, hoje em dia, com esses efeitos especiais tão aparentes será dificil o mesmo ocorrer.

  • Andr? Luiz S.

    Então vai ver ''A lagoa azul'', Robôcop é filme pra macho, não essa coisa ridícula do Padilha. ''Diretor imbecil''.

  • Andr? Luiz S.

    Só por causa dos efeitos especiais.

  • Andr? Luiz S.

    Isso é o filme do Robocop ou é uma outra versão do Homem de ferro, ha ha ha que Padilha imbecil

  • Andr? Luiz S.

    Só sei que o antigo Robocop esmagaria esse robocop magrinho só com as mãos, quando a arma, esse robo novo aí nem tem, é só um efeito especial.

  • Andr? Luiz S.

    Como fã vc não vai gostar ñ, mas se vc agir como hipócrita (sei q vc não é) vai gostar, porque todos gostam mesmos é dos efeitos especiais. O filme é um lixo cuidado pra não dormir, vai de dia.

  • Andr? Luiz S.

    Já estragaram, o pior é que gostaram acredita!!!

  • Cl?udio C?sar F.

    Sem dúvida o pior de todos os Robocops. Muito ruim mesmo.

  • Cl?udio C?sar F.

    Falou tudo que eu queria falar... papel totalmente dispensável do SLJ

  • Ulisses B.

    Para quem gosta de um bom filme de ação, com explosões, tiroteios e emoção e boa opção, a direção de José Padilha está de parabéns, eu RECOMENDO!

  • Gilmar JS

    gostei mt do filme só naum gostei da atuação do Samuel L Jackson

  • ednilson d.

    filme e uma merda nau presta

  • Almir S.

    BOM. José Padilha fez um bom remake, colocando muitos aspectos parecidos com Tropa de Elite 2, corrupção, o roteiro adaptado ficou mais inteligente.

    Achei muito legal ele dosar a ação na medida certa, trazendo ao filme um tom mais realista e também usando no filme tecnologias atuais.

  • Augusto G.

    esperava mais

  • Osvaldo A.

    A abertura do filme mostrando as maquinas num pais islâmico dizendo " salamaleco" e depois metralhando um jovem com uma faca....não precisa de mais nada...a critica explicita a homofobia americana em relação o islã.....O resto é só remake.....

  • Jessica C.

    Claro que e um remake, mais faltou algo e historia estava chata, onde transformaram o Robcop em uma versão do Batman que faz justiça com as próprias mãos e ele não foi preso por matar varias pessoas, que um versão ruim de filme de ação antigo, alguns atores aparecerão puco porém, foi o suficiente para odiá o personagem, o garoto parecia sem emoção, ele não se entregou ao personagem, a Abbie Cornish não tem um papel dela que eu goste, esse e somente mais um para entra na lista, Michael Keaton com sempre incrível tbm Gary Oldman que particularmente consegui conquistar o publico, Jackie Early Haley com pouca participação porém passou uma mensagem ótima do personagem dele, mas o final dele não deveria ter sido esse,Joel Kinnaman nosso robcop, um bom ator, porém ele não estava preparado para esse papel, na minha opinião tinha que ser um ator mais rustico, ou pelo menos menos nas cena e que deveria parecer controlado pela maquina ele tinha que ser mais duro, estamos falando de um robô, por ultimo mais não menos importante Samuel L. Jackson como sempre impecável.

  • delicada culta

    Eis o mal do brasileiro, não consegue interpretar textos.

  • RMR

    Algumas coisas fugiram bastante do Robocop Original, tornando-se estranho.
    Achei regular, dá para assistir e relembrar um pouco este clássico do cinema.

  • Felipe G.

    Ótimo filme, muitas cenas de ação e um grande trabalho de efeitos visuais. O tom de crítica social da história funciona e se desenvolve bem. Padilha dá conta do trabalho e sua direção é firme e decidida.

  • Silas M.

    Cara onde que curti o q VC disse aqui? kkkk

Mostrar comentários